Colocado em 2016-09-22 In Vida em Aliança

Um carisma a serviço da Igreja, que se abre em muitas direções

ENTREVISTA com o Pe. Marcelo Cervi, futuro superior do Santuário e Centro Internacional de Schoenstatt em Roma Belmonte •

O que significa Roma Belmonte?

O Santuário e o Centro Internacional de Schoenstatt Roma Belmonte foram presentes de toda a Família Internacional de Schoenstatt a seu Fundador, o Padre José Kentenich, na ocasião da celebração de seus 80 anos, em roma em 1965. O Pe. Kentenich viu neste lugar um símbolo concreto da plena inserção da Obra Internacional de Schoenstatt na Igreja, pois para Schoenstatt faltava, como movimento católico, uma visibilidade concreta na cidade de Roma, sede da Igreja Católica. Simbolicamente, o Santuário e o Centro Internacional de Roma Belmonte relembram a imagem do “delta” de um rio. Assim como um rio extenso e profundo percorre um longo caminho até chegar ao mar, Schoenstatt tem percorrido um longo caminho por diferentes culturas e povos: mais ainda, em suas diferentes comunidades hospeda a todos os estados de vida cristãos e, por uma compreensão sempre mais profunda do papel de Maria e do Santuário na formação do homem novo, se apresenta agora para uma sociedade humana e para a comunhão com a Igreja, com uma abertura em forma de delta. Roma Belmonte quer ser um lugar onde se possa conhecer, aprofundar ou experimentar toda a fecundidade de um carisma que se abre em muitas direções, a serviço da Igreja e em profunda comunhão com Ela.

img_0101

Para quem é Roma Belmonte?

É para todos! Antes de mais nada, é um lugar para viver o amadurecimento da ideia original de nosso Pai e Fundador: a “Confederação Apostólica Universal”, é o lugar privilegiado para a convivência e o trabalho em comum das diferentes comunidades de Schoenstatt. É o lugar da verificação do nosso “ser família internacional”, também no estudo e na compreensão de toda a mensagem de Belmonte. Depois, Belmonte, como púlpito do Padre Kentenich em Roma, aspira ser um lugar de encontro com sua pessoa e seu carisma, com seu ser, suas ideias, sua mensagem e sua compreensão da Igreja profeticamente anunciada quando pronunciou suas conferências em Belmonte no final do Concilio Vaticano II, e agora muito visíveis no atual pontificado.

Há duzentos santuários de Schoenstatt. Por que um santuário em Belmonte?

Cada um dos Santuários de Schoenstatt tem sua missão específica. Nasceram, em geral, de uma corrente de vida e aspiram ser uma resposta a determinadas situações de todos os homens de todos os tempos. O santuário de Roma Belmonte nasceu de uma corrente de vida de experimentar a “família internacional” em comunhão plena com a Igreja e como lugar para viver um carisma comprovado a serviço dEla. Além disso, este Santuário, junto com o Centro Internacional, pretende ser um “lar” para todos os schoenstattianos que passam por Roma. Esta deve ser sua “casa romana”, seu ponto de apoio e seu lugar de descanso “em família”, com o lar (santuário), a Mãe (nossa Mãe e Rainha) e o Pai (o Pe. Kentenich, nosso fundador). Aqui, cada um deve se sentir em casa.

img_9963

O Padre Kentenich fala sobre uma Igreja renovada, uma Igreja nova. Neste sentido, este santuário tem uma missão especial. Neste caso, como pensa concretizá-la em sua nova tarefa?

Em Roma Belmonte, nosso Pai e Fundador falou concretamente de uma visão da Igreja. Já passaram cinquenta anos desta mensagem e podemos ver como esta igreja vigente. Ele falou da “Igreja das novas praias”, uma Igreja de estilo familiar, que seja “rocha peregrina”: imóvel em seus princípios e em sua missão e ao mesmo tempo, acompanhando o homem de hoje, participando em sua vida, sendo também alma da cultura e do mundo. Este Centro Internacional deve transmitir esta mensagem e colaborar efetivamente com a renovação da Igreja, a partir do carisma presenteado por Deus ao Padre Kentenich e, por ele, à toda sua família espiritual. O superior é, de certa forma, uma garantia de que Belmonte cumpra sua missão.

O Pe Kentenich fala do “sentir com a igreja”. Belmonte se sente, vive e se celebrará com a igreja? Como? Como em Belmonte se expressa o amor à Igreja?

Neste santuário são visíveis o amor à Igreja e a adesão ao Santo Padre, por exemplo, na celebração cotidiana da Eucaristia, oferecendo-a nas intenções da Igreja, na lembrança dos grandes eventos como sínodos, canonizações, mensagens do Santo Padre à Igreja Universal… o Centro Internacional também deve, com o tempo, ser um lugar onde se encontrem os diversos movimentos da Igreja para refletir e orar por sua missão comum e seu ser “dom” do Espírito Santo para o tempo atual.

Falamos do Centro Internacional de Schoenstatt em Roma. Para você, em que se reconhece nele o aspecto internacional?

A internacionalidade é uma marca característica de toda a Família de Schoenstatt. O Centro Internacional deve ser o lugar de encontro com este aspecto, não só nas pessoas que frequentam mas também em sua apresentação: informações disponíveis em vários idiomas, material de formação e informação próprio de Schoenstatt (livros, impressos diversos e santeria) proveniente de diferentes países, possibilidade de consulta sobre o pensamento do Padre Kentenich em diversos idiomas em uma biblioteca “internacional”, etc. Algo muito característico da apresentação internacional deste Centro é a ideia original de dar a cada quarto da Domus Pater Kentenich, o nome de um país onde tem santuário, e que esse país se encarregue de colocar nele um crucifixo e uma imagem da Mãe que sejam típicos de seu país, como uma clara manifestação de Schoenstatt nesta cultura.

img_9968

Belmonte: quatro nacionalidades na foto: Uruguai, Brasil, Argentina, Itália. Também presentes (apesar de não estarem na foto): Cuba, Alemanha, Equador

Qual sua maior preocupação diante desta nova tarefa?

Naturalmente, minha preocupação maior é ajudar para que Belmonte cumpra sua missão, ou seja, que aconteça fielmente aqui o que queria nosso Pai e Fundador; que realmente seja o que hoje, nós, seus filhos, necessitamos para estar com ele em Roma. Meu sonho também é que Belmonte se torne um ponto de apoio para todos, mas sobretudo para os schoenstattianos que passam por Roma, que se sintam em casa aqui e possam aprofundar o carisma que compartilham.

Você assumirá dia 22 de janeiro de 2017. Que sonho você tem para o 22 de janeiro de 2018 em Roma Belmonte?

Um único sonho: que possa responder à muitas das necessidades e expectativas da Família Internacional de Schoenstatt, mas, acima de tudo, que possa ver o Centro Internacional em pleno funcionamento.

img_0106

A entrevista foi realizada por Maria Fischer, schoenstatt.org

Original: espanhol. Tradução: Isabel Lombardi, Guarapuava PR, Brasil

Etiquetas: , , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *