Colocado em 2020-03-30 In A Aliança de Amor Solidaria em tempos de coronavírus

“Eu acompanhei-o e, agora ele acompanha-me” – A história de Mirtha

ARGENTINA,  Claudia Echenique •

Hoje quero contar-vos a experiência da Mirtha, uma senhora com mais de 70 anos, durante este tempo de quarentena do Coronavírus. Ela vive sozinha no seu apartamento em Buenos Aires, já que sua família mora noutras cidades da Argentina. —

Mirtha ama Jesus Cristo e ama o “seu” pai José Kentenich. Colabora como voluntária em Confidentia, a casa do Movimento Apostólico de Schoenstatt no centro da cidade. Aí, faz parte do Círculo dos Membros do Ramo das Mães, adora o Santíssimo Sacramento e uma das suas principais tarefas é dar assistência à Sacristia durante as horas de algumas Missas.

Ser sacristã permitiu-lhe ter contacto com muitos dos Padres de Schoenstatt que trabalharam em Buenos Aires e também com os Padres Diocesanos de Schoenstatt que, nalguma ocasião, celebraram a Missa no Santuário do Centro.

Um desses padres aos quais deu assistência na Sacristia é o Pe. Pablo Pol, hoje Reitor do Santuário Original.

Vida religiosa através da TV, computador e telemóvel

Nestes dias de quarentena, há muitas transmissões de Missas, Terços, meditações, retiros e até reuniões de grupo via streaming, especialmente através das redes sociais Facebook e Instagram. Para aqueles que não utilizam estas redes e querem seguir a vida de Schoenstatt, é difícil aceder e participar nalguns eventos, especialmente na Missa diária.

Mirtha ficou muito feliz quando há alguns dias lhe enviei o link para a webcam do Santuário Original, onde ela podia ver e participar na Missa diária em espanhol.

Desde então, na solidão de seu apartamento, ela “visita” o Santuário Original todos os dias e participa na Missa celebrada pelo Padre Pablo Pol. Além disso, organizou toda a sua actividade religiosa ao longo do dia através da sua televisão, computador e telemóvel. Quem disse que os adultos mais velhos não se adaptam às mudanças tecnológicas do século XXI? Devemos motivá-los, explicar-lhes com um pouco de tempo e paciência e assim integrá-los no ritmo da vida de hoje.

A frase que motivou esta história

Há um tempo atrás falei com ela ao telefone e ela me disse uma frase que me motivou a contar a sua história. A Mirtha disse-me:

“Hoje estive a pensar que durante muito tempo acompanhei o Pe. Pablo, ajudando-o na Sacristia. Hoje, ele acompanha-me a mim que, estou sozinha, na minha casa, com a Missa que ele celebra todos os dias no Santuário Original”.

 

“Temos uma âncora: na sua cruz, fomos salvos.
Temos um leme: na sua cruz, fomos resgatados.
Temos uma esperança: na sua cruz, fomos curados e abraçados, para que nada e ninguém nos separe do seu amor redentor”.

Papa Francisco, 27/3/2020

 

Original: espanhol (28/3/2020). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *