Seelsorger

Colocado em 2021-09-16 In Vida em Aliança

À procura do agente pastoral do futuro

ALEMANHA, Dietmar Herrmann •

A Pastoral do futuro está cheia de pontos de tensão: proximidade e distância, poder como pessoa e poder na função, vulnerabilidade e poder espiritual e poder de condução, secularidade e religiosidade, crença na vida em si própria e crença num Deus pessoal da vida. Na primeira semana de Setembro de 2021, 25 sacerdotes das quatro comunidades sacerdotais de Schoenstatt reuniram-se na Casa Marienau (DE) em Schoenstatt para analisar a situação.

Hans-Martin Samietz deu uma visão sobre o papel do educador/Pastor na visão do Pe. José Kentenich. Isto foi aprofundado pelo Padre Felix Geyer, que fez uma classificação sócio-ética: “Onde estão os limites do poder, ou onde é que a acção se torna invasiva e a Pastoral cessa e começa o abuso intelectual/espiritual? A discussão conjunta tornou claro quanta atenção é hoje necessária, tanto no que diz respeito à vulnerabilidade, ou seja, o risco de prejudicar os outros através de comentários pastorais, como no que diz respeito à própria vulnerabilidade, ou seja, ser vulnerável nas suas acções como Pastor.

Lidar com o poder, a fé, os vínculos

O Padre dominicano Prof. Dr. Thomas Eggensperger aprofundou isto com pensamentos de Tomás Aquino com os quais enfatizou a “prudência em lidar com o poder”. Antes de mais, é necessária uma definição clara de poder. Ele apresentou o conceito de poder de Meyer-Blank: “O poder é… a autoridade concedida para fazer algo… que ele ou ela não faria sem este poder”. Os critérios sobre como surge o poder interpretativo, e sobretudo quais os aspectos de sabedoria aconselhável na sua aplicação, levaram a um intercâmbio intensivo, especialmente nos vários campos de trabalho das pessoas presentes.

O Padre Dominicano Prof. Dr. Ulrich Engel deu impulsos teológicos para o cuidado pastoral do futuro. Apresentou a mudança na Igreja e a mudança no cuidado pastoral. Há um ponto de referência comum entre leigos e religiosos. É uma confiança fundamental na vida, a chamada “fé de todos” (Ch. Theobald SJ). É importante ter em mente que esta fé na vida não se torna fé em Deus para as pessoas seculares. No entanto, há sempre interrupções que podem ser interpretadas como a aparição do Espírito Santo. Numa discussão fascinante, foram descobertos lugares e espaços de acção nos quais este trabalho pastoral secular é vivido desde há muito tempo.

A Professora Drª Kathrin Bieler apresentou a importância do organismo de vinculações como um recurso espiritual. Vários estudos confirmam a crescente individualização. No entanto, está a surgir um novo “nós”, que a maioria dos participantes da semana de estudo também observa no seu trabalho, mas que é difícil de descrever por ser tão diverso.

Juntos

Para além destas intensas discussões, a jornada de estudo moldou a cooperação entre as quatro comunidades sacerdotais e a experiência de quão unificador e benéfico é o intercâmbio entre Instituto, União e Liga. A oração comum foi um pilar que fortaleceu a união.

A Jornada de Estudo incluiu também uma viagem a Bona e uma conversa com o decano da cidade Wolfgang Picken, que apresentou o conceito pastoral da catedral recentemente concebida de uma forma muito viva e convincente e encorajou uma reflexão mais aprofundada das suas explicações. A conclusão foi uma renovação conjunta do espírito e um estudo dos textos do Padre Kentenich.

No final do dia, houve uma opinião unânime: é necessária uma continuação, pelo que a conferência de 4-9 de Setembro de 2022 já está a ser processada.

 

Original: alemão (12/9/2021). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

 

Etiquetas: , , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *