Visita del Papa - Irak

Colocado em 2021-02-27 In Francisco - iniciativos e gestos, Igreja - Francisco - movimentos

À espera da visita do Papa Francisco ao Iraque

PAPA FRANCISCO NO IRAQUE •

A comunidade cristã que acolherá o Papa Francisco na sua viagem ao Iraque “é pobre, pequena, sem poder político, mas é uma Igreja viva, guardada na fé no Senhor Jesus, tornada frutuosa por aqueles que foram perseguidos. Não esperamos a visita do Papa como pretexto para receber compaixão: esperamo-la como um sinal de que o Papa e a Igreja universal nos amam, e que também aqui temos um futuro”. É assim que o Arcebispo Nathanael Nizar Samaan, chefe da Diocese sírio-católica de Hadiab, no Curdistão iraquiano, descreve as expectativas e o fervor com que os iraquianos baptizados aguardam a chegada do Bispo de Roma durante a visita apostólica marcada para 5 a 8 de Março. —

As palavras do Arcebispo, natural de Qaraqosh, não estão tingidas de queixas ou recriminações, mas brilham com fé, esperança e caridade. “Os cristãos iraquianos – assegura Nizar Samaan, que regressou ao Iraque em 2019, após longos anos de serviço pastoral nas comunidades católicas sírias na Europa – não temos nenhuma “agenda” própria para promover, aproveitando a visita papal. Quando se vê o próprio Papa a vir visitar-nos, é um sinal inequívoco de que não estamos sozinhos, que a Igreja nos ama, e isso é suficiente para nós. Para nós é um dom precioso continuarmos no nosso caminho e levar a cabo a missão para a qual somos chamados nestas terras.

Mas também para os outros, para o mundo inteiro, será bom poder redescobrir através da “lente” da visita papal que, há comunidades vivas aqui, que estão cheias de desejo de ficarem aqui para o futuro, sem se isolarem e de viverem em fraternidade com iraquianos de outras religiões, apesar da pobreza, do pequeno número que somos, do sofrimento e dos muitos problemas diários.

Mural en Bagdad

Uma Missa no estádio de Erbil

No programa da viagem, o Arcebispo Nathanael participará, principalmente, na organização da Liturgia Eucarística que o Papa Francisco presidirá no domingo, 7 de Março, no estádio de Erbil. “Será o único evento de massas no programa da visita papal – explica o Arcebispo – porque em todos os outros eventos do programa, mesmo em Bagdad e Qaraqosh, o acesso será limitado. No estádio Franso Hariri em Erbil, pelo menos 10 mil pessoas participarão na Missa. O estádio poderia ter 30 mil, mas infelizmente a pandemia do Covid-19 em Erbil também se viu forçada a limitar o acesso. Pelo menos, metade das pessoas presentes virá de lugares no Curdistão iraquiano como Sulaimanyya, Dohuk e Ankawa, o subúrbio de Erbil onde também há muitas pessoas deslocadas de Mossul e da planície de Ninive. Os restantes bilhetes foram distribuídos pelas Dioceses de todo o país. A Liturgia será celebrada no rito latino e será intercalada com cânticos em árabe e aramaico”.

Experiência de comunhão

A preparação da visita papal – sublinha o Arcebispo sírio-católico – foi uma ocasião para uma intensa colaboração inter-religiosa e ecuménica entre as várias comunidades cristãs: “Ao prepararmo-nos juntos para os vários momentos da visita papal”, explica Nathanael Nizar Samaan, “também vivemos a comunhão entre nós. Pusemos de lado os encerramentos e o sectarismo, dando fé a todos que, como cristãos iraquianos, partilhamos a mesma missão de proclamar o Evangelho de Cristo nas nossas terras. A abertura aos nossos irmãos e irmãs muçulmanos também floresceu a partir desta comunhão, os quais também esperam com alegria o Papa Francisco. Querem também dizer ao Papa Francisco: “és bem-vindo”, e recebê-lo como um irmão.

La Virgen Peregrina en Mosul, Irak

A Mãe Peregrina em Erbil, Iraque

Todos são irmãos

O Papa Francisco visitará o Iraque de 5 a 8 de Março, com paragens em Najaf, Ur, Erbil, Mosul e Qaraqosh. Francisco proferirá quatro discursos, duas Homilias e uma oração de sufrágio pelas vítimas da guerra. O seu lema é: “Todos são irmãos”. O logótipo mostra o Papa no gesto de saudação ao país, representado no mapa e pelos seus símbolos: a palmeira e os rios Tigre e Eufrates. O logotipo também mostra uma pomba branca com um ramo de oliveira no seu bico, um símbolo de paz, que voa sobre as bandeiras da Santa Sé e da República do Iraque. Acima da imagem está o lema da visita em árabe, curdo e caldeu.

No Iraque há pelo menos duas imagens da Mãe Peregrina. Não sabemos se conseguiremos ver uma nas transmissões, mas o importante é saber que Ela está entre os cristãos do Iraque, abençoando, fortalecendo e missionando.

Logo Papa Irak 2021

Programa, transmissões, textos

Com material da agência Fides, 22/2/2021

Original: Espanhol (27/2/2021). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *