Colocado em 4. Dezembro 2014 In Jubileo 2014

Movimento de Schoenstatt é homenageado na Câmara dos Deputados em sessão solene

BRASIL, Cássio Leal. No dia 27 de novembro a Câmara dos Deputados em Brasília realizou uma sessão solene em homenagem ao centenário do Movimento. Participaram da sessão, Dom Fernando José Monteiro, Arcebispo da Arquidiocese Militar, Padre Alexandre Awi, Diretor Nacional do Movimento, Ir. M. Clades, Assistente Provincial do Instituto das Irmãs de Maria, o Deputado Paulo Pimenta (PT-RS), entre outros parlamentares e membros do movimento vindos de diversas partes do país.

 

A sessão solene foi uma homenagem aos 100 anos do Movimento de Schoenstatt. Estavam presentes alguns deputados federais católicos (responsáveis pela realização desta sessão) e muitos peregrinos da Campanha da Mãe Peregrina vindos de outros Estados do Brasil, assim como representantes da Família de Schoenstatt de Brasília, onde também há um Santuário.

Os responsáveis pela realização desta sessão histórica foram os deputados Paulo Pimenta e Luiz Carlos Hauly (de partidos políticos opostos). A sessão foi presidida pelo Deputado Mauro Benevides. Os deputados ressaltaram a importância apostólica do Movimento no Brasil e sua atuação nos Estados Brasileiros.

O Movimento vem ganhando popularidade no Brasil através da Campanha da Mãe Peregrina. E essa sessão solene foi mais uma forma de homenagear o Jubileu de 100 anos de história iniciados na Alemanha em 1914. É também uma forma de reconhecimento e gratidão do Governo Brasileiro com o Movimento através da Câmara dos Deputados, a “casa do povo e de todos os brasileiros”.

A história de João Luiz Pozzobon

Compõem a mesa da sessão o Arcebispo Militar do Brasil, Dom Fernando José Monteiro Guimarães, o diretor nacional do Movimento de Schoenstatt no Brasil, Pe. Alexandre Awi Mello, a assistente provincial do Instituto das Irmãs de Maria da Província Schoenstatt-Tabor, Ir. M. Clades Schwengber, o chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, General José Carlos de Nardi, também a Ir. M. Dionéia Lawand. Os deputados Mauro Benevides, Luiz Carlos Hauly e Paulo Pimenta se revezam na condução das homenagens.

O deputado Hauly relembra a história de João Luiz Pozzobon, aquele que iniciou a Campanha da Mãe Peregrina de Schoenstatt, fala também da atuação do Movimento, com seus diversos ramos e ações apostólicas, comentando acerca dos trabalhos da Obra em sua cidade natal, Londrina/PR. “Parabéns a todos que pertencem a esse Movimento e contribuem para levar um pouco mais de luz ao mundo”, diz o deputado paranaense, que conclui convidando todos a rezar a oração da Ave Maria.

Paulo Pimenta retoma a história de Schoenstatt no Brasil, com ênfase para sua cidade natal, Santa Maria/RS, e também fala de João Pozzobon: “Foi um santo da vida diária, dedicando todos os dias da sua vida a tornar a Mãe conhecida e amada. Parabéns à Família de Schoenstatt, que a Mãe de Deus vos guarde e abençoe”.

Queremos edificar uma cultura da Aliança, do encontro, como diz o Papa Francisco

O Pe. Alexandre Awi comenta que a Mãe e Rainha deve ser a grande homenageada: “Creio que o significado simbólico deste momento é que Maria quer estar mais presente no coração de quem decide sobre nosso povo. Como Movimento de Schoenstatt, queremos edificar uma cultura da Aliança, do encontro, como diz o Papa Francisco. Diferentes partidos tomaram essa iniciativa e os principais partidos representam o anseio do povo brasileiro. Como diz o Papa, não somos órfãos, temos Mãe. Ela peregrina pelo Brasil, está no coração do povo brasileiro e quer que Jesus seja o rei do Brasil. É isso que significa para nós este momento”.

O diretor nacional disse ainda: “Maria não tem interesse em receber homenagem, mas nós queremos agradecer a Ela. Quando se fala de política, nós temos receios, mas estamos bem conduzidos, porque Maria está aqui e Ela reina neste lugar”.

A banda Sol em Deus que também esteve presente na sessão cantou músicas do Movimento, incluindo o Hino Jubilar.

Reconhecimento merecido

Em um entrevista à imprensa, Pe. Alexandre Awi diz ver essa homenagem como um reconhecimento justo, considerando que cerca de 200 mil imagens da Mãe Peregrina circulam em solo nacional, milhares de pessoas participam do Terço dos Homens em várias cidades brasileiras, e há um número amplo de integrantes do Movimento em vários âmbitos – isso fora toda contribuição religiosa e espiritual da Obra de Schoenstatt para a sociedade brasileira.

“Há um número significativo de pessoas em contato com a Mãe e Rainha. A religiosidade do povo católico se expressa também no nosso Movimento, que não abrange apenas o âmbito religioso, mas realiza ações sociais. É um bem para o país que as pessoas tenham fé, que as pessoas cultivem uma religiosidade forte. O Brasil é um país claramente católico, mariano, então no fundo essa homenagem é um reconhecimento”, ressaltou o Pe. Alexandre.