Rita Gódány

Colocado em 2021-06-21 In Vida em Aliança

Em memória de Rita Gódány, co-fundadora da Família de Schoenstatt húngara

HUNGRIA, Orsolya Török Endrédy / Maria Fischer •

Hoje, Dia da Aliança, 18 de Junho, foi publicada no Portal de Notícias Católicas da Hungria, uma nota em memória de Rita Gódány, co-fundadora da Família de Schoenstatt húngara juntamente com o seu marido Róbert e o Padre Tilmann Beller, escrita por Orsolya Török Endrédy, da Obra das Famílias de Schoenstatt. Rita morreu no Domingo, 6 de Junho, quatro anos após o seu marido Róbert. Este casal era o sonho personificado de “Schoenstatt na Hungria”.

Rita Gódány, de solteira Rita Gregorich, nasceu em Horvátzsidány a 13 de Fevereiro de 1946. A sua mãe rezou a Santa Rita pelo regresso seguro do seu marido da guerra, por isso a recém-nascida recebeu o nome de Rita no seu Baptismo. Ela era a mais velha de três irmãos.

Rita estudou húngaro e alemão em Szeged. No Verão de 1965 foi para Viena para estudar línguas. Aí conheceu Róbert Gódány, que vivia em Viena desde 1956. Casaram-se a 9 de Agosto de 1966.

Na Áustria completou a sua formação como professora; a sua família cresceu, tiveram cinco filhos. Até 1980, a família viveu na Áustria. E depois decidiram regressar à Hungria comunista, um pouco por nostalgia, mas sobretudo por convicção de que tinham de trabalhar pelo seu país e pelo seu povo, não só social e politicamente, mas porque havia algo que tinham recebido não apenas para si próprios. Em Viena, participaram na fundação do primeiro grupo de Famílias de Schoenstatt. E sabiam: temos de levar isto à Hungria. Róbert já tinha conhecido Schoenstatt no início dos anos sessenta, e em 1962 foi a Milwaukee para se encontrar com o Padre José Kentenich. Durante as suas conversas, o Fundador de Schoenstatt, que queria conhecer muito bem a situação de vida de Róbert Gódany, encorajou-o e, aos seus amigos húngaros, a darem a conhecer a Aliança de Amor, a reforçá-la, e a transmiti-la como comunidade; para que mais tarde a pudessem levar à Hungria e depois mais para Leste.

Em 1980, tinha chegado o momento. Os Gódany’s mudaram-se para a Hungria, para a pequena cidade de Óbudavár, junto ao Lago Balaton, da prosperidade para a insegurança. A partir daí, o Padre Tilmann Beller de Schoenstatt visitá-los-ia regularmente na Hungria.

O primeiro grupo de Famílias de Schoenstatt Húngaro

Em 1983, realizaram o primeiro “encontro de grupo” de Schoenstatt na Hungria com dois casais de Veszprém. Nas suas visitas regulares, o Pe. Tilmann deu orientação espiritual e, juntamente com o casal Gódány, começou a construir o Movimento e a criar uma rede de Santuários-Lar. Entretanto, a Rita completaria um curso de catequista.

Os dois, Rita e o marido, organizaram as primeiras Jornadas da Família, primeiro na sua própria casa e, depois em várias casas da cidade, onde os casais em formação podiam reunir-se com os seus filhos. A sua sala de estar foi a sala de conferências e a capela comunitária durante dez anos. Mais tarde, à medida que o Movimento cresceu, viajaram por todo o país, ajudando a dedicar muitos Santuários-Lar, visitando famílias e dando palestras. Durante as conferências do Padre Tilmann Beller, ela e Róbert traduziam as palavras do Padre em alemão até ele aprender húngaro.

Rita Gódány

Dentro da Igreja

Mantiveram sempre boas relações pessoais com a Arquidiocese de Veszprém, onde tiveram o apoio dos Arcebispos József Szendi e Gyula Márfi.

Os dois, Rita e o marido, traduziram para húngaro as orações do Fundador, Padre José Kentenich, escritas no campo de concentração de Dachau, que são a essência da espiritualidade de Schoenstatt. Rita conhecia de cor as aproximadamente 25 orações em forma de verso, com muitas estrofes, em alemão e húngaro.

Rita Gódány

A vida no Santuário

Durante a doença de Róbert, Rita cuidou do marido com o maior amor e paciência, mesmo durante os seus últimos meses no hospital. A partir daí, passava muitas horas por dia no Santuário de Schoenstatt em Óbudavár, mantendo presentes na oração a sua família (cinco filhos e 23 netos) e toda a comunidade. Acolhia todos com serenidade, afecto pessoal e grande atenção. No início de cada dia ou reunião, ela pedia os nomes das famílias participantes e rezava por elas durante toda a semana.

No início de Março de 2021, foi-lhe diagnosticada uma doença terminal. A 6 de Junho, Dia do Senhor, partiu deste mundo. A 12 de Junho, foi enterrada na presença de centenas de famílias.

Nas cartas de condolências, vários dirigentes da Família de Schoenstatt Internacional, Padres e casais expressaram o seu apreço e as suas condolências. A família, os representantes da comunidade e a Ir. Gertrud-Maria Erhard, responsável pelo Pastoral do Movimento de Schoenstatt húngaro, recordaram-na em frente do Santuário em Óbudavár.

Rita Gódány

Original: alemão (18/6/2021). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *