Colocado em 28. Dezembro 2019 In Casa Mãe de Tuparendá, obras de misericórdia

Casa Mãe de Tupãrenda: Um ano de pura Fé Prática na Divina Providência

PARAGUAI, Pe. Pedro Kühlcke •

Este ano de 2019 foi muito especial para a nossa querida “Casa Mãe de Tupãrenda”, para os seus participantes e para todos os que a apoiam! —

Nós sempre tivemos belas conquistas

Sempre tivemos belas conquistas, especialmente com os participantes que se formam e depois nos contam alegremente sobre a sua nova vida como profissionais. Não me esquecerei do telefonema de um dos nossos graduados, que me disse com grande surpresa: “Pa’i, no trabalho disseram-me para não vir trabalhar durante duas semanas, e eu ainda vou ser pago! Não entendo o que está a acontecer.”  Acontece que, após completar o programa na Casa Mãe de Tupãrenda (CMT), ele já tinha trabalhado um ano inteiro como padeiro profissional, com muito bom desempenho, e estava de férias. Para muitos de nós isto é algo muito evidente, mas para um jovem que esteve na rua e na miséria toda a sua vida, foi uma experiência totalmente nova: férias! – um tempo sem trabalhar, mas ainda recebendo o seu salário.

Nós sempre tivemos dificuldades e grandes desafios também

Nós sempre tivemos dificuldades e grandes desafios também. O maior tem sido sempre como lidar com as grandes despesas que este programa muito benéfico implica. Do Ministério da Justiça fomos generosamente apoiados, mas isso nunca foi suficiente. Graças a eventos, actividades, etc., pudemos cobrir um pouco mais. Mas se não fosse pela generosidade de tantos benfeitores, a CMT já teria tido de fechar as suas portas há muito tempo!

Este ano foi especialmente difícil, pois em Maio o Ministro da Justiça informou-nos que já não podia financiar o nosso programa – um verdadeiro golpe, totalmente inesperado! Mas a Mater sabe fazer as coisas: graças à iniciativa da nossa Directora, Ani Souberlich, e da nossa “colaboradora número um”, Maria Fischer, conseguimos a adesão de muitos benfeitores, em assumirem o compromisso de patrocinar um ou mais jovens beneficiários da CMT. Graças a Deus e a todos eles, pudemos continuar a funcionar durante todos estes meses em que não tivemos nenhuma contribuição do Estado!

Ajuda do Ministério do Trabalho

Claro que também nos perguntámos que outros passos Deus e a Mater queriam que déssemos, para que a CMT fosse mais sustentável. Rezando muito e aplicando os ensinamentos do Pe. Kentenich sobre a “Fé prática na Divina Providência“, descobrimos que tínhamos de avançar em dois aspectos importantes.

Por um lado, como o Ministério da Justiça não tinha mais fundos para nos apoiar, decidimos procurar a ajuda do Ministério do Trabalho. Eles receberam-nos de braços abertos e com muito interesse no nosso programa.  Perceberam que na CMT estamos a promover uma inserção laboral muito eficaz para os jovens que provêm de um ambiente de extrema marginalização e exclusão.

Após muitas negociações e longos procedimentos, conseguimos assinar um acordo e, com muita alegria e alívio, recebemos em meados de Novembro um desembolso económico muito significativo.

O Dr. José Marín Massolo, Presidente da Fundaprova, acrescentou: “Esta descrição do nosso ano é muito exacta, é impressionante como nos diz repetidas vezes a Mater, ego diligentis me diligo . Gostaria apenas de acrescentar que a contribuição do Ministério, por razões de classificação orçamental, não inclui a bolsa que concedemos aos rapazes, e que é um factor fundamental para os comprometer com o programa e para os manter afastados do mundo e das actividades criminosas. Para isso, graças a vocês, ainda precisamos do apoio generoso de todos, um abraço a todos e um Natal muito feliz”.

 

Rumo à auto-sustentabilidade

Por outro lado, há muito tempo que temos vindo a acalentar o sonho da auto-sustentabilidade do nosso programa. Que bom seria fundar uma empresa que proporcionasse a alguns dos nossos licenciados um trabalho decente e que ajudasse a financiar a CMT! Com os olhos da Fé Prática vimos que era hora de começar a tornar este sonho uma realidade. A “Kindermissionswerk” da Igreja Católica Alemã comprometeu-se a financiar o equipamento de uma padaria profissional, como o primeiro passo deste sonho. Graças a Deus também conseguimos algumas doações importantes para iniciar a construção, e com a bênção de Deus e da Mater, na quinta-feira, 12 de Novembro, pudemos fazer a “Primeira pá” para esta obra, como relata o nosso advogado Ricardo Acosta no outro artigo.

Sem vocês a Casa Mãe de Tupãrenda não teria sobrevivido, e nós não teríamos conseguido chegar onde estamos agora!

Quero agradecer especialmente a todos os nossos benfeitores, todos vocês que de diferentes formas nos apoiam, porque acreditam que estes jovens merecem um futuro melhor e mais digno. Sem vocês a Casa Mãe de Tupãrenda não teria sobrevivido, e nós não teríamos conseguido chegar onde estamos agora! Por favor, não deixem de nos apoiar! Precisamos de terminar o trabalho, e precisamos que a CMT possa continuar a funcionar no próximo ano, e muitos anos mais!

Saibam que estão sempre nas nossas orações, e contem com a nossa gratidão e um enorme “Deus vos pague”!

Pe. Pedro Kühlcke

 

 

Página oficial

Todos os artigos da Casa Mãe de Tupãrenda

Para fazer doações – que realmente são necessárias:



 

Para transferências bancárias

Nome: Schönstatt-Patres International e. V.
IBAN: DE91 4006 0265 0003 1616 26
BIC/SWIFT: GENODEM1DKM
Ao cuidado de: Pe. Pedro Kühlcke, Casa Madre de Tupãrend
a

 

 

Fotos: A. Souberlich, M. Fischer

Original: espanhol (21/12/2019). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *