Colocado em 9. Julho 2016 In Schoenstatteanos

Áustria recorda um apóstolo especial de Schoenstatt

ÁUSTRIA,  Susi e Max Mitter •

Na noite de 21 de junho de 2016, com 86 anos, partiu para o céu, para a cidade eterna, para a casa do Pai, um grande apóstolo de Schoenstatt austríaco.

Kommerzialrat Anton “Toni” Freudensprung

Agora pode estar junto aos filhos prediletos da Santíssima Virgem, tal como se canta de forma tão bela a oração Cântico da minha terra do livro de orações “Rumo ao Céu”. Oferecemos a nossa oração, especialmente, pela sua esposa Wiltraut, os seus quatro filhos e as suas famílias a quem entregamos ao coração da Santíssima Virgem!

Um grande schoenstattiano e empresário

Quando era jovem, Toni Freudensprung fundou a fábrica austríaca de enchidos A. Weiser & Söhne. Muitos experimentaram ali o seu carácter paternal. Distinguiu-se pela preocupação com os seus funcionários e pelo convite à oração e celebração das diferentes festas litúrgicas. O conceito “trabalho de qualidade”, algo que caracterizou o Padre Kentenich, foi o seu norte. O salame e outros enchidos da casa Weiser foram na Áustria, durante décadas, produtos de grande qualidade. Em todas as suas lojas encontrava-se a imagem da MTA.

Utilizou os seus contactos profissionais para o apostolado. Levou o presidente da Federação dos sindicatos austríacos a celebrações marianas. Lendário foi o seu comentário feito ao cardeal König durante a cerimónia de entrega da ordem: “e agora rezemos uma Avé-Maria!”

freundensprung-schroerer

Casais Schroer e Freudensprung

Um grande schoenstattiano para o Centro de Kahlenberg

Toni Freudensprung apoiou de maneira extraordinária de forma pessoal e financeiramente a aquisição e construção do Centro de Schoenstatt em Kahlenberg. Dizia-se com toda a razão que sem Toni, o Centro de Schoenstatt em Kahlenberg não existiria. Certamente, no céu, ele é um especial intercessor para o novo projeto de ampliação “nosso Kahlenberg”.

Como personalidade, esposo e pai de família, como empresário paternal na sua empresa e para Schoenstatt, foi um homem que deu testemunho da sua fé e do seu grande amor pela Santíssima Virgem. Não podia ser de outra maneira. Os funcionários da sua empresa estavam habituados à oração, não apenas nos dias de festa, mas também em difíceis momentos profissionais.

O bispo emérito de Linz, Dr. h.c. Maximilian Aichern OSB, um companheiro e amigo de Toni Freudensprung, agradeceu-lhe expressamente depois do Réquiem do casal Mucha, Ele foi uma personalidade livre, forte e sacerdotal, um exemplo para nós.

tagung_1989_2

Jornada 1989

Damos agora a palavra a Toni Freudensprung. Nós entrevistámo-lo no ano de 2007 por ocasião do jubileu dos 25 anos do Santuário de Kahlenberg. As suas palavras são uma mensagem para todos nós:

“Apostolado: entregar o que experimentámos”

Fam. Mitter: O que é que o entusiasma em Schoenstatt? E como cresceu esse entusiasmo?

Toni Freudensprung: A minha tia, a Ir. Herma, uma Irmã de Maria de Schoenstatt, foi muito importante para mim. O seu funeral no Centro de Schoenstatt de Liebfrauenhöhe na Alemanha foi o momento decisivo para mim. A sua vida e a sua morte convenceram-me totalmente. Ali tive o profundo sentimento: “é verdade o que dizem e rezam os schoenstattianos”. Isso foi para mim a verdadeira santidade da vida diária. Através de Schoenstatt, a nossa fé tornou-se muito mais profunda. A partir desse momento começámos a trabalhar para Schoenstatt com todo o coração.

O Padre Beller também foi muito importante para nós. Recordo-me da Jornada de Casais de 1978 em Innsbruck. Ali descobrimos novamente o que significa o matrimónio, já tínhamos 25 anos de casados. “Amo-te tal como és”, esta frase foi uma chave para nós. Apesar de parecer fácil, aqui existe muito mais.

Fam. Mitter: O senhor é um grande apóstolo de Maria e com a sua esposa, Wiltraut, comprometeram-se como ninguém com o Santuário e o Centro de Schoenstatt.

Toni Freudensprung: Sempre se falou de tudo o que temos doado para Kahlenberg. Querem saber como foi isso realmente? Existe um pequeno mealheiro em forma de capela que esteve durante anos na empresa Weiser. Sempre que houve problemas cruciais – com os filhos ou com a empresa – punha algum dinheiro lá dentro. Dependendo do problema, era mais ou menos dinheiro. E de seis em seis semanas levava este mealheiro à Ir. Elmengard  para Kahlenberg. Foi assim que aconteceu e quem disser outra coisa, não diz a verdade. (Comentário do entrevistador: as situações cruciais não foram poucas)

A revista “MTA” foi a primeira mensagem escrita de Schoenstatt. Desta maneira foi dado a conhecer o movimento.

Mas a revista “MTA” deixou de se publicar. Sempre reenviávamos esta revista ou a deixávamos nas paróquias. O Pe. Beller dizia: “Nunca deixem a revista numa igreja sem avisar o pároco”. Assim falávamos com muitos deles. Juntávamos sempre à revista MTA a revista FAB (Família als Berufung, Família como vocação), depois apenas enviávamos e distribuíamos a FAB (Comentário do entrevistador: cerca de 1.000 exemplares por número editado!). Isso sempre nos chamou a atenção: o que acontecia de especial na Áustria era que a família estava sempre em primeiro lugar.

Quando se está pessoalmente convencido de algo e se é fiel a isso e se leva a sério na própria vida, é o mais natural do mundo que se fale disso e o entregue aos outros.

No nosso casamento, Schoenstatt foi a salvação sem dúvida alguma. Schoenstatt é para nós a iniciativa de fé da Igreja para o futuro. A família foi e continua a ser a base de tudo. Agora na velhice vivemos isso de forma especial.

Freundensprung

Original: alemão. Tradução: Maria de Lurdes Dias, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , ,