carcelaria

Colocado em 2021-06-20 In Madrugadores, obras de misericórdia, pastoral prisional, Projetos

Um ano a rezar com as prisões

ARGENTINA, Juan Barbosa •

Dentro do Terço dos Madrugadores, que começou a 31 de Março de 2020 em plena pandemia e, com o objectivo de rezar pelo seu fim, surgiram diferentes iniciativas demonstrando que, para os Madrugadores, desta vez longe de ser uma quarentena é uma pré-época, onde diferentes iniciativas são tomadas e levadas por diante, à maneira de São José que, depois de cada sonho, acordou, se levantou e agiu. —

Um deles é o Santo Terço com as prisões, que acaba de completar o seu primeiro ano com crescimento sustentado, para orgulho do grupo que o organiza.

Um começo inspirado pelo Espírito Santo

Durante um dos primeiros Terços dos Madrugadores, Ricardo Cabeza, de Mar del Plata, disse que estaria interessado em se aproximar da prisão de Batan na sua cidade para rezar virtualmente com os reclusos. Começou a mexer-se e, rapidamente, encontrou eco na “Casa de la Libertad” (Casa da Liberdade), um estabelecimento para a reintegração de ex-condenados. A Irmã Helena, responsável pela casa, mobilizou-se e encontraram no Bispo de Mar del Plata, Bispo Gabriel Mestre, todo o apoio nesse sentido e…começaram!

Carlos Olano, um Madrugador de 9 de Julio, também na província de Buenos Aires, sentiu que podia fazer o mesmo noutros estabelecimentos e, começou a relacionar-se com diferentes pessoas, tanto das Pastorais Prisionais como das capelanias, incluindo juízes federais. Tudo pela missão!

rosario en las penitenciarías

A virtualidade não é um obstáculo? Bem pelo contrário!

Um grupo de trabalho foi rapidamente formado por seis Madrugadores e liderado por Carlos, que tem uma enorme dedicação “para alcançar cada vez mais irmãos e irmãs privados da sua liberdade”, como ele os chama. É que eles são o próprio Jesus Cristo no outro!

E a obra “cresce de pé” como diz Zitarrosa (compositor uruguaio) numa das suas canções, e com bases sólidas, é vista e avança, quarta-feira a quarta-feira, com mais participação de reclusos, de sacerdotes, de agentes pastorais prisionais, todos unidos para desfrutar do terço semanal. “Aquele momento em que somos todos iguais uma vez que somos filhos de Deus e Ele nos reúne com a Sua Mãe como irmãos e irmãs”, como nos diz Carlos recordando os seus sólidos princípios religiosos.

Uma realidade nunca imaginada pelo grupo de trabalho

Hoje, há mais de treze estabelecimentos (mais estão a ser acrescentados todas as quartas-feiras…) que são atingidos e o número médio de pessoas a rezar o “Terço das Quartas-feiras”, como lhe chamam carinhosamente… é de cerca de 100!

No seu primeiro Aniversário, que foi apresentado pelo Bispo Gabriel Mestre, havia 150 orantes e entre eles estava o fundador e também o actual presidente da FUNDAÇÃO ESPARTANOS, uma instituição que evangeliza os reclusos através do rugby e da oração do Santo Terço. Enorme trabalho que fazem

Neste Terço, um recluso de uma prisão, uma pessoa que está na prisão há mais de três anos, o presidente da ESPARTANOS e depois o seu Fundador deram o seu testemunho.

O Bispo Ariel Torrado Mosconi, Bispo de Nueve de Julio, fechou o Terço com um vídeo especialmente preparado, e Carlos Olano expressou a sua gratidão a Maria e a todos os colaboradores e a todos os que rezaram, pela alegria que se sente todas as semanas.

“Eu estava na prisão e vós visitastes-me” (Mt 25: 35-40) é a mensagem de Jesus Cristo que motiva este grupo a unir os seus esforços para levar MARIA às prisões, aos centros de reabilitação de vícios, às casas de recuperação… aonde quer que o seu ideal os leve!

Original: espanhol (18/6/2021). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *