Colocado em 23. Fevereiro 2020 In Dilexit ecclesiam, Igreja - Francisco - movimentos

Primeiras impressões do Congresso Nacional de Leigos “Povo de Deus em saída”

ESPANHA, María Paz Leiva •

Na fila de inscrição perguntei a um participante: “Por que se inscreveu para o Congresso? – Ele respondeu-me: “porque sou um cristão comprometido, sou Igreja”. —

Desde o início, o congresso quis ser um Pentecostes renovado. Estava muito bem representado: um grupo de pessoas de todas as idades subiram ao palco vestidas como os judeus fizeram no Cenáculo. Uma vez lá em cima, tiraram as vestimentas e adquiriram o seu visual do século XXI. Todos distintos, diferentes, diversos… imploraram o Espírito para este congresso, para o nosso tempo.

No fim do grande espaço de reuniões, alguns biombos funcionavam como uma capela. O Santíssimo Sacramento foi exposto em todos os momentos e sempre acompanhado pelos participantes e não participantes que rezaram “unânimes”.

Dos ecrãs somos convidados a “Sai para seres luz”.

O lema do congresso foi tirado da “alegria do evangelho”, onde o Santo Padre diz que nós somos “o povo de Deus em saída”.

 

 

O Núncio Apostólico leu a mensagem do Papa Francisco para o Congresso.  “Para viver em coerência com o dom recebido… não somos apenas mais um agrupamento, mas a Família de Deus”. O povo de Deus “é chamado a deixar para trás os seus confortos e a dar o passo em direcção ao outro, tentando dar uma razão para a sua esperança…” Soa familiar? Acho que sim: “Acordem e despertem-se mutuamente!”

E o Papa Francisco continua: “Está na hora de vocês, homens e mulheres envolvidos no mundo da cultura, da política e da indústria…” Soa familiar? Acho que sim: “em todos os campos possíveis”.

O Papa Francisco pede-nos para evitarmos as tentações dos leigos na Igreja: clericalismo, que ele descreve como uma praga, competitividade e “carreira” eclesial, rigidez e negativismo. Isto soa-nos familiar? Acho que sim: perdemos energia porque pertencemos a um clube privado, no qual aspiramos a ser chefes de alguma coisa.

O Papa continua: “Não tenham medo de calcorrear as ruas, de entrarem em todos os cantos da sociedade, de chegarem aos limites da cidade, de tocarem as feridas do nosso povo… esta é a Igreja de Deus, que arregaça as mangas para sair ao encontro do outro”. Soa familiar? Penso que sim: com o calor que temos no nosso pequeno curral, penteando as ovelhas, com pessoas como nós.

Foi assim que o congresso começou e é assim que as minhas memórias estão “ainda a quente”.

É-nos apresentada uma oportunidade de sairmos da nossa zona de conforto, de conhecer o que os outros estão a fazer na Igreja e de partilhar projectos sem procurar um papel de liderança. É tempo de pôr em marcha o terceiro objectivo de Schoenstatt: a CAU.

Porque somos cristãos comprometidos, somos Igreja.

Paz Leiva, em saída

 

Alguns dos schoenstatteanos presentes, entre eles quatro membros da equipa do schoenstatt.org: Juan Zaforas, Paz Leiva, Miguel Ángel Rubio, Pe. José María García

Página oficial do Congresso Nacional de Leigos, Espanha (ES)

 

Original: espanhol (17/2/2020). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *