Colocado em 20. Janeiro 2020 In Vozes do Tempo

Chile: todos estamos fazendo um processo de conversão pessoal, comunitária e social

CHILE, redação Schoenstatt.org em diálogo com Pe. Juan Pablo Rovegno, diretor do Movimento de Schoenstatt no Chile •

Como forma de promover o diálogo comunitário sobre os desafios e sonhos para o Chile após o surto social, a Arquidiocese de Santiago, através da Vicária para a Educação e da Pastoral Social Caritas da Vicária, promoveu a realização de conselhos nas escolas e paróquias. —

 

Após a crise social desencadeada em 18 de outubro no país, como resultado do aumento do preço do metrô, os cidadãos começaram a manifestar-se de forma espontânea e massiva para exigir do governo uma série de demandas sociais que permitam melhorar a qualidade de vida dos chilenos. Até hoje, as marchas que começam pacificamente, terminam com confrontos entre os encapuzados e a polícia, e geralmente desencadeiam ataques a igrejas, propriedades públicas e privadas e móveis urbanos.

Nesse contexto, as dioceses do Chile desde Arica a Punta Arenas, convidaram a desenvolver instâncias de diálogo para sonhar em conjunto um Chile mais fraterno e com justiça social. O Movimento Schoenstatt participa ativamente e com responsabilidade , e também foram abertos espaços para um diálogo fraterno, sério, autocrítico e construtivo, amplamente refletido em Schoenstatt.org , no sentido de inspiração mútua na busca por ouvir e interpretar melhor as vozes do tempo, uma fonte

Assembleia Eclesiástica Diocesana, Chillán

Buscar respuestas e impulsos desde Schoenstatt

El padre Juan Pablo Rovegno nos cuenta:

A mí me ha tocado acompañar conversatorios y reflexiones en Concepción, Chillán, Linares, Coronel, Puerto Montt, Temuco, Valdivia, La Serena, Rancagua, San Fernando, Antofagasta, Maipo y Quillota.

En otros lugares de Santiago (no sólo Bellavista): Nuevo Belén, Providencia, Campanario, Colina, la Dehesa, así como en Agua Santa y Los Pinos, se han realizado instancias de reflexión.

La información ha salido en la página web del movimiento, www.schoenstatt.cl,  y en cada lugar se han buscado y promovido estas instancias, de diversas formas.

Nossa família está considerando, refletindo e buscando, a partir do carisma, respostas ou impulsos.

 

Das cabeças até as bases

A última edição da Vínculo, a revista nacional de Schoenstatt no Chile, que teve uma tiragem adicional de 400 exemplares expressamente solicitados, foi dedicada à questão social sob várias perspectivas e com textos do padre José Kentenich para trabalho e reflexão.

As duas declarações da Presidência Nacional  foram o resultado da reflexão e do intercâmbio.

A corrente de coroação que foi se despertando desde as cabeças e das bases, é o sinal do processo de reflexão, conversão, intercâmbio, compromisso e participação no processo social / político em que vivemos.

Todos repensaram os temas de suas jornadas

A União dos Homens acabou de ter sua Jornada e o tema foi o desafio social que vivemos; a União das Famílias teve seu congresso no meio do surto social e deram novo foco a suas reflexões; o tema do Encontro geral de Assessores (padres, irmãs e senhoras) foi o social, onde questionamos nosso estilo de vida, nossas opções pastorais e a dívida que temos como família frente a Nova Ordem Social; e as jornadas de verão das diversas comunidades se concentrarão nesse desafio como país.

Acredito que todos estamos fazendo um processo de conversão pessoal, comunitária e social  , como uma consequência direta da crise que estamos enfrentando. A questão política sempre terá nuances e diferenças, no entanto, minha experiência nestes últimos dois meses, é perceber uma nova ou renovada sensibilidade social com consequências concretas, em tensão com o processo político que tem despertado apreensões e polarizações.

 

A Igreja chilena acompanha o despertar social

Nessa mesma linha, comentam os Vicários para a Pastoral Social e Educação, da Igreja de Santiago:

O Vicário da Pastoral Social Caritas, Padre Jorge Muñoz, disse que o surto social nos permitiu “sair de um estado de sonolência que nos havia acostumados a viver em um país com enorme desigualdade. O Chile acordou e percebemos que, sim, podemos trabalhar para um país mais justo, igualitário e inclusivo ».

“As pessoas se congregaram e, além de expressar suas preocupações, seus medos, suas dificuldades, ousaram sonhar, abriram portas e janelas e deixaram voar seus desejos, seus pedidos”.

Essa reflexão “nos fala da dura realidade que milhões de chilenos e chilenas enfrentam”, disse o Padre Muñoz.

Enquanto isso, o Vicário para Educação, Padre Andrés Moro, valorizou a participação,  já que “ela nos dá esperança diante da visão um pouco pessimista que às vezes existe sobre o que acontecerá com a crise que estamos vivendo”.

Ele também alertou sobre evitar cair “na tentação de acreditar que a vida pública vai por um lado e a vida de fé deve ficar reduzida à sacristia. Deus se encarna e também nos convida a encarnar a nós mesmos”, disse ele.

Original: Espanhol. 13 de janeiro de 2020. Tradução: Glaucia Ramirez, Ciudad del Este, Paraguai/mr

Etiquetas: , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *