Colocado em 9. Setembro 2015 In Santuário Original

“Aliança de Deus com os Homens”

Comunicado da Conferência Episcopal Alemã à imprensa, www.dbk.de

O Cardeal Reinhard Marx, presidente da Conferência Episcopal Alemã, fez um apelo ao compromisso e ao testemunho da fé cristã. O testemunho cristão mostra ao mundo que “com um amor desinteressado estamos aqui para assumir as dificuldades e as preocupações das pessoas”, disse o Cardeal Marx na sua Homilia durante a celebração da Eucaristia, em Schoenstatt, como lugar de peregrinação, na cidade de Coblença. O Cardeal instou todos a perguntarem-se sobre o significado da fé: ”em que é que acreditamos, a quem confessamos e por quem somos enviados?”

Por isso, é necessário recorrer às Escrituras para compreendermos a extraordinária imagem de Deus. “É um verdadeiro desafio escutar estas velhas leituras mais uma vez e descobri-las, de novo. A centralidade nestas palavras é a descrição da Aliança. O Homem não pode compreender o mistério do mundo, Ele vem ter connosco e procura comunhão connosco. Este mistério – Deus – sela uma Aliança com os Homens, uma Aliança, não escrita num pedaço de papel, mas mais propriamente, um acordo para se conseguir algo, trabalhando juntos: Esta é a Aliança de Deus com os Homens”. Este acordo, disse o Cardeal Marx, tem metas e, está direcionado ao renovamento do mundo: “A Aliança de Deus com o Seu Povo mostra-nos que o Povo está enviado para mostrar ao mundo uma boa, acertada e correcta forma de viver”.

Uma Aliança desta natureza significa que os Homens se pertencem, mutuamente, “mas, ao mesmo tempo, sem se esquecerem dos outros”, sublinha o Cardeal Marx. Não se trata de um “nós e eles”. Isto, também, se reflecte no próprio sentido da Igreja que, não “existe por Si mesma. A nossa missão, como Igreja, é renovar o mundo, em Cristo. Deus aproxima-Se dos Homens e, o Povo de Deus ao ser enviado, tem uma missão, uma nova forma de viver, uma nova forma de caminhar uns com os outros: convidando todos a serem um exemplo. Esta é a verdadeira evangelização”, disse o Cardeal Marx.

Mas, a Aliança também precisa de renovação e aprofundamento, sublinhou. “Por isso o conceito que, Schoenstatt tem da Aliança é um exemplo importante, o que Schoenstatt mostrou, no ano passado, na celebração do seu 100º aniversário é impressionante: foi e será um impulso para toda a Igreja. O que, o Fundador de Schoenstatt, o Pe. Kentenich, queria era um aprofundamento da Aliança. “A renovação da Aliança, caminha a par com a internalização. Não precisamos de uma auto-justificação do Homem, nem podemos revoltarmo-nos contra Deus, devemos colocarmo-nos na Sua Presença e estar disponíveis para O recebermos. A renovação da Aliança com Deus é o cultivo de uma relação pessoal com Deus. Para isso, temos a ajuda da oração que, nos presenteia a força interior da renovação e da internalização”.

Em Schoenstatt, o Cardeal Marx fez um apelo aos, aproximadamente, 300 peregrinos: “O poder da oração pessoal constitui o futuro da Igreja, uma Aliança pessoal de Deus com o Homem, na qual o Homem se sinta aceite e amado. Essa é a fonte da energia para se viver em Aliança com os outros, para se caminhar com Ele e para se ter a certeza da Sua Aliança”. No Movimento de Schoenstatt pode ver-se isto, em especial, no compromisso com as famílias: “Nisto, pode sentir-se quão belo é ser família e, como a Aliança de Deus com os Homens pode ter êxito: no futuro, precisamos também, deste testemunho para o mundo; isto torna claro que, nós, os cristãos estamos aqui com um amor desinteressado. Estamos aqui, também, abertos às pessoas de outras religiões ou de outras formas de ver o mundo, inclusivamente, para aqueles que nos rejeitam. Estamos aqui, quando há pessoas em perigo! Isto, também, é um testemunho que vem da Aliança com Deus”, concluiu o Cardeal Marx.

Original: alemão. Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , ,