Colocado em 21. Setembro 2017 In Vida em Aliança

Quando a Mater vai no metro…

ÁUSTRIA, Susanne Leibrecht •

Sempre que quero, devo ou tenho algo que fazer, escrevo-o em pequenos pedaços de papel; assim que o faço, lanço o papelinho numa talha de barro que tem a inscrição “Não têm mais vinho”. Tenho um vaso em minha casa e outro no meu escritório. Todos os papéis que deito no vaso, ao fazê-lo penso mais em “ Graças a Deus, assunto tratado” e não em “Querida Mater, ofereço-te isto por…”.

Precisamente por isso, gosto do Santuário Virtual (www.virtuelles-heiligtum.com – sitio web em alemão). Aqui escolho uma causa pela que possa oferecer algo: frustração, cansaço, uma decisão a tomar, alegria antecipada, encontros agradáveis – aqui há espaço para tudo. Aqui posso apoiar uma pessoa em concreto ou fazer um pedido especial para algum outro membro do Santuário Virtual.

A talha virtual marca o meu dia a dia, porque posso oferecer algo à Mater todos os dias. Dado que passo muitas horas em frente ao computador ou no telemóvel, e já que eles se converteram nos “meus companheiros de todos os dias”, o esforço de encher a talha é realmente mínimo.

Talhas reais e talhas virtuais

Gosto da talha virtual tanto como das minhas talhas “reais”. No dia 18 de cada mês, levo o conteúdo para a Missa de Aliança no Santuário de Schoenstatt em Kahlenberg (Viena), onde no final da mesma se queimam todas as contribuições. É uma sensação incrível ver as cinzas e saber que todas essas contribuições são ofertas que se dão e que se entregam.

Nas talhas virtuais não existem cinzas. Mas sim, a certeza de saber que a Mater tomou conta das nossas contribuições: depois de ter sido despedido inesperadamente, alguém conseguiu um trabalho, o bebé de uma família nasceu saudável, a FAB – a revista para famílias – e a sua equipa também recebem apoio desta maneira, um casal em dificuldades, agora encontra-se melhor, etc. Estas contribuições específicas e os muitos “êxitos” criam um clima especial de solidariedade entre todos os membros do Santuário Virtual.

A Mater vive na Internet

Contudo, não me preocupo só com a minha talha virtual – também visito a Mater muitas vezes no seu santuário virtual. Porque, assim como Ela tem o seu lugar em cada santuário lar já que nós a levamos aí através de uma imagem, também através de uma imagem sua no santuário virtual estabeleceu Ela o seu trono. Ela está aqui! Atua na internet! Aqui pode-se rezar e experimentar a sua presença do mesmo modo como fazemos nos santuários construidos com tijolos ou nos santuários lar.

Desde que o Santuário Virtual está disponível para telemóveis, uso-o de maneira muito concreta: Muitas vezes rezo durante as minhas viagens no metro ou estabeleço com Ela uma conversa imaginária. Através do sítio web www.virtuelles-heiligtum.com (em alemão) Ela, percorre junto a mim as profundezas da cidade de Viena no metro, enquanto olho para Ela. Isto é sempre especial para mim. Muitas vezes penso: se os outros passageiros soubessem que partilham a carruagem do metro com uma personalidade tão excecional…

Com o pulso do tempo

A Mater também é a companhia perfeita durante as pausas: por exemplo, quando tenho que esperar por alguém, às vezes, ponho-a no ecrã do meu telemóvel e rezo pelo encontro ou reunião que vou ter e olho-a nos olhos. Eu sinto o bem que me faz saber que Ela está comigo e que me acompanha. Claro que Ela vive no meu coração e cada santuário coração vale ouro. Mas nós, os seres humanos, somos seres de imagens. Este encontro com a imagem familiar da Mater e o seu olhar tranquilizador, faz-me sentir de novo em casa sem importar onde me encontre fisicamente nesse momento.

Para além do lugar que o Santuário Virtual tem na minha vida quotidiana, tenho a profunda convicção de que se a World Wide Web existisse no tempo do Padre Kentenich, seguramente teria “construido” aqui também um santuário. A Mater atua no lugar para onde a convidamos, onde procuramos o encontro com Ela para lhe entregar as nossas talhas com oferendas. O Santuário virtual vai definitivamente com o pulso do tempo!
Significa muito para mim ter participado na inauguração do primeiro Santuário de Schoenstatt na Internet e ajudar ativamente para que a Mater possa atuar a partir daqui.

O facto de que atualmente sejamos muito poucos os entusiastas do Santuário Virtual não me preocupa em absoluto, também na fundação de Schoenstatt em 18 de outubro de 1914 no Santuário Original eram muito poucas pessoas e tudo começou sendo pequeno..

Santuário Virtual (alem.)

Fotos: Gerald Karner

Original: alemão 14.09.17; tradução: Maria de Lurdes Dias, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , ,