Santa Cruz do Sul, 21.11.

Posted On 2021-12-14 In Santa Cruz do Sul, Vida em Aliança

“Onde estiverem dois ou três – ou 150 ou 200 – reunidos em meu nome, eu estou no meio deles”

BRASIL, Maria Fischer •

Talvez alguns leitores – pelo menos da parte de língua espanhola de schoenstatt.org – se lembrem de um extenso comentário da Irmã Marita Löhle num delicioso “portunhol” sobre o número de schoenstatteanos de Santa Cruz do Sul que, não estavam contentes com a “maravilhosa” ideia das Irmãs de Maria de esvaziar o Santuário de Schoenstatt durante a noite, depois de décadas de ali estarem, e de o declararem como não-Santuário. Cerca de 3, 4 ou 5… já são suficientes para que Jesus esteja no meio deles. A 21 de Novembro, a última Missa da Aliança neste Santuário esvaziado e violado, não só apareceram 3, 4, 5…mas 100, 200, 300 peregrinos para celebrarem a Missa, para renovarem a sua Aliança e para entregarem o futuro do seu Santuário no “Nada sem ti, nada sem nós”.

“A Missa para a renovação da Aliança de Amor foi sempre celebrada no dia 18, em comemoração do aniversário do Movimento, que foi fundado a 18 de Outubro de 1914”, explica Rui Kaercher numa entrevista ao GAZ. Mas, neste Santuário, sem altar e com o amor de centenas de schoenstatteanos, só é possível celebrar no Domingo antes ou depois do dia 18, por enquanto. Assim foi “decretado”, tal como foi difundido o “dogma” de que não deveria haver dois Santuários na mesma cidade (cidades pobres de Buenos Aires, Santiago do Chile, Roma, Madrid, Vallendar, Guayaquil, Quito… todos ilegais?) ou que, onde não há Irmãs de Maria, não se pode falar de um Santuário de Schoenstatt (vejo cair o número de Santuários-filiais no mundo… e ainda mais, seria o Santuário Original apenas um Santuário desde a fundação do Instituto das Irmãs em 1926?)

GAZ

Entrega das chaves

Santa Cruz do Sul. Preparando todo para la llegada de los peregrinos

Preparando tudo para a chegada dos peregrinos

Seja como for, em meados de Novembro, as Irmãs de Maria entregaram as chaves da propriedade ao Município de Santa Cruz do Sul, recebendo uma quantia chocante pelos edifícios construídos sobre a mesma. “Para deleite da Irmã, o dinheiro é muito grande”, lê-se num dos vários comentários na imprensa local. Para Rui Kaercher e os “dois ou três” que já formaram uma Associação sem fins lucrativos para a manutenção financeira e espiritual do Santuário, trata-se de um capítulo fechado.

“Já enviámos a candidatura para nos tornarmos os novos guardiões do local. As Irmãs de Maria insistem agora junto do Bispo que, não pode haver dois Santuários na mesma cidade. Parece que não conhecem o “mens fundatoris”… ou esqueceram o que aprenderam com ele”, comenta Rui Kaercher.

“Mas não é a última Missa no Santuário”, diz Kaercher, referindo-se ao título do comunicado de imprensa. Foi a última antes do encerramento do Santuário para obras da Câmara Municipal, que transformará o espaço numa creche. Desde 22 de Novembro, o Santuário está fechado para obras de renovação, e só deverá reabrir em Fevereiro ou Março, dependendo do progresso da renovação.

Aqui estamos, Mater, tus aliados

A Missa de Aliança

Bendicion personal

Bênção pessoal

A Missa da Aliança foi celebrada a 21 de Novembro na capela em frente ao Santuário pelo pároco Leão Gomes da Silva, da paróquia de Jesus Mestre da Palavra, no bairro de Santa Vitória.

E eles vieram. Dois, três, dez, 100, 200 peregrinos… Saudando a Mãe, saudando Jesus, o povo veio em grande número, com alegria, com compromisso.

No final da Eucaristia, todos receberam a bênção com o Santíssimo Sacramento, os pequenos papéis com as contribuições para o Capital de Graças foram queimados numa pira improvisada de José Engling, e cada um que a quisesse, recebeu uma bênção pessoal.

Viva o Santuário! Viva a Aliança! Viva Jesus, que vive no meio de dois ou três (ou 200 ou 300) reunidos em Seu nome, ao redor do Santuário da Sua Mãe. E Ela, “que sabe transformar uma caverna de animais numa casa de Jesus com alguns trapos e uma montanha de ternura” (Papa Francisco, audiência a Schoenstatt, 2014) também sabe fazer milagres a partir do seu Santuário violado e transformá-lo, de novo, numa Belém para o nosso tempo, onde reina o amor, a verdade e a justiça, sim,

onde reina a veracidade
e a verdade domina e triunfa;
onde as santas normas da justiça
determinam o que se faz e o que se omite;
onde o amor une os corações e os espíritos
e o Senhor e Mestre empunha o ceptro? “
(Rumo ao Céu, 604)

Santa Cruz do Sul

 

Original: espanhol (12/12/2021). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Tags : , , , , , , , ,

Leave a Reply

Your email address will not be published.