Colocado em 23. Fevereiro 2018 In obras de misericórdia, Schoenstatt em saída

A primeira missão de rua de Schoenstatt

BRASIL, Jumas Jaraguá •

“Onde há Schoenstatt, deveria haver miséria?” Esse simples e profundo questionamento foi o que despertou uma inquietação e motivou para durante os dias 9, 10 e 11 de fevereiro de 2018 a Juventude Masculina de Schoenstatt do Regional Sudeste, no centro da cidade de São Paulo a ir ao encontro dos irmãos de rua. —

Mas, era preciso aprender e essa resposta veio do contato do assessor regional – Padre Ailton – com a Missão Belém que já realiza esse trabalho no centro da capital e acolhe pessoas das ruas. E no primeiro dia o JUMAS enviado do Santuário Sião do Jaraguá foi até o bairro do Belém encontrar outros missionários que podiam nos ensinar como fazem missão.

O desprendimento já era importante para começar a missão de levar Cristo para os irmãos de rua e assim estar realmente inserido naquela realidade. E apenas com uma troca de roupa, um par de chinelos, dois sacos de lixo para fazer a mochila e o dinheiro da passagem os 13 JUMAS das cidades de Jaraguá/SP, Vila Mariana/SP, Atibaia, Campinas, São Bernardo do Campo e São Sebastião do Paraíso/MG e mais os dois assessores, Padre Ailton, Padre Afonso e o seminarista Vitor Possetti partiram em missão mais alguns missionários da Missão Belém.

Encontrar aqueles que Deus colocasse no caminho.

A primeira tarde de missão foi na região da Catedral da Sé e ali os missionários deram o primeiro passo para começar realmente a missão e encontrar aqueles que Deus colocasse no caminho. E com a conversa dos missionários conseguiam partilhar Cristo entre as ruas da Praça da Sé, além de oferecer a mudança clara de vida e dirigir os irmãos de rua para a casa de acolhida da Missão Belém. Após isso todos eram convidados para a missa na Praça frente à Catedral. Com pouca estrutura e pessoas circulando em volta sem saber o que se passava, fazia mais grandioso aquele momento.

Chegava a noite e os missionários foram atrás do papelão para se proteger do frio e com mais dois cobertores foram o suficiente para dormir no chão do Pátio do Colégio, lugar com grande importância histórica pelo começo da cidade de São Paulo. E naquele dia era o que muitos ali incluindo alguns irmãos de rua, tinham de mais valioso durante a noite, além do céu estrelado como teto.

No segundo dia após a oração da manhã e o terço, a primeira refeição exigiu a humilde atitude de mendigar para ter o alimento. Tudo conseguido era reunido com os demais missionários para um café da manhã comunitário e além de mais outros irmãos para comer o alimento partilhado igualmente entre todos. Bem próximo podia-se observar um enorme contraste. De um lado a Sala São Paulo onde importantes nomes da musica e figuras da mais alta classe freqüentavam e do outro lado se via sem muito esforço a região conhecida como “Cracolândia” onde concentra um grande fluxo de pessoas usuárias de drogas. Ali os missionários também estiveram e encontraram pessoas aprisionadas pela droga, impedidas de viver suas vidas cheias de anseios, sonhos, conquistas, em família e na grande maioria das vezes, vida de fé e oração.

Um agradecimento especial à Missão Belém.

Após um almoço oferecido pela Missão Belém o JUMAS seguiu de volta para a rua e continuando a espiritualidade que os movia, uma partilha foi feita com os moradores de rua tendo como centro o evangelho. E após a noite de descanso retornaram para o Jaraguá com um agradecimento especial à Missão Belém. Com a alegria de 35 irmãos que saíram das ruas, grandes experiências vividas de encontro com o Cristo que sofre, partilhar Cristo e a reflexão com o Deus da vida.

Fonte: www.jumasbrasil.com.br

Etiquetas: , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *