Colocado em 12. Outubro 2016 In Comunicação, obras de misericórdia

A rede que reza para mudar o mundo

VÍNCULOS SOLIDÁRIOS, Maria Fischer •

Há mais de cinco anos que existe um serviço no schoenstatt.org que, imitando uma iniciativa do Padre Kentenich nos primeiros anos de Schoenstatt, naqueles primeiros momentos de um Schoenstatt em saída, concretamente nas trincheiras da Guerra Mundial, possibilitou que os pedidos, agradecimentos e compromissos de jovens schoenstattianos chegassem na sua “capela”, como assim chamaram o que hoje é o nosso santuário Original. Ao apertar o botão “Cartas para Maria”, desde qualquer lugar do mundo é possível enviar cartas dirigidas à Mãe no Santuário Original. Totalmente confidencial. São impressas, depositadas na talha e fazem parte da queima dos papéis e contribuições ao capital de graças em cada dia 18 do mês. Mas, há outras necessidades além destas cartas para Maria. Tanta gente que busca que alguém reze por eles… e que deixam seus pedidos nos e-mails, comentários, WhatsApp…. Sim, há comunidades em Schoenstatt que oferecem rezar pelos demais. É possível ligar, enviar cartas por correio, normalmente em um idioma só desde Nicarágua, por exemplo? Difícil. Existem poucos sites na internet onde se pode entregar pedidos de oração – na página das Irmãs de Maria, na dos Padres de Schoenstatt da Suíça, o livro de pedidos na página do Santuário Original, entre outros. Ao mesmo tempo, existe um desejo de não só “delegar” a oração aos que se ocupam dela, mas também rezar solidariamente um pelo outro, juntos… Tem que inventar, desde a missão do schoenstatt.org, como criar vínculos solidários, como oração solidária, mútua… alguma coisa que corresponda a internacionalidade, aos diversos idiomas, interconectividade do século XXI, de distâncias que já não existem, algo como um “Facebook” solidário de oração mútua. Nunca é demais inventá-lo. Já existe: a rede que reza, mayfeelings.com

VIDEO

Rezar para mudar o mundo

Através de três espanhóis: Santiago Requejo, Joaquín de los Ríos e Bosco Ybarra, nasceu no dia 1 de maio de 2012 o May Feelings, uma rede social cujo lema é rezar para mudar o mundo. Cada um com seu credo, a finalidade do projeto parece bastante nobre, com detalhes muito interessantes. Como é possível que em um mundo cheio de redes sociais, ainda existam pessoas que se sentem só?

Esta é a pergunta que se fizeram os autores e a motivação para criar esta rede social.

May Feelings é um lugar de encontro entre as pessoas que precisam que rezem por elas, e aquelas dispostas a rezar pelos pedidos delas. May Feelings pegou algumas ideias de outras redes sociais gerais e é articulada por uma série de conceitos básicos.

May Feelings funciona assim:

May Feelings requer seu cadastro para poder entrar. É preciso preencher um formulário com alguns dados pessoais: Nome e sobrenome, nome de usuário, e-mail, senha e data de nascimento. No portal se especificam claramente os termos e condições de uso, assim como a Política de Privacidade.

Por trás do May Feelings há uma sociedade limitada, devidamente identificada conforme a legislação espanhola. Além dos aspectos legais, o projeto está financiado por seus criadores sem outra ajuda no momento, a não ser suas economias. O portal está disponível em cinco idiomas: espanhol, inglês, português, italiano e francês.

Os pontos principais de May Feelings

  • Pray box, é o lugar onde expressamos nossos pedidos com tamanho máximo de 259 caracteres.
  • Meus cinco: é um sistema que distribui cada pedido a cinco membros da rede de forma aleatória e única. Esta seleção muda a cada 24 horas.
  • Botão pray. Quando pressionado, você adquire o compromisso de rezar por um pedido de uma pessoa.
  • Now praying, é o mesmo conceito do ‘trendin topic’ do Twitter, e permite saber por quais intenções as pessoas estão rezando.
  • Os 10 mais rezados. É um histórico das 10 intenções mais rezadas na rede social.

Como declaram os autores e citando seu próprio exemplo, comprovar que 280 pessoas estão rezando por nós tem um forte impacto psicológico. Salvo as distâncias e perdão pela analogia, é igual receber 280 “curtidas”, mas com uma carga emocional maior.

Cinco minutos solidários por dia

Em uma nova visita à América Latina, os três jovens fundadores do May Feelings estiveram em Buenos Aires. Bosco Ybarra, Santiago Requejo e Joaquín de los Ríos apresentaram seu projeto para os estudantes do colégio Nuestra Señora de las Nieves e também visitaram Montevideo, no Uruguai.

“Deixar cinco minutos diários e saber que tem gente que não tem ninguém, absolutamente ninguém que reze por eles, e além disso te pede e quer que reze por ele, faz com que você se esqueça um pouco de você mesmo por cinco minutos para se lembrar dos demais”, afirmou Joaquín de los Ríos.

“Nós queríamos invadir o mundo das redes sociais com uma rede social diferente, que ninguém tivesse pensado, que ninguém tivesse feito. Uma rede social onde o importante é a parte espiritual da pessoa: ajudar o outro rezando”, contou Santiago Requejo, e destacou que a rede pretende “que cada um de nós, não só peçamos ajuda, porque isso é muito bonito, deixar-nos ajudar e pedir ajuda; mas também saber que nós podemos ajudar outra pessoa”.

Requejo adverte que “vivemos em um momento muito difícil onde a fé – nos meios de comunicação, nos filmes e nas séries, em tudo – nos querem tirar, e nós nos demos conta de que não há nada mais valioso que poderíamos receber na vida a não ser a educação na fé”. Por isso aconselha os jovens a “defendê-la, cultivá-la, e sentir orgulho por crerem em Deus. Não são melhores que ninguém por crerem em Deus, mas também não são os piores”, afirma.

A pesar do May Feelings não se apresentar como uma rede católica, nem pedir para que as pessoas indiquem sua religião para se cadastrar, a grande maioria de seus usuários respondem a este credo. Depois de quatro anos, May Feeling possui milhares de usuários que rezam uns pelos outros das diferentes partes do mundo. Entre eles, centenas de schoenstattianos. Na realidade, May Feelings tem “Schoenstatt incorporado”, com esta ideia de vínculos, de vínculos solidários, de responsabilidade mútua e pessoal, de uma fé que não é delegar tarefas para outras pessoas, mas sim, o “Nada sem vós, nada sem nós” traduzido à linguagem das redes sociais. Muito obrigada, de coração.


Para se cadastrar e começar a mudar o mundo: www.mayfeelings.com

Com material da AICA e mayfeelings.com. Fotos: Facebook Mayfeelings


461653_417650658254222_1714967195_o

Original: espanhol. Tradução: Isabel Lombardi, Guarapuava PR, Brasil

Etiquetas: , , , , ,