Colocado em 2020-04-17 In A Aliança de Amor Solidaria em tempos de coronavírus

Os presentes de Deus durante a quarentena

CHILE, Pablo Gaete Martínez, Região de Ñuble •

Há um bom número de anos (doze para ser exacto) que não escrevia para a Família Internacional, mas talvez este momento histórico que estamos a viver como Humanidade me tenha feito reconsiderar a ideia de fazer um artigo. —

Santuario Monte Horeb, Chillán

E os contextos em que o CoronaVirus mudou as nossas vidas e até a nossa forma de viver e de ser comunidade, de viver a Aliança, em resumo: a forma de ser Família e de viver em Família em Schoenstatt.

O Santuário a que pertenço chama-se Monte Horeb, na Diocese de Chillán, localizada geograficamente na jovem região criada em Ñuble (até Setembro de 2018 éramos uma província da Região Bio-Bio) e no próximo dia 18 de Novembro celebrará o seu 25º Aniversário; por isso estamos a viver o jubileu, tendo iniciado as actividades no ano passado.

E em pleno Jubileu, o COVID 19 mudou tudo.

Entrando neste contexto do Jubileu do Santuário, antes do Coronavírus andava à procura de um emprego e, ao mesmo tempo, continuava os meus estudos para obter uma pós-graduação em Religião na universidade. No dia seguinte, Domingo 8 de Março, foi organizada uma Missa à última hora no Santuário que o Padre Marcelo Aravena celebraria, sem nunca pensar que seria a última vez que lá iria (é importante assinalar que no Santuário a que pertenço há Missas nos primeiros Domingos do mês desde que os Padres de Schoenstatt e as Irmãs vêm de Concepción para atenderem a Família de Chillán uma ou duas vezes por mês e as Missas da Aliança são geralmente celebradas por um sacerdote diocesano). Até esse momento, tudo era normal.

Nessa altura, muitos de nós tínhamos tudo ou quase tudo planeado para este ano, para irmos ao encontro dos do Movimento do Monte Horeb. Em duas semanas, exactamente no sábado, 21 do mesmo mês, estava preparada uma viagem para o início do ano no Movimento, quando por instruções governamentais, eclesiásticas e do Secretariado Nacional de Schoenstatt tudo foi suspenso até agora.

Nesse momento, não só os meus planos, mas também os de muitos de nós mudaram e isso também iria mudar as nossas vidas de uma forma ou de outra

A pandemia, a vida em comunidade, a tecnologia e o reforço do carácter familiar.

Na zona onde vivo, a região do Ñuble, as perspectivas não eram animadoras: muitos infectados, psicose, pânico, medo, vários mortos, estar em nossas casas para não nos infectarmos a nós próprios nem aos outros (alguns dos que estavam nos cuidados intensivos eram conhecidos nossos) e a parte mais triste, sem sequer podermos estar nos funerais de alguns deles por precaução. As notícias e os programas de televisão falavam apenas deste vírus, mas também nos permitiu vivenciar mais em casa o que é a fé , graças à tecnologia e às redes sociais.

No meu caso particular, partilhei informações e momentos de oração no grupo Whatsapp do Movimento em Chillán – entre outros – mas Deus quis dar-me um presente neste momento: ter a possibilidade de participar em Missas, mesmo que seja praticamente de outros Santuários ou comunidades de Schoenstatt, as reflexões dos Padres e Irmãs, cantatas, adorações, etc., mas os dons de Deus não parariam.

A pedagogia do vínculo com a Virgem Maria e o Santuário durante a quarentena.

Na Páscoa recebi o convite para uma coisa que era impensável para mim: um retiro online. Sim! Virtual! Foi organizado pela Juventude do Cenáculo da Fundação Santuário de Viña del Mar e foram dias intensos, profundos, com testemunhos e reflexões que estavam muito de acordo com a quarentena que estamos a viver e se a isto se acrescentar a Via Sacra, e as Homilias dos diferentes Padres de Schoenstatt, assim como as palestras das Irmãs através do Youtube, Facebook, Instagram e Zoom (ES), fizeram dela a Semana Santa mais especial de todas, pois vivo em San Carlos, a 28 km do Santuário (fechado por causa da quarentena obrigatória em que Chillán se encontra).

Como assinalei anteriormente, o facto de os sacerdotes virem uma ou duas vezes por mês com a possibilidade de os ter à mão – mesmo que seja de modo virtual – permite aproveitar e reforçar algo muito característico de Schoenstatt, que é o que entendo como a pedagogia do vínculo através da Aliança de Amor com Maria e as três graças que emergem do Santuário.

Quarentena, hora de repensar

Reunião virtual

Estamos a viver, como sociedade, algo que começamos a conhecer que se chama Coronavirus ou COVID 19. Este tempo de quarentena coincidiu apenas com duas coisas: a época litúrgica da Quaresma – que já terminou – e, no Chile, veio no momento mais complicado, produto de uma crise social e política de meses, que nos polarizou entre nós e que foi acompanhada de um ano eleitoral intenso. Estes acontecimentos anteriores já nos fizeram reflectir sobre a nossa sociedade, sobre a nossa Igreja e também sobre algumas reflexões e mudanças enquanto schoenstatteanos. Mas algo mais viria.

Também o COVID 19 não distinguiu classes, raça, sexo e religião. E o estarmos nas nossas casas tem-nos mostrado imagens surpreendentes: como a dos animais que passeiam pela cidade ou como a natureza tenta reconstruir aquilo que nós, enquanto seres humanos, destruímos directa ou indirectamente e que o próprio Papa Francisco, na sua encíclica Laudatus Si, já nos tinha advertido.

Mas, apesar da angústia que possamos ter, porque não sabemos quando retomaremos as nossas actividades, há algo que devemos ter presente quando esta pandemia passar: repensar as nossas relações uns com os outros; como as redes sociais nos fizeram muitas vezes cair no isolamento físico e perder o contacto mesmo com aqueles que amamos; repensar as nossas vidas. Será que vamos voltar a ser como éramos antes da pandemia? Como vamos cuidar da casa comum? etc. É mais uma grande oportunidade que Deus nos oferece.

O que aconteça depois desta pandemia gera incerteza e dor; mas devemos ter esperança, pois, como filhos de Deus e sendo amados por Maria como Mãe e Educadora, se permanecermos fiéis a Ela, Ela nunca nos abandonará, como o Padre Kentenich assinalou: “Se olharmos as nossas próprias forcas esvai-se toda a esperança e confiança; a ti, Mãe, estendemos as mãos e imploramos abundantes dons de amor. Mesmo nas tormentas e nos perigos, manterás sempre a fidelidade à aliança que selaste connosco e que enriqueceste com tantas graças”. (RC 13,14)

Por isso fomos chamados este 15 de Abril para coroar Maria, desde as nossas casas unidos ao Santuário Original, como Rainha da Saúde Física e Espiritual. Que esta seja uma oportunidade para que Ela seja também Rainha dos nossos corações, das nossas famílias de sangue, da nossa família espiritual e que, com esta coroação, sejamos nós a irradiar o carisma de Schoenstatt para o mundo. Não será fácil no início, mas com Capital de Graças e esforço, os frutos serão muito mais fecundos.

 

Missa Quinta-feira Santa – Padres de Schoenstatt – Stgo Cordillera

Original: espanhol (14/4/2020). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *