Colocado em 2020-05-08 In A Aliança de Amor Solidaria em tempos de coronavírus, Schoenstatt em saída

E a Rainha conta connosco

ESPANHA, Pilar de Beas •

Para mim, o confinamento começou em 10 de Março devido a uma pneumonia que até hoje não sei se foi a COVID-19.  Já medicada e a tomar o antibiótico, comecei a ter uma necessidade urgente de “fazer alguma coisa”. Até contactei um hospital para ajudar (inocente da minha parte) a fazer chamadas para os familiares dos doentes, uma vez que o que mais me preocupava desde o início era a solidão das pessoas que morriam sem uma mão a segurar a sua.—

Aqui aprendi que, devido à lei de protecção de dados, não se pode ir muito longe. No meu Santuário-Lar, todas as noites pedia à nossa Mãe que me ajudasse a encontrar a maneira de servir aqueles que mais precisavam.

Apresentação de Shema

Regressando a Valladolid

Uma tarde vi numa sala de chat da Eduvida, onde há vários monitores de cursos pré-matrimoniais que tínhamos ajudado um pároco de uma pequena cidade de Valladolid com 1000 habitantes, que este padre estava sozinho no necrotério acompanhando um homem que, não podendo suportar a solidão, tinha acabado com a sua vida. Contactei o pároco e decidimos ajudá-lo a fazer telefonemas a pessoas idosas que estavam confinadas nas suas casas. Este padre deu-nos muitos números de telefone, com aviso prévio e consentimento das pessoas para lhes fazermos tais chamadas. A resposta não se fez esperar e os voluntários surgiram de todos os lados, muito mais do que as pessoas mais velhas. Contactámos a Caritas e os lares, mas devido à bendita lei de protecção de dados, não nos deram nenhum número de telefone.

 

Os testemunhos dos idosos angustiados

Foi assim que a Mater foi coroada.  Os testemunhos das pessoas idosas são arrepiantes: “Que o Governo de Espanha queria matá-los porque eram velhos e não havia dispositivos para eles…”, “Que não podiam adoecer porque não podiam ir aos hospitais…”, “Que se se afogassem não teriam ninguém a quem acudir…” Tudo isto porque o seu único meio de entretenimento era a televisão, cujas notícias só trazem desespero e medo a tantas pessoas idosas. Foi isto que encontrámos em todas as chamadas que fizemos.

Assim, estabelecemos um objectivo claro: com tantos voluntários, cada um telefonaria a uma pessoa uma vez por semana, para que, se eu tivesse a “Lola”, ela já soubesse que às quartas-feiras lhe telefonaria, que às segundas-feiras voltaria a telefonar-lhe e assim por diante?

 

Shema

Esperam as nossas chamadas com uma ilusão que não posso descrever nestas linhas: rezamos com eles, cantamos, àqueles que não sabem ler por falta de visão são lidas histórias e, o mais importante de tudo, são ouvidos e encorajados a continuar entusiasmados todos os dias.

Este é um tempo de enorme crescimento para todos nós, voluntários e seniores. Entre os voluntários há pessoas de todas as idades: jovens, pais e mesmo pessoas mais velhas que também querem ajudar. Todos puseram tudo o que sabiam para que isso acontecesse, e mesmo alguns jovens do “minuto um” fizeram um logotipo com a palavra Shema, que em hebraico significa chamada.

 

Igreja em Saída

Algo que também me tem tocado muito é que isto se tornou, desde o início, um projecto da Igreja em Saída. Os voluntários provêm de diferentes Movimentos e Congregações. Não os procurámos, mas elas vieram pelo boca a boca. Para além do apostolado comum, estamos unidos pela partilha da mesma fé.

Como gostaria de poder partilhar os testemunhos de cada um deles. Os mais velhos já estão a pensar em como organizar o dia do nosso encontro físico, no qual todos nós possamos “colocar caras”, porque nos conhecemos muito bem no coração, partilhando todas as semanas tantas coisas que vivemos e desejamos, mas ainda não nos vimos fisicamente.

É claro que haverá uma grande festa, mas sem esquecer as muitas pessoas que morreram no caminho desta “praga do século XXI”, um coronavírus que já levou milhares de pessoas. Não podemos esquecer muitos que conhecemos e amamos, mas também outros que, sem os termos conhecido, foram os grandes heróis desta pandemia.

Espero que antes desta celebração de partilha possamos ter uma grande Missa para unir os nossos corações com aqueles que estão no céu a desfrutar do Senhor e nos braços da nossa Rainha. Certamente que Ela tem acompanhado aqueles que morreram sozinhos.

 

Para mim este é o Schoenstatt que o nosso Pai-Fundador queria

Shema

Pilar de Beas

Para mim este é o Schoenstatt que o nosso Pai-Fundador queria e pelo qual ele deu toda a sua vida, pelo qual arriscou os anos de exílio e o campo de concentração de Dachau. Como seus filhos, temos de sair para o mundo e, claro, quando se está no caminho certo, a Mater abre as portas de par em par.

Penso que não fizemos mais do que entrar por aquela porta que se abriu e a resultante criadora foram os 300 voluntários e quase 50 pessoas mais velhas no espaço de um mês. Agora Soledad Menéndez está a dar resposta ao Shema da Argentina e do Chile.

 

A verdadeira coroa não é um elemento material

Shema

Soledad Menéndez

Coroámos a Mater, mas compreendi que a verdadeira coroa não é um elemento material que é colocado na cabeça da nossa querida Mãe, mas sim todo o Capital de Graças, o sofrimento e cada uma das vidas dos nossos idosos que têm sido os autênticos heróis e heroínas desta história. Cada um deles, sem o saber, “coroou” a nossa Rainha com uma coroa de sofrimento, dor, solidão e, em muitos casos, de desespero. Creio firmemente que esta é a grande coroa com a qual a Santíssima Virgem mais se emocionou como nossa Mãe que é.

Nada sem si, nada sem nós, porque somos simplesmente instrumentos nas Suas mãos.

 

Nós rezamos: Rainha da Saúde, conta connosco. E a Rainha está a contar connosco.

Contacto com o Grupo Shema: [email protected]

Video: Pilar de Beas, iniciadora de Shema

Original: espanhol (5/5/2020). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *