Colocado em 2009-11-19 In Schoenstatteanos

Meu primeiro encontro com o nosso Pai Fundador

P. Guillermo Mario Cassone 1º de novembro de 1959 – 1º de novembro de 2009 – um pequeno e grande jubileu de ouro para o Pe. Guillermo Mario Cassone, Padre de Schoenstatt, da Argentina, que atualmente se encontra trabalhando em Roma. Em 1º de novembro de 1959 teve seu primeiro encontro com o Pe. Kentenich, quando jovem, no Santuário de Milwaukee, Estados Unidos da América… E a respeito desse encontro narra algo com exclusividade ao schoenstatt.de.

 

 


O Padre José Kentenich, em Milwaukee Transcorridos poucos meses de haver travado conhecimento com o Movimento Apostólico de Schoenstatt em Córdoba, Argentina – isto ocorreu em junho de 1959 – tive então a graça de conhecer pessoalmente nosso Pai Fundador em Milwaukee, completando-se precisamente hoje (1.11) 50 anos do ocorrido. Assim, passo a narrar aqui de forma resumida esse encontro de quatro horas de duração.

Volvida a saudação muito afetuosa de boas-vindas, o Pe. Kentenich levou-nos ao Santuário, situado no jardim da casa onde habitava. Para mim foi a primeira vez que entrei em um Santuário de Schoenstatt, e senti deveras a presença de Nossa Senhora nesse lugar.

O Pe. Kentenich abriu a porta, acendeu as luzes e, transcorridos alguns instantes de oração pessoal, explicou-nos o significado do Santuário, assim quanto de seus respectivos símbolos.

Finda a explicação, permanecemos alguns momentos recolhidos em oração, e depois, em voz alta, deu-nos a bênção.

É evidente que tiramos outrossim fotos com ele, tanto dentro quando defronte do Santuário.

Finda a visita, levou-nos para sua casa e convidou-nos para um lanche. Ele próprio foi quem buscou as coisas e as levou para seu escritório, onde nos instalamos e lanchamos em sua companhia.

Entrementes, muito nos perguntou acerca da Argentina, assim quanto sobre nossa primeira experiência com o Movimento. Queria outrossim saber de nossa vida nos primeiros grupos de jovens de Córdoba, como estávamos, o que fazíamos e se estávamos contentes. E nós, por nossa vez, mostramos-lhe várias fotos que tínhamos. Realmente ele foi um pai próximo e espontâneo que nos conquistou o coração.

Confiem em Nossa Senhora, pois ela sempre os conduzirá

Logo após o lanche, comecei a fazer-lhe uma série de perguntas que já havia anteriormente elaborado por escrito – uma verdadeira entrevista – e que ele me foi respondendo uma após outra com grande paciência e simplicidade pedagógica, a fim de que outrossim pudéssemos compreendê-lo.

Uma vez não ter aqui, em Roma, os referidos apontamentos, passo então a mencionar apenas de memória as respostas que mais impressionaram, sem seguir uma ordem lógica:

  • O mais importante é oferecer-lhe a ela, Maria Santíssima, o coração na Aliança de Amor; o demais vem por si mesmo
  • Schoenstatt é vida; e, como tal, cria vínculos, tanto religiosos quanto humanos
  • Não tenham medo; confiem em Nossa Senhora, pois ela sempre os conduzirá
  • Visitem-na amiúde e levem-lhe contribuições para o Capital de Graças
  • Cultivem a consciência de missão e sintam-se quais instrumentos nas mãos dela
  • Permaneçam unidos e desenvolvam os vínculos como família entre vocês
  • Conquistem outros jovens e cuidem para que cresça o Movimento
  • Como latinos que são, cuidem de seus afetos e ofereçam inteiramente seus corações a Maria Santíssima
  • Sejam generosos e radicais na entrega, e não medíocres nem tíbios
  • Maria Santíssima sempre nos conduz a Cristo e com Ele ao Pai; deixem-se, portanto, conduzir por ela.

Bênção da imagem para o futuro Santuário de Córdoba

O quadro da MTA abençoado pelo Pe. KentenichEm seguida, abençoou solenemente na sacristia e com água benta a imagem para o futuro Santuário de Córdoba, em cujo verso escreveu em latim os seguintes dizeres: “MATER PERFECTAM HABEBIT CURAM ET VICTORIAM”, que traduzidos significam: “A Mãe cuidará perfeitamente”, assinando em seguida: J. Kentenich.

E hoje esta é a imagem que se encontra à veneração dos fiéis no Santuário da Villa Warcalde, Córdoba. Transcorridos dez anos, ocorreu a dedicação do Santuário.

Finda a bênção, abençoou e assinou muitas imagens que havíamos levado para oferecê-las em nosso regresso.

O P. Guillermo Mario Cassone, Belmonte - RomaDepois, ocorreu, uma vez mais, uma seção de fotos, deu-nos a bênção, acompanhou-nos até o carro e permaneceu à porta até nossa partida.

Este encontro imprimiu minha vida e vocação até o dia de hoje.

 

 

Tradução: Abadia da Ressurreição, Ponta Grossa, PR, Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *