Alfredo

Colocado em 2021-05-19 In Dilexit ecclesiam, Vida em Aliança

O Pe. Ramón Alfredo de la Cruz Baldera, do Instituto dos Sacerdotes Diocesanos de Schoenstatt, foi nomeado Bispo

REPUBLICA DOMINICANA/VATICANO, redacção •

O Santo Padre aceitou a renúncia de Sua Excelência o Bispo Fausto Ramón Mejía Vallejo (membro do Instituto dos Padres Diocesanos de Schoenstatt) ao cargo de Bispo da Diocese de San Francisco de Macorís (República Dominicana), e nomeou o Reverendo Ramón Alfredo de la Cruz Baldera, do clero da mesma Docese e, até agora Reitor da Universidade Pontifícia Mãe e Mestre da Arquidiocese de Santiago de los Caballeros, como Bispo da Diocese de San Francisco de Macorís (República Dominicana). Pertence ao Instituto dos Sacerdotes Diocesanos de Schoenstatt.

Ramón Alfredo de la Cruz Baldera pertence ao clero da Diocese de San Francisco de Macorís e tem servido como Reitor da Pontifícia Universidade Católica Mãe e Mestra (PUCMM).

Nasceu a 5 de Julho de 1961, na cidade de San Francisco de Macorís. A sua formação sacerdotal começou em 1977 no Seminário Menor Santo Cura d’ Ars da Diocese de La Vega, e depois mudou-se em 1981 para o Seminário Pontifício de São Tomás de Aquino (SPSTA) da Arquidiocese de Santo Domingo.

Em 1985 mudou-se para a Alemanha para estudar na Universidade Friedrich Wilhelm de Bona, onde se licenciou e doutorou em teologia. Foi ordenado sacerdote em 12 de Janeiro de 1991.

Como sacerdote, foi várias vezes Vigário Paroquial, Pároco de San Pablo Apóstol (Los Rieles), Professor de Escatologia na Universidade Católica de Santo Domingo (UCSD), formador, Decano de Filosofia e Professor de Antropologia Cristã no SPSTA.

Foi também Vice-reitor académico, Vice-reitor executivo e depois Reitor da UCNE, director do Departamento de Educação da PUCMM, Reitor do Instituto dos Sacerdotes Diocesanos de Schoenstatt para o México, América Central e Caraíbas (20213 – 2015) e Presidente da Associação de Reitores Universitários (ADRU).

O Pe. De la Cruz tem publicado vários livros e artigos em várias revistas.

Um testemunho sobre a sua vocação sacerdotal

Numa entrevista concedida há alguns meses (ES), o Pe. Ramón Alfredo de la Cruz Baldera foi questionado sobre a sua vocação sacerdotal. A sua resposta:

“Considero que o momento chave do meu chamamento à vida sacerdotal foi aquele provocado pela leitura da vida de Santo Inácio de Loyola. Mal tinha começado o quinto ano quando li o manual de história universal, que tirei, em segredo, à minha irmã. Escondi-me debaixo da cama para não ser incomodado por ela. Quando terminei de ler a lição sobre a Reforma Protestante e a Contra-Reforma, disse a mim mesmo: Quero ser como Santo Inácio de Loyola, formar homens e mulheres para defenderem a Igreja e anunciarem o Evangelho em todo o lado.

Depois tomei mais consciência do significado do sacerdócio através do meu irmão Luis Manuel e do Bispo Fausto Mejia, este último foi quem me propôs ser Padre diocesano, algo curioso, porque eu próprio estava convencido de que queria ser Jesuíta, mas a motivação do Bispo Mejia fez-me mudar de ideias e, decidi entrar no Seminário Santo Cura d’ Ars em 1976, em La Vega, onde frequentei o liceu, frequentando aulas no Liceu Don Pepe Alvarez e no Colégio Las Mercedes del Santo Cerro.

Esse sonho que começou no quinto ano da escola primária concretizou-se a 12 de Janeiro de 1991, quando fui ordenado sacerdote na Paróquia da Santíssima Trindade em Nágua. Celebro com grande alegria os meus 30 anos de vida sacerdotal”.

E a família – no Ano Amoris Laetitia?

“A família é o centro da sociedade. Uma boa família é a garantia de uma boa sociedade. Acredito na família como a grande formadora de valores. A escola, a universidade, o governo pode falhar e encontraremos novas formas de viver ou de sobreviver, mas se a família falhar, não haverá solução para os outros fracassos. Tem havido um desejo de retirar o papel educativo à família e dá-lo aos meios de comunicação e às redes sociais. Se isto acontecesse, significaria o desaparecimento da sociedade de hoje. A única coisa que, sei, é que sem uma família cristã a sociedade actual não seria sustentável.

A geração actual, os nossos jovens dão muita importância à família, ainda mais do que nós, os mais velhos, pensamos

A família de hoje não deve permanecer ancorada no passado. Cada momento exige respostas diferentes. A geração actual, os nossos jovens, atribuem muita importância à família, ainda mais do que nós, os mais velhos, pensamos. Nas minhas conversas com os estudantes, fico espantado com o quanto eles valorizam o apoio familiar. Os nossos jovens não são indiferentes à situação familiar. Esta atitude que eles têm, mesmo aqueles que vêm de famílias supostamente “disfuncionais” anseiam por um futuro familiar estável, porque perceberam que uma família estável é o que lhes garante um futuro emocional e socialmente estável”.

Parabéns, Bispo Ramon Alfredo de la Cruz Baldera, e as nossas orações e Capital de Graças pelo seu serviço à Igreja.

Original: espanhol (16/5/2021). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *