San José faro

Colocado em 2021-03-21 In Ano de S. José

São José, um “farol” claro, firme e simples de santidade no meio dos tempos desafiantes de hoje

Pe. Javier Arteaga, Argentina •

Estamos a caminhar no Ano de São José convocado pelo Papa Francisco por ocasião do 150º aniversário da declaração de São José como “Padroeiro da Igreja Católica”, feita por Pio IX a 8 de Dezembro de 1870. A pessoa de São José tem estado muito presente na vida da Família de Schoenstatt. A sua imagem acompanha-nos nos Santuários, por vezes com o bastão de lírios, outras vezes como o santo do trabalho, e outras vezes juntamente com o Menino Jesus e a Sua Mãe como a Sagrada Família. —

O nosso pai e fundador pregou sobre São José com grande afecto, especialmente a 19 de março, a solenidade do seu santo padroeiro. Sublinhou a importância da missão de São José, tanto para toda a Igreja, como para o nosso tempo e especialmente para a nossa Família. Por esta razão, nomeou-o segundo patrono da Família de Schoenstatt, impulsionou a Aliança de Amor com São José como um aprofundamento da Aliança de Amor com Maria, e em situações de extrema necessidade, consagrou a família a São José colocando-a sob a Sua protecção e poderosa intercessão.

A pessoa de São José é um “farol” de virtudes. Neste dia, gostaria de partilhar apenas quatro traços de São José que nos podem iluminar.

1O homem de fé e esperança inabaláveis

Tal como Deus revelou os Seus planos a Maria através do Anjo, Ele também os revelou a José através do Anjo, muitas vezes em sonhos.

O Papa Francisco, na sua Carta Apostólica “Patris Corde“, diz-nos que José não é um homem que se resigna passivamente perante as dificuldades e desafios da vida. Pelo contrário, é um protagonista corajoso, que tem a força de aceitar a vida tal como ela vem porque acredita no Deus que guia e acompanha a sua vida: “A tua mão e o teu cajado estão comigo” (Salmo 23,4).

Em todas as circunstâncias da sua vida, José acredita, diz Sim, com inabalável confiança e esperança em Deus, como Maria.

2José ama e cuida da sua família

A missão de São José era amar e cuidar de Jesus e Maria, e ajudar Jesus a crescer para que Ele pudesse cumprir a Sua missão redentora para o bem de toda a Humanidade.  É por isso que o Pai Fundador diz: “Qual era a tarefa de José? Tomar conta do Menino e da sua Mãe. Essa é a tarefa que ele tinha e ainda tem, para garantir que o Menino nunca seja separado da Sua Mãe”.

Ninguém na terra amou Cristo e Maria mais do que São José. Desta forma, podemos dizer que José foi o primeiro a selar a Aliança de Amor com Maria. O Pai e Fundador recomendava que pedíssemos a São José que nos ensinasse a amar e a seguir Cristo e Maria com doação total e generosa de nós próprios como ele os amava.

3Pai honesto e trabalhador

São José era um carpinteiro – um pedreiro que trabalhava honestamente para assegurar o sustento da sua família. Com ele, Jesus aprendeu o valor e a dignidade do trabalho, e a alegria de comer o pão como fruto do próprio esforço. Aprendeu que, o trabalho é uma oportunidade para desenvolver o potencial próprio, o crescimento pessoal e o serviço aos outros.

No nosso tempo, quando o desemprego, o trabalho marginal (e por vezes escravizador) atingem níveis impressionantes, é necessário compreender o significado de trabalho digno e dignificante, do qual São José é um Padroeiro exemplar. O nosso Pai Fundador diz-nos: “Por amor à sua esposa e por amor ao Menino (São José) ele cumpriu com simplicidade os seus deveres diários. Ele é o grande modelo do Santo dia do trabalho”. (sermão PJK. 1934).

4Pai transparente do amor paterno / materno de Deus

As palavras do Evangelho de São Mateus: “José levanta-te, toma o Menino e a Sua Mãe” (Mt, 2,13), mostram um aspecto central da missão de José, que o Pe. Kentenich repetiu inúmeras vezes, como sendo a nossa tarefa: “José levanta-te, toma o Menino e a Sua Mãe”.  A tarefa de José torna-se a nossa tarefa: queremos tornar possível que a Mãe de Deus leve o Senhor a todo o lado. Também para este momento que estamos a viver é válida a recomendação:  Levanta-te! Sim, queremos elevar-nos espiritualmente, despertar de novo, tomar consciência da grande missão da Família. (…) José, levanta-te! Este é um apelo a despertar de novo, a superar a rotina diária para fortalecer a consciência de que todos nós, como filhos de Maria, temos de nos tornar seguidores determinados de Cristo. (…) O que eu estava a pensar, ao querer celebrar juntos o dia da minha onomástica, e faço isto com todo o meu coração, era que devíamos fazer nossa, a tarefa de José. É por isso que XX (cada um dá o seu nome), levanta-te e toma o Menino e a Sua Mãe! (PJK. Buenos Aires, 19.3.1951).

Para Jesus José foi o pai que O amou, cuidou e ensinou, e foi, por isso, transparente da paternidade de Deus. O Papa Francisco diz-nos em Patris corde:

“Jesus viu a ternura de Deus em José” (PC. n°2). Daí a grande importância do amor humano como expressão, caminho e garantia do amor de Deus. A este respeito, o Pai e Fundador disse: “Há anos que vimos dizendo que uma das mensagens nucleares de Schoenstatt é a da paternidade de Deus, e a das suas imagens terrenas, os seus transparentes, como caminhos de importância vital para despertar, de forma viva e eficaz, uma profunda e íntima filialidade perante Deus Pai” . (PJK. Nuevo Schoenstatt, 19 de Março de 1952).

Caros irmãos e irmãs, São José, um claro, firme e simples “farol” de santidade no meio dos tempos desafiantes de hoje, nos ajude a renovar-nos no nosso ardor e entrega de nós próprios pela missão partilhada.

Que São José nos abençoe e às nossas famílias, nos torne portadores de Cristo e de Maria, e transparentes do amor misericordioso de Deus.

Do Santuário da nossa Mãe e Rainha saúdo-vos cordialmente,

Pe. José Javier Arteaga

 

Original: Espanhol (19/3/2021). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *