Colocado em 12. Junho 2019 In Vida em Aliança

O ramo de flores para a Mater no Santuário de Nueva Helvecia

URUGUAI, Maria Fischer •

Como todos os anos, com umas amigas argentinas, missionárias da Campanha da Mãe Peregrina, peregrinei desde Buenos Aires até ao primeiro santuário filial, em Nueva Helvecia, Uruguai. Este ano, o dia escolhido era uma data e um momento muito particular de uma pessoa querida, e ofereci-me para levar um ramo de flores em seu nome ao santuário. Grande era a alegria pela coincidência, mas logo me dei conta de já era muito tarde para comprar flores em Buenos Aires… —

Saímos cedo, num sábado, sem poder comprar as flores. Não estávamos certas de encontrar uma florista em Nueva Helvecia e menos ainda, aberta a um sábado à tarde. Tentei procurar floristas em  Colonia del Sacramento, via Google maps, e terminámos frente à única que parecia existir na realidade, a do cemitério…

Enquanto as minhas amigas ficaram no carro, falando e rindo sobre a história desta busca de flores num sábado de manhã na florista do cemitério, entrei, pensando que também precisaria de um vaso. Ao mesmo tempo vi que tinha pouco dinheiro uruguaio e que a florista não aceitava cartões de crédito… Que vergonha!

É uma promessa?

“Quero um ramo de flores para este montante de dinheiro, disse, e se for possível, também um vaso simples”.

“É um presente para alguém?”, perguntou-me a dona da florista. “Sim, é um presente para alguém”, respondi, mas…

– “Quer um cartão de parabéns, ou… ?” – “Não, não é para entregar diretamente…”.

A dona olhou-me. “É uma promessa?” – “Sim, uma promessa, para Nossa Senhora, para alguém…”

– “Então ofereço-lhe as flores”, disse ela. “Lembro-me, quando era criança, que ia sempre a uma pequena capela, onde nasci, uma capela linda, com uma imagem de Nossa Senhora com o Menino nos braços. Uma vez estávamos com uma situação muito difícil na família. E a minha mãe mandou-me com um ramo de flores à Nossa Senhora da minha capela, para fazer uma promessa… Ela ajudou-nos! Ah, como amo esta Nossa Senhora…”.

A Nossa Senhora da pequena capela

“Onde foi?”, perguntei, já intuindo onde seria. “Em Nueva Helvecia” respondeu.

“Estas flores são para essa capela, para esse santuário de Nueva Helvecia”, disse-lhe, enquanto ela começou a chorar de emoção, pedindo-me: “Dê a minha saudação à minha Nossa Senhora da minha capela, por favor minha senhora…”.

“Nueva Helvecia? O santuário de Schoenstatt?”, interveio o homem que estava na florista, “Conheço Nueva Helvecia, íamos sempre lá buscar queijo e leite; ainda hoje vamos, e conheço essa capela, vou lá sempre rezar”.

Fiquei com o meu ramo de flores e estas duas pessoas, falando do santuário de Nueva Helvecia, prometendo-lhes rezar por eles e pelas suas famílias. Enquanto voltava para o carro, consegui ver estas duas pessoas que continuavam a falar, seguramente sobre esta vivência partilhada do santuário de Nueva Helvecia, ao qual nos dirigíamos, como todos os anos, mas desta com um ramo de flores, símbolo da aliança de amor.

 

Nueva Helvecia ramo de flores

Original: espanhol. 10-06-2019. Tradução: Maria de Lurdes Dias, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *