Colocado em 13. Março 2018 In Dequeni, obras de misericórdia

Início das aulas com Dequení

PARAGUAI, Verónica Gutiérrez •

Para muitas escolas na América do Sul, março significa voltar para a escola. O verão acabou e os dias começam a se refrescar. Cada país prepara-se para o início de um novo ano letivo e no Paraguai não há exceções, mas um caso especial: Dequení. —

A Fundação Dequení funciona protegendo e cuidando crianças vulneráveis. Nasceu com um grupo de pessoas que organizaram atividades nas ruas e que mais tarde passou a ser um projeto educacional significativo, que apóia o trabalho do docente dentro das salas de aula, em mais de 30 escolas em quase 5 distritos.

Na semana passada, eles começaram o ano letivo da melhor maneira e com toda a energia: com batucadas, danças e jogos para crianças. Em Ypané, Graciela Meza, diretora do local, dedicou algumas palavras a crianças e jovens: “Não negligenciem os estudos, coloquem muita vontade, isso não diminua esse entusiasmo, porque só com educação o futuro pode ser mais acertado”. Representantes do Ministério da Educação e Ciências, entre eles o supervisor pedagógico da área, Dilma Martínez de Samudio, professores, diretores e Dequení também participaram do evento.

As outras escolas também tiveram suas atividades especiais para comemorar o primeiro dia das aulas e para receber as crianças.

Contribuição dos voluntários

Andreza Ortigoza, diretora da Fundação Dequení, falou com Radio Hoje e contou como esse dia especial foi, sobre o apoio que dão a professores e pedagogos nas diferentes escolas em que participam. Ortigoza contou como eles se prepararam para este início das aulas, pintando as salas de aula, especialmente as do ensino básico, tentando iluminá-las melhor e organizando-as para que estivessem lindas. Quando as crianças chegaram, realizaram atividades. Alguns voluntários colaboraram com materiais educativos e outros vieram disfarçados.

Em 2018, a fundação está se concentrando na primeira infância e apoiando as crianças, ajudando as mães a afastá-las da violência. Preparar as bases para poder recebê-las nas escolas quando tiverem mais de 5 anos e que sejam capazes de absorver a educação que lhes é oferecida. O principal é que a educação seja eficaz, poder ajudar as escolas para que as crianças adquiriram conhecimentos, mas também habilidades suaves, como o trabalho em equipe. Aos jovens, mais velhos, ensinar-lhes um oficio e dar aos pais oportunidades de trabalho,capacitar-lhes.

Pintor em sala de aula com voluntários

Solução durável

“Em Dequení temos a certeza de que a pobreza é superada com a educação. Queremos que as crianças cheguem à escola com habilidades para aprender e se relacionar, que a escola seja um espaço atrativo, que os professores sejam bons em ensinar as crianças a ler e escrever e que as crianças leiam, escrevam, compreendam e expressem suas idéias “, afirmam em suas redes sociais A diretora da instituição, Andreza, explica que os voluntários recebem treinamento para apoiar os professores, a eles, são ensinados, os direitos das crianças e são treinados nessas questões, o que os fortalecerá na sala de aula.

Este trabalho só pode acontecer graças aos esforços dos voluntários. Há aqueles que contribuem com dinheiro e outros que participam, fazendo materiais educativos, indo para escolas ou fazendo outras atividades. Alguns se juntam entre três ou quatro pessoas e apoiam uma criança, ou como empresas que também apoiam a causa como aliados.

Página institucional: www.dequeni.org.py

Para fazer doações:

Muito obrigado

Original:  Espanhol  07 de Março 2018. Tradução: Glaucia Ramirez, Ciudad del Este, Paraguai

Etiquetas: , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *