Colocado em 2016-04-16 In Campanha

Todos os dias A saudamos, como fazemos com a nossa mãe, com um beijo e uma oração

ITÁLIA, por Virgínia, 9 anos, da Paróquia de S.Matteo Ap. Ev. Marsala, Sicilia •

Chamo-me Virgínia, tenho 9 anos e frequento o 4º ano do Ensino Básico e o 2º ano da Catequese da Primeira Comunhão, na Paróquia de San Matteo de Marsala. Hoje quero-vos dar testemunho, em nome de toda a classe da catequese, do amor que Nossa Senhora trouxe às nossas casas. Conhecemos Nossa Senhora de Schoenstatt no primeiro ano da catequese. Foi a nossa catequista, Maria, amiga de infância da minha mãe quem, levou Nossa Senhora a minha casa, pela primeira vez. Durante a catequese, depois, Maria falou-nos sobre a Nossa Senhora e, eu disse aos meus colegas da catequese como era bom tê-l’A em casa. A partir daquele dia, Nossa Senhora, com a ajuda da Irmã Yvonne, entra nas casas de todos os meus colegas. Para nós, já faz parte das nossas famílias e, quando chega às nossas casas fazemos-Lhe uma grande festa. Com as nossas mães preparamos uma mesinha com as toalhas mais bonitas do enxoval, na noite antecedente vamos com o nosso pai à florista comprar as flores mais bonitas e, assim, preparamos um altarzinho com velas para A acolher.

Quando a Maria, no sábado, no-l’A entrega, levamo-l’A para casa com grande felicidade, porque sabemos que ficará connosco toda a semana. Todos os dias, quando vamos e vimos da escola, saudamo-l’A e procedemos como com a nossa mãe, com um beijo e uma oração.

Depois levamo-l’A para a mesa connosco e, a seguir ao almoço levamo-l’A para o nosso quarto para nos fazer companhia enquanto fazemos os trabalhos de casa. Se não conseguimos fazer alguma coisa, olhamo-l’A e, Ela sorrindo-nos, ajuda-nos.

Eu acredito que, lá de cima, estará ao pé de mim, com Nossa Senhora

À noite rezamos o Terço, com a família. Eu também o rezava à tarde com a minha avó que, era uma professora reformada, isto de, há três meses para cá, já não é possível porque a minha avozinha voou para o Céu. Eu acredito que, lá de cima, estará ao pé de mim, com Nossa Senhora. Também o pai dum colega meu da catequese, já não está, mas ele continua a rezar o terço como se ele estivesse na família.

As nossas famílias continuam sempre a tê-l’A naquela mesinha que preparámos e, junto connosco pomos a fotografia dos nossos entes queridos.

Ter Nossa Senhora é uma grande emoção

Ter Nossa Senhora é uma grande emoção, porque traz-nos muita alegria e felicidade, de cada vez que A vemos sentimo-nos serenos e em paz com todos.

Tê-l’A em casa significa ter a mãe de todas as mães e, com Ela, sentimo-nos sempre protegidos.

Original: italiano. Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *