Colocado em 7. Abril 2018 In Missões

Vamos a mais uma casa!

PARAGUAI, Diego Lugo Osorio •

O último dia das Missões da Universidade Católica (MUC) eu tive que ir, junto com meus irmãos, para ir um pouco mais longe do que havíamos chegado antes, pois queríamos visitar o maior número possível de famílias e lares. No final do dia, quase no momento do retorno, entramos no que “consideramos” o último lar a ser missionado. Como foi o último, demoramos um pouco mais do que o habitual. Quando saímos e estávamos prontos para voltar, um missionário de São José Operário, que nos acompanhava na missão, nos disse: “Vamos a mais uma casa “. Todos, sem hesitar e sabendo que talvez chegássemos atrasados ​​para o tempo estipulado de retorno, dissemos: “Vamos”. —

 

Ao chegar encontramos, sentados à sombra de uma árvore Dona Olegária, a quem adotamos carinhosamente como avó. Ele nos recebeu gentilmente em sua casa e se agarrou firmemente à imagem da MTA Peregrina que estava conosco. Como geralmente fazemos em todos os lares em que somos missionários, começamos a compartilhar a leitura do evangelho. No final, um missionário percebe que a avó estava cheia de moscas na perna. Ao espantar-las, ele encontra uma ferida aberta infectada, com pus e quase vermiforme.

A mochila que permitiu curar feridas

Justo naquele dia, eu achei que não seria mais necessário levar meu kit de primeiros socorros que estava acostumado levar nas missões, mas, por alguma razão, quando eu estava saindo da pequena escola onde estávamos alojados,algo me disse para levá-lo. E eu voltei única e exclusivamente para pegar minha mochila com aquele kit, sem saber que naquele dia, um pouco mais tarde, Dona Olegária iria precisar.

Quem me conhece sabe que há anos eu sou bombeiro voluntário. Nessa tempo, eu tive oportunidades de ver muitas situações nos serviços para os quais fui, coisas que estavam formando meu temperamento ante situações que pareciam muito difíceis, de serem superadas por outras pessoas, e mesmo sobre passados,pela situação.
Nesse momento, naquela casa, os quase seis anos formando meu temperamento em situações semelhantes desmoronaram em segundos.Tentei conter -me ao a  limpeza das feridas, e quando eu levantei minha cabeça e vi meus irmãos e irmãs abraçada ao meu redor e Dona Olegária orando senti fortemente a presença de Deus e nossa Mãe acompanhando-nos, e começou a sair lágrimas do meu olhos

Os instrumentos de Deus para os mais abandonados

Era evidente que em todos os momentos Dona Olegária sentia dor, mas em nenhum momento ela demonstrou.

Mais tarde, nós a levamos ao centro de saúde para que ela pudesse receber os medicamentos necessários. No caminho, a neta dela nos contou que a nossa avó é mãe de 16 filhos, que a abandonaram e a esqueceram.

Graças, que nos animamos a dizer “Missioneiros, mais uma casa e depois partimos”, Dona Olegária pode receber a bênção de nossa Mãe e os cuidados médicos que ela precisava, que foi um exemplo de como somos apenas instrumentos de Deus nessas missões.

Para aqueles que me perguntaram que são as MUCs, respondo-os com o nome de Dona Olegária.

Missões da Universidade Católica (MUC)

Original:  Espanhol 04 de Abril  2018. Tradução: Glaucia Ramirez, Ciudad del Este, Paraguai

Etiquetas: , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *