Telefonanruf

Colocado em 2022-01-18 In Vida em Aliança

Quando uma chamada de negócios de repente trata sobre o cancro e as persectivas de vida

3MG, Maria Fischer, Alemanha •

Esta é uma chamada de negócios como dezenas de outras em Janeiro, quando vendedores, gestores de vendas e outbounders tentam convencer os clientes existentes a renovarem ou os potenciais novos clientes a assinarem novos contratos através de uma nova apresentação ou de uma chamada a frio. Eu sei como entrei nesta conversa, mas como é que esta conversa acabou onde está agora? Não sei… —

Chamadas que, são frequentemente aborrecidas e demoradas. Quando o gerente de vendas M. telefona do outro lado da linha, eu digo: “Ainda bem que telefonou!”, e falo a sério. Porque na véspera por acaso estudei muito cuidadosamente o produto oferecido pela vossa empresa e seleccionei os documentos que me tinham enviado no ano passado. Nessa altura não aceitei a oferta, optando por um fornecedor mais barato, mas agora não estou realmente satisfeita com a vossa eficiência.

Por isso agora M. está a telefonar. Nova introdução. E estou realmente contente, porque já trabalhei bem com M. com um empregador anterior, e também estou a falar a sério. Caso contrário, eu não o diria. E enquanto a conversa continua, digo também – sinceramente – que, mesmo que hoje não possa decidir nada e a soberania orçamental esteja noutro lugar, hoje vejo mal a decisão do ano passado contra a vossa empresa.

Neste ponto da chamada, provavelmente aconteceu. M. aborda o facto de pouco ter experimentado isto antes, que outros clientes o ignorariam de forma eloquente… Isto ainda pode ser uma táctica de vendas. “Essas conversas são um desafio para si”, digo eu. “Mas se, como você, está convencido do produto e também o conhece, então ele funciona, não é verdade?”

E depois fico a saber que o próprio M. desenvolveu este produto na empresa que foi comprada pela actual, pergunto, ouço profissionalismo e paixão… E depois diz-me que foi contratado pela nova empresa e que pouco depois da nossa conversa no ano passado, ficou gravemente doente com cancro, ficou meses sem trabalhar, lutou com todas as suas forças, teve muito medo e está curado desde o final do ano passado. Abro a gaveta da minha secretária onde vive a Mãe Três Vezes Admirável de Schoenstatt e acompanha o meu trabalho, os meus colegas e as minhas conversas, e agora Ela tem um novo nome na pequena caixa ao lado da sua fotografia. E enquanto eu prometo pensar nele (ou seja, rezar), ele diz-me que há alguns dias, como surpresa para o Ano Novo, foi despedido… A empresa quer trabalhar com várias pessoas semi-qualificadas em vez de alguns vendedores para toda a vida, as pessoas semi-qualificadas são mais baratas.

E depois falamos durante algum tempo sobre como lidar com isto, e que também “pensarei” na sua procura de um novo emprego, como mobilizar força interior e encontrar serenidade no meio da injustiça vivida, como as perspectivas de vida mudam, e….

Quando desligamos, o meu pequeno gabinete tem algo de um Santuário. Ainda não sei exactamente como é que esta conversa chegou onde chegou. Mas é bom que tenha lá chegado.

Original: alemão (16/1/2022). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.