Colocado em 2020-07-04 In José Kentenich

Ele sempre nos exortou a construirmos Schoenstatt a partir da verdade, da justiça e do amor solidário

Pe. Diogo Barata em nome dos Padres de Schoenstatt de Espanha | Carta ao Movimento de Schoenstatt de Espanha •

Os Padres de Schoenstatt de Espanha querem partilhar convosco uma primeira reflexão sobre as notícias que apareceram nas últimas horas. Trata-se de uma investigação de arquivos históricos recentemente desclassificados que trouxeram à luz acusações de alegados abusos do nosso Fundador. O Padre José Kentenich – como é conhecido de todos – foi afastado da sua Obra como resultado de uma Visitação Apostólica no início dos anos 50. Parece que no âmbito desta investigação houve várias acusações de membros da comunidade das Irmãs de Maria que tinham sofrido abuso de poder, de consciência e, num caso, também abuso sexual. Tudo isto tinha sido incluído desde o início do processo de beatificação na documentação fornecida à Congregação para as Causas dos Santos, e devidamente estudado.—

 

Os documentos mencionados nas notícias do Die Tagespost de 1 de Julho de 2020, inacessíveis até agora aos próprios e a outros, podem oferecer novos dados que enriqueceriam o conhecimento sobre este período da vida do Fundador. Este processo, porém, requer um tempo de profunda investigação dos factos e da referida documentação, o que nos levará a compreender, tanto a situação das pessoas afectadas como, as acções do Padre Kentenich. Que outras dimensões do que aconteceu durante esses anos sejam conhecidas, só pode ser uma coisa boa. Para o Movimento e para a Igreja.

Como sabem, uma parte do itinerário formativo na preparação para o sacerdócio dos Padres de Schoenstatt é precisamente o conhecimento histórico do que aconteceu nesses anos conflituosos de exílio, que foram motivados por várias causas. Mas, como vimos, este conhecimento é limitado porque não tivemos acesso a certas informações reservadas, nem sobre a vida interna de outras comunidades, nem sobre o processo de beatificação do Padre Kentenich.

E, ao mesmo tempo, hoje queremos pedir desculpa por não termos transmitido a todo o Movimento tudo o que sabíamos. Faltou-nos coragem, dada a natureza delicada da informação e o respeito pelas pessoas e comunidades envolvidas.

Compreendemos a confusão e incerteza que tem ocorrido em toda a Família de Schoenstatt e também fora dela. Na dor partilhada, estamos convencidos de que o acesso a toda a verdade nos permitirá ter um conhecimento mais profundo do carisma do nosso Fundador. Ele sempre nos exortou a construirmos Schoenstatt a partir da verdade, da justiça e do amor solidário. Manifestamos a nossa disponibilidade e o nosso interesse em reflectirmos, em conjunto, sobre estes temas.

Acreditamos profundamente no convite de Jesus: “Se mantiverdes a minha Palavra, sereis verdadeiramente meus discípulos e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (Jo 8,31). A nossa visão providencialista encoraja-nos a ter esperança e compromete-nos a uma profunda investigação histórica que nos levará a conhecer toda a verdade.

Unimo-nos ao Papa Francisco na sua tarefa de guiar e purificar a Igreja. E imploramos com Maria, nossa Mãe e Rainha, os dons do Espírito Santo.

 

Pe. Diogo Barata

Superior dos Padres de Schoenstatt em Espanha

 

Fonte: Boletim do Movimento de Schoenstatt de Madrid, 3/07/2020

Original: espanhol (4/7/2020). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *