Colocado em 2. Abril 2015 In Vida em Aliança

Eu sou o pintor e o construtor da minha vida

deAdilia Schweizer, Johannes Höfle eMaria Fischer. Trabalhos de pintura? Isso se pode patentear, porque, com certeza, até agora, não foi feito algo assim. Bem concretamente, alguns jovens pintam profissional e criativamente a capela de uma casa em cor branca, iluminando em tons pastéis; rezam e meditam a respeito de como ser os pintores e construtores da própria vida de cada um. Ou, dizendo de outra forma, alguns jovens meditam a respeito da força criadora de uma ideia luminosa considerando o que são, para o que existem e a respeito do que fazem; também a respeito de quem, finalmente, é aquele que pinta e constrói a vida de cada um e expressam tudo isso pintando a capela… Isso começou em janeiro, quando Johannes Höefle, dirigente da Juventude Masculina da diocese de Augsburgo, estava sentado na capela dentro do centro de Schoenstatt em Memhoelz e pensou: precisa de uma pintura. E terminou com o que expressou um dos jovens que participaram: “Havia um sentimento geral de santidade da vida diária, mesmo que não tenhamos conversado muito sobre isso”.

150322-05-malerexerzitienNosso coração: tapado e coberto como a capela

Dez jovens adultos da diocese de Augsburgo, Eischstaett, Rottenburgo-Suttgart, “e inclusive do norte”, como destaca Adilia Schweizer, aceitaram o convite distribuído pelas redes sociais, assim como o Pe. Peter Goettke, como mestre de pintores, perdão, de trabalhos.

Adilia Schweizer conta: “Chegamos na Quarta-feira de Cinzas como grupo variado; a primeira coisa que fizemos quando chegamos na capela foi cobrir o chão e em volta das janelas para proteger tudo para a pintura. Desde o início, nós nos entendemos bem e a comunidade e o ambiente eram geniais.

Depois do jantar, foi nos dada a honrosa tarefa de preparar a celebração da renovação da Aliança. Assim, também os presentes foram avisados da renovação da capela e estavam muito curiosos para ver a capela em seu atual estado.

Para descobrir nossa própria vida, enfim nos encontramos na capela. Também nosso coração pode ter um aspecto parecido ao da capela, tapada e coberta em todas as partes. Muitas vezes, existem coisas em nossa vida que preferimos manter sob chave ou que queremos proteger. Esses trabalhos de pintura devem nos proporcionar o tempo e o espaço para descobrir nossa vida e nossas vivências, sentimentos, perguntas e experiências que mantemos fechados e para meditar unicamente sobre si mesmo”.

150322-03-malerexerzitien“Você fez de Memhoelz meu terceiro lar”

“Você fez de Memhoelz meu terceiro lar”. Assim um participantes falou para Johannes Höefle. Por trás disso, está essa união distendida e natural entre meditar e trabalhar, rezar e construir. Unir a vida cotidiana (a renovação da capela) com a fé, com uma fé plenamente pessoal, pintar as paredes da fé e a vivência com o pintor e o construtor de minha vida, tão grande e tão próximo, em cores azul, amarela e branca, tudo isso de forma tão orgânica, que o Padre Kentenich deve ter apreciado muito.

“Durante dois dias o azul, o amarelo e o branco se tornaram nossas cores preferidas e, metro a metro, mergulhamos a capela em uma nova luz. Todos contribuíram com seus talentos e capacidades e, depois de alguns momentos de dúvida, juntos conseguimos terminar a capela dentro do prazo”, conta Adilia Schweizer, e continua: “Depois de ter terminado com êxito os trabalhos de pintura, faltava a limpeza. Apesar de termos colocado fitas, descobrimos alguns salpicos de pintura. Juntos, conseguimos deixar a capela limpa e preparada para a eucaristia e para a adoração. Como participantes dos trabalhos de pintura, celebramos a primeira eucaristia com o Pe. Peter Goettke na capela recém renovada. Finalmente, ainda houve tempo para a Adoração diante do Santíssimo.

A missão do sábado era deixar a capela como estava antes da pintura. Ou seja, transportar bancos, arrumá-los em ordem, parafusá-los, colocar flores… A manhã passou voando. A pausa para a comida deu a alguns a oportunidade de divertirem-se na neve com os trenós da casa. À tarde, aproveitamos para assistir ao filme “Os chicos del coro” [“Os meninos do coro”] e para fazermos um pequeno debate sobre o filme. Esse filme deixar claro que em toda pessoa existem pontos fortes, ainda nem sempre seja fácil descobri-los. Com certeza, em nossa vida, todas as pessoas têm a oportunidade de serem vistas positivamente e de serem tratadas com benevolência. Esse filme apoiou também nosso processo de entendimentos de nós mesmos, porque, com frequência, se prejudica as pessoas e não se lhes dá nenhuma oportunidade para descobrir o grande que têm dentro de si.

Uma vez que durante os exercícios de pintura tínhamos formado uma pequena família, realizamos uma última ação como equipe. Para terminar, celebramos a eucaristia dominical junto com a família de Schoenstatt e, no final, fizemos a entrega solene da capela à Liga das Mães e Senhoras, que, por sua vez, ajudaram a financiar a construção desta capela”.

150322-06-malerexerzitien

Reluz com mais intensidade

A capela reformada foi, para alguns, uma verdadeira surpresa. Nova e diferente. Porém, não se trata de um museu… “É preciso acostumar-se”, disse um visitante, “porém, quando, pelas manhãs, brilha o sol, este reluz com mais intensidade entre as paredes da capela, rebuscadas de cor amarela”.150322-01-malerexerzitien

Original em alemão. Tradução para o Português: Maria Rita Fanelli Vianna – São Paulo / Brasil

Etiquetas: , , , ,