Colocado em 6. Junho 2018 In Em Aliança solidária com Francisco

Em Aliança Solidária com a Nicarágua

REZEMOS COM O PAPA FRANCISCO, redação •

Nas suas saudações depois do Ângelus, o Papa Francisco uniu-se aos Bispos nicaraguenses, expressando a sua dor pelas graves violências causadas por parte de grupos armados, com numerosos mortos e feridos, para reprimir as contestações sociais. Rezemos e contribuamos para o Capital de Graças, em Aliança Solidária com o Papa Francisco e o povo da Nicarágua, onde está presente a Mãe Peregrina.

O Papa Francisco disse-se “próximo dos Bispos da Nicarágua” e expressou a sua dor pelas grandes violências que deixaram mortos e feridos, perpetradas por grupos armados para reprimir as contestações sociais.

“Rezo pelas vítimas e pelos seus familiares. A Igreja está sempre aberta ao diálogo mas é preciso o compromisso activo e respeitar a liberdade e, primeiro que tudo, a vida”, expressou. “Rezo – insistiu o Papa – para que cesse toda a violência e sejam restabelecidas, antes de mais nada, as condições para o diálogo”.

As contestações começaram em Abril quando milhares de pessoas se opuseram a uma reforma da Segurança Social. Então, o Presidente do país, Daniel Ortega, ordenou a intensificação da actividade do exército em algumas cidades chave do país, também na capital, Manágua, e começaram as represálias.

Finalmente, o governo do país viu-se obrigado a eliminar a lei mas, os distúrbios continuaram.

Segundo o Centro Nicaraguense de Direitos Humanos (Cenidh), os 46 dias de crise deixaram 108 mortos e cerca de um milhar de feridos.

Original: espanhol (3/6/2018). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *