Santuario Original

Colocado em 2020-10-31 In Santuário Original

Horário de “inverno” no Santuário Original

Maria Fischer •

“Nestes momentos difíceis, acreditamos profundamente que o santuário original, como epicentro da irrupção de graças de 1914, hoje tem que voltar a estar no centro de nossas contribuições ao Capital de Graças”, escreve o Pe. Pablo Pol, reitor do Santuário Original, em um comunicado avisando sobre uma nova mudança de horário das missas que são transmitidas ao vivo desde o início da pandemia. —

Lembremo-nos que já mudou o horário quando a Europa começou o verão, no final de março. Já estamos há 8 meses em pandemia com suas restrições correspondentes: quarentena, reclusão, apagões… ou como se queira chamar. As missas foram transmitidas ao vivo, primeiramente porque não havia outra opção enquanto as igrejas estavam fechadas; depois com o objetivo de alcançar muitas pessoas que não podiam estar presencialmente. Já são oito meses com missas diárias em diferentes idiomas e em diferentes horários, celebradas e transmitidas do Santuário Original.

A mudança da missa diária em espanhol de 17:00 hs (horário local) para 16:00 hs faz com que na Argentina, por exemplo, o horário da missa não mude, porque neste país não há diferença de horário de verão/inverno. No Chile, onde em setembro mudou o horário de inverno, a hora da missa mudou e agora muda de novo.  É um pouco complicado, mas o que fazer?

Por exemplo, pode-se buscar no seguinte link: https://24timezones.com/hora_certa.php#/map

Ou simplesmente perguntar ao Sr. Google: Que horas são neste momento em Vallendar?

Diante de toda a situação pandêmica, naturalmente tudo está sujeito às diretrizes que são recebidas, tanto do governo federal quanto da diocese de Tréveris.

No momento, podem estar quatro pessoas dentro do Santuário Original e para evitar infecções por via aérea (aerossóis), as janelas e a porta devem estar sempre abertas. Faz um pouco de frio… mas o importante é que as missas e o tempo para rezar continuem…

Original: Espanhol (31/10/2020). Tradução: Luciana Rosas, Curitiba, Brasil

Etiquetas: , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *