Colocado em 2020-04-17 In A Aliança de Amor Solidaria em tempos de coronavírus, Igreja - Francisco - movimentos

Velas nas janelas, sinos e um “flashmob” silencioso de Páscoa

PÁSCOA 2020 em tempos de Coronavírus, María Fischer •

Um Círio Pascal reciclado do ano passado no Santuário-Lar. Uma vela com uma chama LED e uma cruz de Páscoa colada (pela primeira vez na minha longa vida que o faço e sai aceitável) para um familiar num lar de idosos que não posso visitar há semanas. Uma garrafa de água benta encontrada nalgum canto da casa. E o mais importante nesta noite de Páscoa de 2020: uma vela na janela do meu apartamento, para ser acesa, simultaneamente, com a vela de Páscoa na Basílica de São Pedro. Estava tudo pronto para a mais estranha Vigília Pascal da minha vida. Chegou o momento, esse momento de que eu pensava sentir mais falta, em que a luz da Páscoa é partilhada de vela em vela, de fiel em fiel. Acendo uma vela atrás da outra na minha casa, no meu Santuário, neste lugar do meu trabalho à distância, dos meus telefonemas, das minhas Missas virtuais, das minhas mensagens WhatsApp, do meu apostolado como jornalista de schoenstatt.org, ilumina-se, vela à vela, com a luz da Páscoa, neste preciso momento de celebrar a nova luz com o Santo Padre e com centenas de amigos em todo o mundo. O Senhor ressuscitou verdadeiramente. Aqui.

 

Foto: Fischer

Voltámos às celebrações nas casas como as primeiras comunidades. E, ao mesmo tempo, estamos interligados com muitos países, línguas, gerações… talvez mais do que nunca.

“Acenda uma vela na Vigília Pascal”. Esta foi a proposta da COMECE (Comissão das Conferências Episcopais da Comunidade Europeia), e dos PECO (Conselho das Conferências Episcopais Europeias) para esta Páscoa de 2020.  A proposta foi feita a todos os católicos “para espalhar uma mensagem de esperança acendendo uma vela nas suas janelas durante a Vigília Pascal”. Este gesto é “pequeno mas significativo” para dar esperança “neste momento histórico e dramático, em que milhões de pessoas na Europa e no resto do mundo são afectadas pelo sofrimento e pela incerteza causada pela pandemia do COVID-19”, afirmaram os dois presidentes, Hollerich e Bagnasco. “Mais do que nunca, precisamos de cultivar sulcos de irmandade. Juntos e unidos é como vamos ultrapassar este golpe”, dizem eles. Amigos em Madrid acenderam as velas, assim como famílias na Baviera e na Suíça ou jovens em Itália.

“Na Vigília Pascal a partir da capela de Sion, em Florencio Varela, os Padres abençoaram a água e eu pus aquelas duas garrafas de água em frente ao ecrã para serem abençoadas”, diz Claudia Echenique.

Uma família acende um fogo de Páscoa no seu jardim. A luz deste fogo une-se aos raios de luz da lua cheia.

Os sinos da igreja estão a tocar na minha cidade, e da varanda, numa casa a dois ou três quarteirões, vejo a luz de uma vela.

É Páscoa.

 

vela en la ventana en Madrid

Madrid. Foto: Rubio

O Cristo Redentor do Rio de Janeiro vestido de médico

No Domingo de Ressurreição, 12 de Abril, a imagem do Cristo Redentor no Brasil foi iluminada com o uniforme dos médicos do país, em homenagem ao pessoal de saúde que luta para deter o Covid-19.

Do mesmo modo, as bandeiras de vários países, especialmente os mais afectados pela pandemia, como Espanha, Itália, China, Estados Unidos e Brasil, iluminaram a imagem juntamente com a palavra “esperança” em diferentes línguas, para encorajar as nações que estão a combater esta nova doença.

 

Cristo Redentor, Rio de Janeiro. Foto: Twitter

Bênçãos desde o ar, desde os carros e… com uma pistola de água

As imagens do padre americano que abençoou os cestos pascais dos seus paroquianos com água benta de uma pistola de água tornaram-se virais. Criatividade de amor e de fé.

O Padre Darío Bragado Rodríguez, padre e cónego de 90 anos da Catedral Metropolitana do México, deu a bênção à capital do país a partir de um helicóptero neste Sábado Santo.

Alguns sacerdotes da Arquidiocese de Santa Cruz (Bolívia) e também de Sucre, saíram à rua com Jesus no Santíssimo Sacramento para abençoar o povo fiel que permanece nas suas casas a fim de impedir a propagação do Covid-19. O mesmo aconteceu na Suíça e em outros países.

No Domingo de Páscoa, às 8 e meia da manhã, desde a costa venezuelana das Caraíbas, Monsenhor Raúl Biord, Bispo de La Guaira, abençoou com o Santíssimo Sacramento o Mar das Caraíbas, todos os povos que nele habitam e o mundo inteiro.

Em Ciudad Bolivar, Venezuela, o Pe. Antonio Valladares abençoou com o Santíssimo Sacramento do mais alto da torre da Catedral Metropolitana.

Monsenhor Ulloa percorreu San Miguelito e Panamá no papa-móvel para dar a bênção neste Domingo de Páscoa.

Em Espanha, como em muitos outros países, os sinos de todas as igrejas tocaram ao meio-dia de 12 de Abril, Domingo de Páscoa, para expressar a esperança que nasce da vitória de Cristo sobre a morte.  “A Igreja é a depositária da esperança que brota da fé em Cristo que morreu e ressuscitou e é partilhada na caridade. Tocamos os sinos para oferecer esta esperança àqueles que mais precisam dela hoje”, concluíram os Bispos do país.

A América Latina consagrada à Virgem de Guadalupe

Numa cerimónia presidida pelo Arcebispo Primaz do México, o Cardeal Carlos Aguiar Retes, América Latina e Caraíbas, foram consagradas neste Domingo de Páscoa a Nossa Senhora de Guadalupe, pedindo a Sua intercessão para o fim da pandemia de Covid-19.

Depois que ao meio-dia ressoaram os sinos de muitas catedrais na América Latina, celebrando a consagração, o Cardeal Aguiar Retes, acompanhado pelo Núncio Apostólico no México, D. Franco Coppola, e vários Bispos e sacerdotes, iniciou a celebração da Missa na Basílica de Guadalupe, um templo que conserva o manto onde a imagem da Virgem Maria foi miraculosamente impressa em 1531.

A celebração decorreu à porta fechada e foi transmitida pelas redes sociais e pelos meios de comunicação social.

De repente, este acto de esperança já tem acções concretas. A aliança do Episcopado mexicano e dos empresários para fazer uma “Cadeia Solidária de Alimentos e Medicamentos” face aos efeitos da pandemia: desemprego, escassez de alimentos e de medicamentos. A consagração à Virgem de Guadalupe “desencadeará no México uma campanha nacional de “doação de alimentos e medicamentos” para obter “famílias sem fome”, uma aliança que quer chegar aos mais pobres e “acompanhar cada pessoa, para encarnar a experiência de misericórdia, comunhão e solidariedade” (Cfr. PGP 24). Este é o primeiro milagre.

Em breve iremos publicar mais exemplos deste tipo de alianças.

«O Senhor, ¡ressuscitou!» – Foto: Fischer

O flashmob silencioso da Páscoa na Alemanha

Olhando pelas janelas no Domingo de Páscoa ensolarado, muitos alemães não podiam acreditar nos seus olhos. Havia mensagens de Páscoa escritas nas ruas: O Senhor ressuscitou! Jesus vive! Aleluia!

Foi uma ideia dos cristãos luteranos em Potsdam, uma cidade perto de Berlim, na Alemanha, que apenas alguns dias antes da Páscoa lançou a ideia de um “‘flashmob” silencioso de Páscoa:

Domingo de Páscoa, 12 de Abril de 2020 – a partir das 5 horas da manhã.

Pegue num pedaço de giz e pinte na calçada perto do seu apartamento:

“Jesus, o Senhor, ressuscitou!”

Centenas de fotos encheram as redes sociais sob o hashtag #osterflashmob.

Centenas de pais que caminharam com os filhos (na Alemanha ainda é possível sair em família ou sozinhos) tiveram de explicar aos filhos o que isso significava e, por vezes, foram as crianças que o explicaram aos pais…

A Páscoa nas ruas, a Páscoa fora das igrejas. Páscoa em saída. Na nossa Galileia, como disse o Papa Francisco.

 

«Jesus, o Senhor, ¡ressuscitou!» – Fotos: #osterflashmob

 

Foto acima: iStock Getty Images, ID:1005118072, © Petra Ambolt

 

Original: espanhol (14/4/2020). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *