Colocado em 3. Fevereiro 2016 In Campanha, obras de misericórdia

“Peço que permaneça comigo”: com a Virgem Peregrina para cegos nas periferias da enfermidade e pobreza

PARAGUAI, por Rafael Vera, Mima Cardona e María Fischer •

Aconteceu numa visita de um grupo de jovens num bairro periférico de Capiatá, em 16 de janeiro de 2015. Rafael Vera, da Pastoral Juvenil da Campanha da Mãe Peregrina, consulta: “já existe em Paraguai a imagem peregrina para cegos?”, perguntou no grupo de whatsapp dos missionários da Campanha do interior de Paraguai. Tinham encontrado Marciana Rodas, que vive no Km. 21 do bairro San José de Capiatá: “Vive só, sem assistência. Os vizinhos lhe dão banho. Não tem dedos e está cega…” Necessita roupa de cama, necessita alimentos. Vive da caridade de seus vizinhos. Sofre de solidão, pois seu filho teve que ir-se para trabalhar. Quando um missionário da Virgem Peregrina encontra uma pessoa que sofre, não pode ficar indiferente. Não pode esquecer o compromisso com os pobres que o Sr. João impregnou na Campanha. Não pode ficar apenas com as palavras piedosas. Tampouco só com os alimentos e roupa (e menos ainda sem eles). Sabe que a resposta a esta necessidade não seria completa sem oferecer a visita da Mãe da Misericórdia, da Virgem Peregrina. Por isso, tão acertado como simples o comentário de Rafael Vera: “A Pastoral Juvenil de Capiatá quer visitá-la e necessitamos uma peregrina para cegos.”

Em pleno verão começou a busca: quem iniciou esta modalidade da Virgem Peregrina para cegos, foi Rosita Ciola, de Villa Ballester, Argentina, ela recebeu um correio eletrônico… mas estava de férias. Mima Cardona sabia que existe uma peregrina para cegos em Encarnación e outra mais… mas com quem estava? Depois de uns poucos dias de busca, finalmente em 25 de janeiro Rafael Vera com jovens do Grupo Juventude Obreira Cristã da Comunidade San José Obrero, e a Peregrina para não videntes, uma imagem em relevo da Mãe, talhada em madeira, que permite aos não videntes “vê-la” com as mãos, foram visitar Dona Marciana.

index2

 

Ela nos chama onde seus filhos necessitam.

indexwRelata Rafael:

Posso dizer com certeza que Ela é a grande missionária! A Mãe viajante, a que conquista, como quando visitou sua prima Santa Isabel. Hoje visita seus filhos sem colocar barreiras nem distâncias.

Nesta ocasião, visitou a Sra. Marciana Rojas cega, oriunda do Bairro San José, Compañía 9, Rojas Cañada, de Capiatá. A Peregrina e missionária, mobilizou vários de seus filhos missionários de Paraguai para chegar a tão recôndito lugar. Viajou quilômetros para visitar sua filha amada servindo-se de fiéis instrumentos, para acompanhar sua filha que atravessa esta difícil situação em meio da solidão e do abandono de sua família. Ela, muito feliz, recebeu nossa Mãe missionária em seus braços. Esta visita a fez experimentar a graça da proteção. “Mãe sane-me desta enfermidade, lhe peço que permaneça comigo” foram suas palavras.

Com alegria posso dizer que o grande gozo que sentiu Dona Marciana reafirmou nossa tarefa: somos um burrinho ao serviço da Mãe. Ela sabe para onde quer ir e onde quer estar. Tocou-me profundamente viver esta situação e realidade de Dona Marciana que, privada da visão, apalpou o delicado talhado de nossa Mãe Três Vezes Admirável.

Já pensou alguma vez estar passando por esta enfermidade e esperando essa visita? Coloque-se no lugar deles e pensa na escuridão e abandono em que vivem, acuda ao serviço como burrinho da Mãe: Ela é a luz que consola nas aflições. Pense e acuda algum irmão não vidente que com ânsias espera apalpar a beleza que protege através do tato. Beleza e medicina que recebem através do tato…

Em cada cidade há cegos

Depois desta visita, me comuniquei com duas pessoas mais com essa dificuldade, comenta Rafael. Em cada cidade há cegos. “Que boa inspiração divina teve Rosita Ciola. Convido-lhes a experimentar. Eu ia guiando a avozinha enquanto apalpava…”

No mesmo dia os missionários da Pastoral Juvenil de Pedro Juan Caballero visitaram enfermos e trabalharam para combater a dengue.

“É sempre um milagre que a misericórdia divina se irradie na vida de cada um de nós, nos estimulando a amar ao próximo e nos animando a viver o que a tradição da Igreja chama de obras de misericórdia corporais e espirituais”, escreve o Papa Francisco em sua mensagem para a Quaresma 2016. “Estas nos recordam que nossa fé se traduz em gestos concretos e cotidianos, destinados a ajudar o nosso próximo no corpo e no espírito, e sobre os quais havemos de ser julgados: alimentá-lo, visitá-lo, confortá-lo e educá-lo. Por isso, expressei meu desejo de que o povo cristão reflita durante o Jubileu sobre as obras de misericórdia corporal e espiritual. Será uma maneira de acordar a nossa consciência, muitas vezes adormecida perante o drama da pobreza, e para entrar ainda mais no coração do Evangelho, onde os pobres são os privilegiados da misericórdia divina”. Realmente, no pobre, a carne de Cristo “torna-se de novo visível como corpo martirizado, chagado, flagelado, desnutrido, em fuga… a fim de ser reconhecido, tocado e assistido cuidadosamente por nós”.

Obrigada, Pastoral Juvenil de Paraguai, por nos mostrar que se pode.

 

Original: Espanhol. Tradução: Lena Ortiz, Ciudad del Este, Paraguai

Etiquetas: , , , , , , , ,