amanece

Colocado em 2021-01-04 In Madrugadores

“Diz-nos, sentinela, o que vês na noite? Chega a manhã…”

MADRUGADORES, Octavio Galarce •

“Diga-nos, sentinela, o que vês na noite? Chega a manhã…”. Gosto deste texto de Isaías 21, 12. Nesta ocasião serve-me para o usar como metáfora em relação ao que vivemos, nos Madrugadores, neste ano que termina nos diferentes países e comunidades. —

Tal como o sentinela, em relação ao que diz sobre a forma de ver o que estava a acontecer no mundo com a pandemia, não pudemos permanecer na penumbra e na escuridão da noite, para ver com nitidez e confiança a grande opção que Deus nos estava a dar: transformar a escuridão em claridade, a fim de superarmos os obstáculos. É uma ocasião privilegiada para crescer e seguir essa luz com a qual Deus nos mostrou o caminho. “Diz-nos, sentinela, o que vês na noite? Chega a manhã…”

O confinamento despertou a criatividade

O que, claramente, era um grande obstáculo (o confinamento forçado pelas autoridades sanitárias e governamentais) na realização das nossas habituais Madrugadas quinzenais , não conseguiu fazer-nos desistir e abandonar os nossos sonhos e compromisso de voltarmos a colocar na presença de Deus tantos homens que, se afastaram da casa do Pai e da Igreja. Amanhecer que muitos esperavam, ansiosamente, primeiro no encontro de oração e depois nos pequenos-almoços, com longos momentos de conversa e sobremesa, partilhando as alegrias e tristezas da quinzena passada.

A distância ou afastamento físico, que tem causado muitas e graves dificuldades a tantas pessoas, no caso da maioria das comunidades de Madrugadores de todo o mundo, rapidamente despertou a criatividade e a adaptação a esta “longa noite” pela qual tivemos de passar e a tecnologia mostrou-nos possibilidades, como nunca antes, de mantermos as nossas reuniões habituais através do Zoom e de as projectarmos para além da realidade local, de entrarmos em contacto com outras comunidades nos nossos próprios países e para além das nossas fronteiras. Hoje, atrevo-me a dizer que, quase todas as comunidades que utilizam a plataforma Zoom têm, não só convidados nacionais, mas também vários estrangeiros de diferentes países que partilham a Madrugada.

Amanece

Globalidade

A globalidade enriqueceu-nos, encurtou as distâncias, deu-nos um sentimento de pertença muito mais amplo, mais universal. Recentemente, pudemos fundar na Venezuela a primeira comunidade de Madrugadores, composta em grande parte por venezuelanos que Madrugam em diferentes países, mas a cada 15 dias têm a sua própria Madrugada. Temos uma coordenação que integra os 17 países nos quais existem comunidades de Madrugadores. Tivemos actividades internacionais que, deixaram vínculos muito profundos e estreitos. A celebração do Advento organizada pela Espanha no início de Dezembro foi a última actividade que, levámos a cabo em conjunto. Estamos a começar a sonhar em ter o nosso primeiro encontro internacional de Madrugadores dentro de mais 3 ou 4 anos.

Madrugadores em saída

Cada país, de acordo com a fase de crescimento em que se encontra – alguns funcionam há um bom número de anos, outros acabam de ser fundados no decurso dos últimos anos ou durante este ano – realizou actividades de todos os tipos e, com um propósito variado, seja para aprofundar a nossa espiritualidade, seja para projectar a Madrugada como um apostolado ou para prestar um serviço de solidariedade. Exemplos disto são as oficinas da Aliança para aqueles que queriam saber algo sobre a espiritualidade de Schoenstatt; a oração do Terço com outros e com realidades muito diversas tais como os lares para idosos e as prisões; “panelas comuns” ou serviços alimentares para os mais necessitados; reuniões de oração partilhando a experiência da Madrugada a nível diocesano com convites aos párocos e respectivas comunidades; Madrugadas diocesanas e nacionais “não presenciais”, etc.

É impossível não reconhecer a tremenda luz que a sentinela nos mostrou nesta longa noite, que para todos nós se tornou o maior presente recebido pelos Madrugadores até agora: no final de Abril, o Papa Francisco escreveu-nos uma carta e depois no dia 2 de Maio participámos com ele numa Missa que ele celebrou na capela de Santa Marta no Vaticano. Numa breve apresentação às mais de 160.000 pessoas que estavam ligadas, ele apresentou-nos com estas palavras: “Hoje, sábado, 2 de Maio, 300 grupos de oração chamados “Madrugadores”, em espanhol, juntam-se a nós em oração. São os Madrugadores. Levantam-se muito cedo para rezar, levantam-se muito cedo para a oração. Hoje, unem-se a nós neste momento. A sua carta e a sua saudação têm sido um grande apoio e uma “chave” que tem aberto muitas portas que nos comprometem e nos encorajam a continuar.

Somos muitos mais…

“Diz-nos, sentinela, o que vês na noite? Começa a manhã…”. No final deste ano somos muitos mais, temos crescido e há vários países em processo de fundação. Vemos uma nova aurora que nos desafia a sermos fiéis à tarefa ou dom que Deus nos confiou e que, nada mais é do que arriscar tudo, para O deixarmos entrar nas nossas vidas, para sermos capazes de transformar o mundo e, com o nosso testemunho de vida, de aproximar outros homens, de mostrarmos o grande dom que recebemos àqueles que estão longe, nas periferias, para que Deus também possa reinar nos seus corações.

Obrigado, Senhor, pelo que nos deste este ano. Rezamos especialmente por aqueles que já prepararam a grande Madrugada no Céu e que morreram em resultado do Covid. São uma oferta enorme que fecunda tudo o que fazemos. 2021, aqui estamos nós!

Amanhece. Acordem. Mãos à obra.

Amanece

Original: Espanhol ( 2/1/2021). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *