Colocado em 5. Março 2017 In Vida em Aliança

Tomada de hábito para o noviciado das Irmãs de Maria de Schoenstatt de Mutumba

BURUNDI, NIYONGABO Epipode •

A alegria refletia-se nos rostos das sete noviças que no passado domingo19 de fevereiro de 2017, congregaram os peregrinos provenientes de diversas regiões do país e do estrangeiro ao santuário de Schoenstatt de Mutumba. A cerimónia começou às 8.45 h. presidida por Sua Eminência Mons. Evariste Ngoyagoye, arcebispo de Bujumbura. O ato iniciou-se com uma procissão que vinha desde o santuário de Schoenstatt da Rainha da Confiança de Mutumba, até à Igreja paroquial. O sr. Cura na sua introdução, começou por agradecer a Deus por todas as graças recebidas durante todos estes dias e a todos os peregrinos. Também agradeceu a Mons. Evariste Ngoyagoye por ter aceitado o convite apesar das suas numerosas ocupações. Além disso, acrescentou, que a paróquia se prepara para as bodas de diamante em 2020 e pediu a Sua Eminência que no dia da celebração lhes permita participar também noutras duas paróquias: a de Kabezi e a de Rutumo. Por último, felicitou  aquelas que vão ser acolhidas no noviciado das Irmãs de Maria de Schoenstatt.

Aspiração à santidade

Na sua homilia, o arcebispo de Bujumbura, disse que a palavra do dia se resume numa só: santidade. Sublinhou a frase que vem em todas as leituras de domingo: «…sede santos, porque Eu, Yahvé vosso Deus, sou santo.» (Lv.19, 2) ; «Não sabeis que sois um templo de Deus e que o Espírito Santo habita em vós?» (1 Co 3,16) assim como «Portanto, sereis perfeitos como o vosso Pai celestial é perfeito» (Mt 5, 48). Estas frases convidam-nos a querer ser santos como o é o nosso Pai. Voltando ao evento do dia Mons. Evariste Ngoyagoye deu vários conselhos às novas noviças: «Os hábitos e os outros símbolos que irão receber servirão como recordação do que vão prometer e não serão nunca simples objetos ornamentais. O vestido, o cordão e a medalha são todos significativos. O seu significado deve ser gravado no espírito», concluiu o arcebispo de Bujumbura.

Tomada de hábito

Depois da homilia, teve lugar a tomada de hábito. O arcebispo abençoou tudo o que se tinha dado a estas sete noviças antes de proceder à sua distribuição. Cada uma delas recebeu um hábito, símbolo da vocação de ser Irmã de Maria de Schoenstatt e símbolo do compromisso de lutar pela santidade da vida diária; um cordão que simboliza a virgindade; o véu, símbolo da pertença total a Jesus; uma medalha que significa a Aliança de Amor com a Virgem Maria; uma vela acesa que simboliza que ela segue Cristo luz do mundo e a transmite. Também receberam a honra de distribuir a comunhão durante as missas. Entre as sete noviças, havia uma keniata, enquanto que as outras seis eram de Burundi das dioceses de Bujumbura, Gitega e Ruyigi, cada diocese com duas noviças.

Fonte: Mont Sion Gikungu

Original:francês, 01.03.2017. Tradução: Maria de Lurdes Dias, Lisboa, Portugal

 

 

Etiquetas: , , , ,