Klaus M. Rosenits

Colocado em 2022-01-09 In Schoenstatteanos

Obrigado, Klaus M. Rosenits

ALEMANHA, Roberto M. González • 

Quando hoje subimos o Marienberg em Schoenstatt, deparamos primeiro com a Casa Mariengart da União das Mães, depois fazemos ziguezague até chegarmos à penúltima curva atrás das árvores, onde somos surpreendidos por uma casa chamada “Jugendzentrum – Centro da Juventude”. —

Para a Juventude alemã é A SUA casa no Schoenstatt original, um lugar onde os diferentes jovens diocesanos encontram abrigo e espaço para desenvolver as suas actividades, mas não só encontraram e fizeram desta Casa a sua casa, mas também muitos outros grupos paroquiais e mesmo famílias inteiras passam lá as suas férias.

Jugendzentrum

Alma da Casa da Juventude Masculina

Olhando para a história da Casa, sabemos que a sua construção não foi fácil, tiveram de ultrapassar muitos obstáculos para construir a “cidade” da nova comunidade, pois esta era a ideia por detrás da forma e arquitectura da Casa.

Uma das pessoas que deu vida à Casa e ajudou a construir esta nova comunidade foi Klaus M. Rosenits, (na foto acima, numa cadeira de rodas), que a 30 de Dezembro de 2021, foi chamado ao Schoenstatt eterno.

Uma marcada vocação social

Klaus tinha uma marcada vocação social na sua vida profissional e o seu contacto com Schoenstatt levou-o a entregar a sua vida a Deus como Irmão de Maria de Schoenstatt, o que resultou numa marcada dedicação ao trabalho social primeiro e depois, à Juventude Masculina de Schoenstatt.

Neste último papel, trabalhou durante muito tempo com os jovens do sul da Alemanha com diferentes grupos e acampamentos. Nas décadas de 70 e 80 a Juventude Alemã estava a experimentar um crescimento muito importante, e foi também quando se iniciou a procura e construção do Jugendzentrum em Vallendar.

Klaus M. Rosenits foi Assessor leigo da Juventude Masculina de 1979 a 1987, e depois tornou-se Director de 1986 até 2006, sendo o encarregado de assegurar a vida e a pedagogia da Casa para todos aqueles visitantes, fazendo amizades e vínculos com os hóspedes da Casa, alguns dos quais ainda hoje têm as suas datas reservadas ano após ano.

Poderíamos contar muitas outras anedotas dos tempos do trabalho com os jovens e na gestão da Casa, mas ao mesmo tempo não é necessário, porque só temos de olhar para o Jugendzentrum e para as pessoas que passaram por aquelas portas para dizer: Muito obrigado, Klaus!

Funerales

Original: espanhol (7/1/2022). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *