Colocado em 2020-10-29 In Vida em Aliança

O Ramo das Mães na Costa Rica dá resposta à realidade da mulher

COSTA RICA, Marta Herrera •

O Movimento de Schoenstatt na Costa Rica tem tido um crescimento considerável nos últimos anos. A grande oportunidade de crescer e de nos unirmos à sombra do nosso Santuário Filial “Família de Esperança”, não só entre os membros dos diferentes Ramos que existem no seio do Movimento na Costa Rica, mas também com pessoas da comunidade e de fora que estão habituadas a visitar física e virtualmente este lugar de graças. Fazem-no participando, não só nas diferentes actividades organizadas, tais como palestras, etc., que são abertas, mas também nas celebrações eucarísticas diárias. —

Embora seja verdade que os diferentes Ramos do Movimento têm sido favorecidos, o Ramo das Senhoras (Mães) não tem sido excepção. Foi aproximadamente no ano 2000 quando deu os seus primeiros passos e, ao qual pertenço desde 6 de Agosto de 2008, com grande orgulho e felicidade. Durante aproximadamente 18 anos, este Ramo trabalhou de manhã, em que fomos acolhidas, formadas e educadas pela MTA para realizarmos, com magnanimidade, a nossa vida quotidiana nas suas diferentes áreas, como esposas, mães, filhas, irmãs, etc., procurando não só, o nosso crescimento espiritual, mas também tornar o nosso ambiente tão agradável quanto possível.

Grupos em horário nocturno

Ao longo do tempo, o mundo sofreu mudanças que, de uma forma ou de outra, afectaram as nossas vidas, bem como as das nossas famílias. A incorporação massiva das mulheres no ambiente de trabalho, quer se chame empresarial, governamental ou outro, tem sido uma delas, duplicando assim o seu trabalho diário, porque elas continuam e continuarão a ser “figuras muito importantes” como mães e esposas, mas ao mesmo tempo, conseguem colocar as suas incomparáveis qualidades e talentos femininos dados por Deus de uma forma especial para cada uma, num ambiente de trabalho dentro da sociedade em que estão imersas.

Foi assim que, na Costa Rica, as dirigentes do Ramo das Mães daquela época, muito justamente, se entregaram à tarefa de criar grupos à noite, ouvindo muito as vozes do tempo e as petições das senhoras que o solicitaram. Com o apoio do nosso conselheiro Padre José Luis Correa, foi possível abrir este novo nicho para satisfazer as necessidades, sendo o dia 21 de Março de 2018 um dia memorável, pois conseguimos trazer mulheres jovens (em idade), com poucos anos de casamento, com filhos pequenos, grávidas ou com a esperança de conceber.

Tem sido uma verdadeira bênção poderem contar com esta maravilhosa formação que os meios ascéticos do nosso Movimento nos proporcionam; ouvir os seus comentários, histórias e testemunhos. Fiz parte disso e posso garantir que as dificuldades, diferenças e “pequenas pedras” que todas nós temos de ultrapassar no nosso dia-a-dia, nos diferentes papéis, não seriam ultrapassadas da mesma forma, sem a ajuda do caminho percorrido e dos ensinamentos do nosso amado Movimento.

Para além das fronteiras

Não importa se dentro do mesmo grupo, algumas devido aos seus traços de personalidade, outras devido à sua disponibilidade, talentos ou empenho, experimentarão os benefícios, mais rapidamente ou mais lentamente. O importante é que posso atestar que todas beneficiaram e foram ajudadas, não só nas suas vidas pessoais, mas também nas suas vidas familiares e profissionais. Este primeiro grupo -Rosario de Estrellas-, treze membros no total, vale a pena mencionar que, não são apenas costarriquenhas, mas que se juntam de outros países do nosso continente, como: Argentina, Canadá, El Salvador e Venezuela. Este grupo será uma parte muito importante na história do nosso Ramo e do nosso país, pois serão as pioneiras de um novo caminho que, com grande fé e ilusão, esperamos que seja uma grande oportunidade para muitas senhoras que, como elas, têm saudades e desejam poder participar no nosso Movimento com um horário fácil, o que lhes permitirá cumprir as suas obrigações familiares e laborais ao mesmo tempo.

O Covid-19: um verdadeiro estímulo

Estas pioneiras a quem me referi, conseguiram no dia 20 de outubro de 2020 o momento tão desejado: selar a sua Aliança de Amor, que teve de ser adiada em várias ocasiões e por diferentes razões. De uma forma ou de outra, todos elas estiveram envolvidas (e nunca o esqueceremos) a nível mundial. A Covid-19, contudo, longe de ser um motivo de desilusão, desinteresse ou abandono, foi precisamente o oposto: força, compromisso e muito mais desejo.

Aproveitaram cada minuto de espera para se formarem, para fortalecerem os seus laços, para acumularem contribuições para o Capital de Graças e para terem uma preparação mais completa, na qual todas e cada uma delas puderam, não só a nível pessoal, mas também como comunidade, coincidir no desejo de a alcançar e conquistar; algumas delas em pessoa e outras virtualmente, mas todas com o coração aberto, sabendo que este grande acontecimento mudaria as suas vidas para sempre e para melhor. Foi bonito experimentar o selo individual que cada uma conseguiu colocar no seu momento, tornando-o muito emocional e belo.

Uma tarefa

Sabem que terão de “expressar” e pôr em prática a sua Aliança de Amor, pois com ela poderão experimentar as bênçãos para elas e para os seus entes queridos todos os dias, vivendo cada momento – não importa o que seja – com um olhar de fé e esperança. Pedirei todos os dias, como muitos outros companheiras do meu Ramo, que todos elas, a seu tempo, possam também dar a outras, a oportunidade de viverem e sentirem o que experimentaram com a graça de Deus.

Original: Espanhol (27/10/2020). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *