Colocado em 28. Outubro 2017 In Schoenstatteanos

Pela abertura de Schoenstatt ao mundo de hoje: 80º aniversário natalício do Padre Dr. Michael Joh. Marmann

Maria Fischer •

No fim de Setembro o P. Dr. Michael Joh. Marmann festejou em Schoenstatt os seus 80 anos em companhia de muitas das pessoas que o acompanharam ao longo do seu caminho como Padre de Schoenstatt, como dirigente do Movimento de Schoenstatt na Alemanha por ocasião da Aliança de Amor pelo nosso povo e na comemoração do centenário do nascimento do Padre Kentenich. Testemunha da Reunificação Alemã (“Deus age na nossa história”) ele foi Superior Geral de Instituto dos Padres de Schoenstatt e Presidente da Presidência Internacional. Pioneiro da abertura de Schoenstatt ao Ecumenismo e à iniciativa de “Juntos pela Europa”, finalmente foi também Reitor do Santuário Original e nesta qualidade após tantos anos de oração, sacrifício e negociações e um “quase crer que nunca mais aconteceria” até que inesperada, maravilhosa e completamente nos foi oferecido, como duas décadas antes a queda do muro de Berlim.

Padre Juan Pablo Catoggio, Superior Geral dos Padres de Schoenstatt, escreveu sobre ele: “Deus te concedeu – como o Papa Francisco dele mesmo diz – “santa inconsciencia“, uma “santa inconsciência”, mas com ela também uma confiança audaz.”

 Impressões de aspetos da sua vida

Quatro companheiros da sua comunidade em Munique publicaram uma memória da sua vida. Além das saudações do P. Juan Pablo Catoggio, P. Heinrich Walter e P. Theo Breitinger encontram-se aí alguns escritos e textos do P. Marmann, “Impressões de aspetos da sua vida”, como dizem os autores.

Aí são visíveis as preocupações centrais do P. Michael Joh. Marmann: importância de Maria para ele e o que significou o seu encontro com o Padre Kentenich, a ação de Deus na nossa história e o Ecumenismo, a convivência entre os Movimentos e com os Papas e ainda suas preocupações teológicas sobre Natureza e Graça.

Mais além

Que se pode escrever num simples artigo sobre o P. Michael Marmann, homem de tão vasto horizonte no pensamento e na ação? Algo sobre a sua abertura…

Logo após a sua nomeação para Reitor do Santuário Original ele fez esta afirmação: “Mais do que todos os outros Santuários de Schoenstatt em todo o mundo – „ o Santuário Original é para mim – um Santuário para todos“, naturalmente para todas as Famílias de Schoenstatt nacionais espalhadas pelo mundo, mas também para todos os que de todas as raças e cores aqui chegam. Este Santuário deve estar aberto para cada um. Todos a seu modo devem sentir-se atraídos aqui. Esta é a minha grande preocupação. O Santuário Original e a sua missão significa estar aí para todos. O Padre Kentenich disse a 18 de Outubro de 1914 que queria fazer deste lugar um lugar de peregrinação, um lugar de graças, que viessem a ser experimentadas para além das fronteiras do espaço e do tempo. Esta convicção ele a alargou com a célebre expressão da ‘sombra do Santuário’, na qual se codecidirá decisivamente o destino da Igreja por séculos. Entretanto esta dimensão tem vindo a ser concretizada. E o Santuário Original é de facto um Santuário internacional, que através dos Santuários filiais tem uma clara dimensão internacional e aqui mesmo há que fazer justiça a este lugar. Espero que esta dimensão internacional do Santuário Original seja assegurada através da expressão „Santuário para todos“.

Schoenstatt, segundo a visão do nosso Fundador, deve procurar que surja uma nova ordem social cristã. Um tal objetivo, que nasceu neste Santuário Original, não se limita só às comunidades cristãs ou à Igreja Católica, naturalmente mais próximas, mas realmente ao mundo inteiro. Quando em Roma o Concílio chegava ao fim, o Padre Kentenich a 8 de Dezembro de 1965 falou acerca dele em Rom dizendo que ele sempre viu a Igreja como „a alma da cultura do mundo moderno“. A Igreja tem uma função de fermento para todo mundo e é através do Santuário Original que Schoenstatt procura servir a Igreja nesta função.” (Fonte: schoenstatt.de, Março 2012)

Na publicação comemorativa, que ele me ofereceu, encontra-se escrita à mão esta dedicatória:

Unido no esforço da abertura de Schoenstatt para o mundo de hoje.”

Cordial felicitação, P. Marmann!

Original: alemão, 1.10.2017. Tradução: P. Manuel Alves, Portugal

Etiquetas: , , , , ,