Colocado em 2017-10-02 In Francisco - Mensagem, Igreja - Francisco - movimentos

Com a mão no pulso do tempo: As notícias falsas

JORNADA MUNDIAL DA COMUNICAÇÃO 2018, Maria Fischer com material do boletim de imprensa do Vaticano •

“Conhecereis a verdade e a verdade vos tornará livres” (Jo 8,32). Notícias falsas e jornalismo de paz”: O tema que escolheu o Santo Padre Francisco para 52ª Jornada Mundial das Comunicações Sociais 2018 tem a ver com as denominadas “falsas notícias” ou “fake news”, isto é, a informação sem fundamento que contribui para gerar e alimentar uma forte polarização das opiniões. Frequentemente, trata-se de uma deformação instrumental dos factos que, pode ter repercussões nas condutas individuais e colectivas. No contexto em que as empresas de referência das redes sociais e o mundo das instituições e da política começaram a enfrentar este fenómeno, também a Igreja quer oferecer a sua contribuição propondo uma reflexão sobre as causas, a lógica e as consequências da desinformação nos meios de comunicação e contribuindo para a promoção de um jornalismo profissional que, procure sempre a verdade e, portanto, seja um jornalismo de paz que fomente o entendimento entre as pessoas.

E, agora?

Quem de entre os schoenstatteanos tem a seu cargo grandes meios de influência pública? Como podemos nós travar as falsas notícias que põem em risco a paz mundial ou a de um povo? Que temos nós que ver com isto, então?

A resposta é: muito, pois todos somos comunicadores na era das redes sociais onde, para muitos, o seu mundo e a sua fonte de informação se reduz ao Facebook e publicamos uma fotografia, uma notícia, um texto com o dedo e, muitas vezes, sem pensar. Se o somos da Boa Nova ou das falsas notícias a decisão é nossa, de cada um e em cada momento.

Três histórias reais

  • Um schoenstatteano chileno publicou na sua conta do Twitter uma notícia sobre um refugiado árabe na Alemanha que recebe apoio económico para uns 65 filhos já que, tinha levado as suas mais de 10 mulheres com todos os filhos para a Alemanha e, usava esta notícia para apelar a que nos defendamos contra os muçulmanos que querem destruir a cultura ocidental. O problema: a notícia que publicou foi uma tradução (péssima, como é habitual) de uma propaganda mentirosa (ou seja, fake news, notícias falsas) feita pelo partido de extrema direita alemão AFD.
  • Uma senhora argentina do Movimento, na sua dor por um ataque de feministas contra Nossa Senhora num lugar remoto da Argentina, enviou dezenas de fotografias escandalizadoras do facto a todos os seus grupos de WhatsApp por todo o mundo, o que mostrou a sua zanga, mas também, deu uma publicidade enorme ao grupo de feministas e fez que se falasse do assunto durante dias.
  • Um schoenstatteano encontrou um texto poético atribuído ao Papa Francisco mas, nada religioso, sobre como alcançar a felicidade humana e, enviou-o sem pensar duas vezes a todos os seus contactos e, publicou-o, também, numa revista de Schoenstatt de tiragem nacional. O único problema é que esse texto não tem nada que ver com o Papa Francisco.

Quantas emoções negativas! Quanto tempo perdido!

Cada um de nós, pode travar a cultura das falsas notícias e, contribuir para uma comunicação em verdade e liberdade.

A Jornada Mundial das Comunicações Sociais, a única Jornada Mundial estabelecida pelo Concílio Vaticano II (Inter Mirifica, 1963) é celebrada em muitos países, por recomendação dos Bispos de todo o mundo, no Domingo anterior ao Pentecostes (em 2018 será a 13 de Maio). A Mensagem do Santo Padre para a Jornada Mundial das Comunicações Sociais é publicada, tradicionalmente, na Solenidade de S. Francisco de Sales, Padroeiro dos jornalistas (24 de Janeiro).

Original: espanhol (30//9/2017). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

 

 

Etiquetas: , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *