Erschalle laut

Colocado em 2021-07-01 In Vida em Aliança

Ecoa com força, o cântico de triunfo! O Salvador ressuscitou!

H3M (História de três minutos), Maria Fischer •

Sim, eu sei que a época da Páscoa terminou. Mas, quando hoje nos foi permitido cantar novamente na Missa dominical pela primeira vez em oito meses, fiquei firmemente convencida de que o organista teria de cantar imediatamente aquele velho cântico da Páscoa. Ecoa com força, cântico triunfal. O Salvador ressuscitou. A igreja está viva, porque canta. —

A Noite de Paz trauteada muito suavemente na Missa de Natal. Alma, o teu Salvador está livre da escravidão cantado no coração até ao solo do organista. O Espírito Santo veio mais silencioso do que nunca. Agora, cantamos todas as estrofes de cada hino e ninguém olha para o relógio. Os meus irmãos cristãos, com os adequados cinco metros de distância, sorriem sob as suas máscaras, alguns marcam o ritmo com os pés, e alguém aplaude no final do Glória.

Devido à pandemia (vírus SRA-CoV-2 em aerossóis, transmissão aérea de covid-19, maior carga viral quando cantamos do que quando tossimos – tanto que aprendemos nestes longos meses) deixámos de cantar em cerimónias religiosas. Durante meses, Natal, Páscoa, Pentecostes. E de alguma forma, na sua viagem simultânea por este longo e escuro tempo de crise, a nossa Igreja deixou de cantar. Uma mulher idosa derrama algumas lágrimas sobre a sua máscara. O casal que está à minha frente dá as mãos. E outro verso.

A crise da igreja não acabou porque hoje cantámos tão alto “Glória a Deus na Terra” .

Ecoa com força, cântico de triunfo… Não por causa de uma estratégia inteligente de gestão de crises, mas porque alguém cantou o Aleluia quando tudo parecia ter acabado: O Salvador ressuscitou, os laços da morte foram derrotados, vencidos pelo poder de Deus. A salvação do mundo está realmente aqui! Aleluia.

A caminho de casa, encontro o casal de mãos dadas, e quase lhes digo de passagem: Feliz Páscoa.

Erschalle laut

Foto: Peregrinação “Madre, ven”

 

Original: alemão (28/6/2021). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *