María Ayuda

Colocado em 2021-03-01 In obras de misericórdia, Schoenstatt em saída

Apesar da pandemia, 18 crianças gozaram férias na praia e na horta

CHILE, María Ayuda, Francesca Wüllfrodt, através de mariaayuda.cl

Os 18 rapazes e raparigas dos seis aos 18 anos de idade da residência de Maria Ayuda “Padre Alfonso Boess” em Viña del Mar puderam desfrutar este Verão, apesar da pandemia e das quarentenas. O programa de férias que implementaram, em conjunto com os estabelecidos pelo plano Passo a Passo, permitiu-lhes, desde Dezembro, sair, incorporando nalguns deles a equipa técnica e os trabalhadores dos cuidados directos, bem como outras actividades. —

María Ayuda“Às terças-feiras temos dia de praia, aproveitando a permissão do plano do governo. Às quartas-feiras trabalhamos com eles, aqui em casa, no cuidado do corpo e temos tardes de piscina, campeonatos de tacataca e ping-pong. Conseguimos até criar um projecto de horta, que lhes permitiu trabalhar a terra, cuidar das plantas e descomprimir de uma forma mais terapêutica. Tem sido muito satisfatório”, diz Barbara Aguilera, directora da casa.

A isto, juntam-se às quintas-feiras, as actividades desportivas, em que um dos monitores estabelece uma rotina na orla marítima, se utilizam as máquinas de exercício funcionais localizadas perto da praia, trabalhando, entre outras coisas, em formas de canalizar a energia e o controlo de impulsos. Às sextas-feiras, têm actividades internas divertidas na residência, preparando-se para o fim-de-semana, que, por estes dias, se tem de viver em quarentena.

“Quando saem são felizes, porque o que mais ressentiram durante esta pandemia é a quarentena do fim-de-semana. Já tivemos um ano complicado com o confinamento total, em que perderam a sua rotina escolar, a sua estrutura e, nesse sentido, pensar que o Verão ia ser um pouco mais flexível e que vamos regressar a uma situação de quarentena nos fins-de-semana, é muito frustrante para eles. Muitas vezes tivemos crises e tivemos de explicar às crianças e trabalhar mais com elas, mas é muito compreensível que, isto lhes aconteça”, diz a directora, que acrescenta que são os educadores e as suas capacidades que têm de lidar com eles durante os fins-de-semana, brincando com eles, motivando-os e proporcionando-lhes um vínculo afectivo que perdure.

Por estes dias, as crianças estão num passeio em Papudo que durou toda a semana e onde apreciaram a praia e os circuitos de trekking, para chegarem com as baterias recarregadas e se prepararem para o regresso às aulas durante a última semana de Fevereiro.

Para que tenham todos os materiais escolares

Em Março, estas crianças, bem como as crianças e adolescentes de todas as residências de Maria Ayuda, podem regressar às aulas, e nós podemos ajudar as cerca de 500 crianças e adolescentes que vivem nas residências em todo o Chile, a terem o que precisam para regressar às aulas semi-presenciais e, a terem todos os seus materiais de estudo e ferramentas para fazer os trabalhos de casa a partir das residências. Por este motivo, até 31 de Março, Maria Ayuda lançou a sua campanha de regresso às aulas de 2021, intitulada “Mais do que um regresso às aulas, o início de um futuro melhor”.

No Chile, será através da compra de cartões de oferta associados a uma oferta específica: computador para a residência: $100.000 pesos; lista de material escolar por criança: $30.000 pesos; sapatilhas por criança: $15.000 pesos. De todos os outros países se pode ajudar através de um donativo generoso e solidário.

O P. Francisco Pereira explica a necessidade:

“Se perguntássemos aos rapazes e raparigas das nossas residências, que estiveram todo o ano com um sistema à distância, não há dúvida que prefeririam, espontaneamente, regressar às aulas presenciais. Para eles o confinamento tem sido tremendamente difícil, além de ser uma grande desvantagem para seguirem as matérias de uma forma não presencial. Os computadores não são suficientes e o acompanhamento de cada criança é impossível, porque numa residência o pessoal não cumpre as tarefas de acompanhamento escolar. Seriam necessários voluntários de apoio, como tem acontecido em alguns casos, que estejam presentes durante todo o ano para ajudarem nos trabalhos de casa.

Esta é outra desvantagem do sistema residencial para crianças vulneráveis, que obviamente não são consideradas como decisores. Os lares residenciais não são uma escola, nem é possível receber apoio de pessoas de fora, de modo que é impossível, para as crianças mais novas, estar-se em dia com os seus trabalhos de casa.

Mais uma vez, é a solidariedade sob a forma de voluntários de apoio escolar em cada cidade que tornará possível aos nossos beneficiários, que vivem em diferentes residências da nossa instituição em todo o Chile, não continuarem a ser vítimas de uma discriminação de que a opinião pública nem sequer está consciente.

Talvez como cristãos tenhamos uma motivação especial para exercer nesta Quaresma que iniciou actos de amor e solidariedade com os mais vulneráveis, oferecendo-lhes o nosso apoio, quer pessoalmente quer à distância. Convido todos vós a viverem estes dias de preparação para a Semana Santa com a melhor atitude de ajudar os mais necessitados”.


María Ayuda é uma instituição fundada em 1983 pelo Padre Hernán Alessandri Morandé cuja principal função é a reparação e prevenção de maus tratos infantis (abuso, violência e negligência).

Página institucional: www.mariayuda.cl

Como ajudar
Faz um donativo (ES)

Conta bancária na Europa:
Schönstatt-Patres International
IBAN: DE 33 4006 0265 0003 1616 03
BIC: GENODEM1DKM
Ao cuidado de: María Ayuda Chile

Mais informação: www.mariaayuda.cl (ES)

Maria Ajuda – Chile

Original: Espanhol (27/2/2021). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *