Fiesta de Sión

Colocado em 2020-03-09 In Vida em Aliança

A Festa de Sion del Padre: uma tradição para iniciar o ano

ARGENTINA, Claudia Echenique

Faltavam 20 minutos para as 11 da manhã, hora a que estava previsto o início da Missa, e havia apenas cerca de 30 pessoas. Fim-de-semana com um feriado de carnaval, alguns ainda em férias de verão… Viriam? Em poucos minutos chegam dois autocarros e todas as cadeiras estão ocupadas. A Festa de Sion também poderia ser chamada de “Festa da Fidelidade”, pois ano após ano, no último Domingo de Fevereiro, são muitos os que acompanham, fielmente, os Padres de Schoenstatt da Região do Pai, em Florencio Varela, para o aniversário do seu Santuário. Nas semanas e dias anteriores, as mensagens do Whatsapp diziam: “Vais a Sion?”, “Vemo-nos em Sion, sim?” “Quem precisa de um lugar no carro/autocarro para ir a Sion? É quase uma tradição iniciar o ano de Schoenstatt em Sion. —

Como todos os anos, neste 26º aniversário, a comunidade regional reuniu-se para a jornada anual. Desta vez chegaram quase todos os Padres da delegação paraguaia, o Pe. Facundo Bernabei, que viajou desde Roma e, desde a Alemanha, o Pe. Juan Pablo Cattogio. Superior Geral que, os visitou e presidiu à Missa. O dia estava ensolarado, sem calor excessivo, e o bosque de árvores ao redor do Santuário já forma uma capela natural.

 

02 Sion 2020

Pessoas na Missa

Um susto que uniu todos em oração e súplica

Muitas Irmãs de Maria de Novo Schoenstatt (a 12 quarteirões de Sion) estiveram presentes na assembléia. Durante a procissão de entrada, algo inesperado aconteceu. Ir. M. Alejandra desequilibrou-se e uma ambulância teve que ser chamada para a levar para o hospital. O início da Missa foi adiado e durante cerca de 15 minutos, numa calma tensa, todos rezaram pela recuperação da Irmã, enquanto ela era assistida pelos médicos presentes. Enquanto escrevo esta crónica, recebi uma mensagem dizendo que a Irmã Alejandra teve alta do Sanatório Mater Dei.

Quando tudo passou, o Pe. Tommy Nin Mitchel, Superior Regional, deu as boas-vindas às comunidades presentes: Mar del Plata, Escobar, Villa Ballester, Buenos Aires, Adrogué, Pilar, San Isidro, e dois casais do Paraguai.

Depois, na Saudação Inicial da Missa, o Padre Juan Pablo destacou a presença de Mons. Claudio Giménez, Bispo Emérito de Caacupé, “e agora recuperado para Tupãrenda, já que voltou a viver na comunidade”. Os dois novos padres argentinos ordenados em 2019, os padres Pancho Bosch e Cristián Rodríguez Robles Terán, também foram apresentados à assembleia. Uma curiosidade é que havia 26 Padres a concelebrar, um por cada ano que completou o Santuário de Sion.

 

Os 26 Padres celebrando a Missa

Os Bem-aventurados do Evangelho não são os Bem-aventurados do mundo de hoje.

Na sua Homilia, o Padre João Paulo referiu-se ao Evangelho (Mateus 5;38-48) que, na linguagem do mundo de hoje, “podíamos traduzir da seguinte forma: Ouvis que os ricos são bem-aventurados, mas eu digo-vos bem-aventurados os pobres ; ouvis que aqueles que se divertem muito são bem-aventurados, mas eu digo-vos que aqueles que têm um coração puro e não se deixam simplesmente levar pelos seus desejos são bem-aventurados. Bem-aventurados dizem no mundo de hoje os poderosos, mas eu digo “Bem-aventurados os mansos de coração“. Os bem-aventurados do Evangelho, os verdadeiramente felizes, não são os bem-aventurados do mundo de hoje.

Ele continuou, a explicar que “Jesus nos fala de um amor maior, que vai para além da lei”. Ele não se contenta com o mínimo, mas procura dar o máximo. É um amor que vai para além da obrigação, que é livre. Vai para além do necessário, porque não me pergunta o que tenho de fazer, mas o que mais posso fazer. Então não é mais uma questão de “o que eu tenho que fazer”, mas de “o que posso e quero fazer todos os dias”.

Um amor para além das clivagens e dos aplausos

É um amor que ultrapassa todas as diferenças, todas as clivagens, todas as ideologias que nos podem diferenciar, todos os medos que possamos ter. É um amor que vai para além do reconhecimento, aplauso ou recompensa, pois não os espera.

Ele também sublinhou que “em Schoenstatt conhecemos esta linguagem quando falamos de um amor magnânimo”. O Pe. José Kentenich já nos fala no primeiro documento de fundação.. É o amor que queremos viver quando vivemos a Aliança de Amor. Magnanimidade, os ideais mais elevados, os mais excelsos, esse deveria ser o objectivo das nossas aspirações. Esta é a santidade que o nosso país e a nossa sociedade precisam hoje em dia. A Mater espera de nós a santidade no Santuário, a santidade quotidiana”.

Homilia do Pe. Juan Pablo Catoggio

Unidos ao Ano Nacional Mariano na Argentina

Este ano, a Argentina celebra o Ano Mariano e “e alegramo-nos, embora nós schoenstatteanos vivamos sempre num ‘Ano Mariano'”. Cada dia é mariano e cada momento pertence à Mater. Por isso, este ano, nós vivemo-lo duplamente e temos que ver como podemos viver a nossa Aliança de Amor com mais intensidade, ‘para além’ da nossa entrega, do nosso serviço, da nossa generosidade, do nosso Capital de Graças”, disse o Padre Catoggio.

Ele concluiu pedindo que “Maria, Nossa Senhora das Bem-aventuranças, nos ensine a viver este amor maior, mais generoso, radical e magnânimo e que Ela seja, como diz o lema do Congresso Mariano, mãe do povo e nossa esperança“.

 

 Dois Nóveis Sacerdotes

Diálogos e encontros de Família

Antes da bênção final, todos rezaram a oração do Ano Mariano e o Pe. João Pablo mencionou a notícia de que no sábado 22/2 o Papa Francisco aprovou o decreto de virtudes heróicas pelo qual o engenheiro chileno Mario Hiriart já é “Venerável”.

No final da Missa, todos os Padres permaneceram entre as árvores para cumprimentar e conversar com todos os presentes que se aproximavam. Foi uma oportunidade de diálogo, sobretudo, com aqueles que vivem nas casas de Córdoba, Tucumán, Paraguai e Roma, que não são vistos com tanta frequência durante o ano na Região Grande Buenos Aires.

O almoço foi ao redor da sala José Engling, onde os diálogos e os reencontros continuaram. A comunidade de La Plata foi encarregada de assistir os Padres na organização da celebração. Foi muito agradável ver os casais preparando as sanduíches, grelhando os hambúrgueres e as salsichas, enquanto vários dos seus filhos faziam parte do coro que animou a liturgia da Missa e a Adoração da tarde.

 

Coro de jovens

 Álbum de fotos (Claudia Echenique):

2020 Fiesta Sion del Padre

Original: espanhol (28/2/2020). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *