Ottomar Schneider

Colocado em 28. Março 2018 In Schoenstatteanos

Faleceu Pe. Ottomar Schneider, o “Padre feliz”

BRASIL, Padres de Schoenstatt e Redação

Com 45 anos de sacerdócio doados à Igreja, por meio da Obra de Schoenstatt, ele parte em 27 de março, às 14h30min, rumo à Casa do Pai. Segurando o terço na mão, rezando suas dezenas, Pe. Ottomar Schneider, aos 82 anos de idade, faleceu na presença de seus irmãos de comunidade, do Instituto Secular dos Padres de Schoenstatt. —

Ao celebrar seus 40 anos de sacerdócio, há poucos anos atrás, o Pe. Ottomar Schneider afirmou:

“Sou um Padre feliz. Não me arrependo um segundo de ter trilhado este caminho de serviço à Igreja de Cristo na Família de Schoenstatt. Se o Deus da Vida e da História me pedisse, faria tudo de novo e com o mesmo empenho aos meus irmãos e às minhas irmãs na fé e na missão”.

Nasceu na comunidade São José, do atual município de Salvador das Missões, no estado do Rio Grande do Sul, Brasil, em 26 de janeiro de 1936. Seus pais, Silvestre e Maria Amália Lunkes Schneider, além de serem pequenos agricultores, eram pessoas profundamente religiosas. Foi batizado, logo depois de nascer, na paróquia Sagrada Família, de Cerro Largo. Passou a sua infância e aprendeu as primeiras letras na comunidade Santa Inês, do município de São Luiz Gonzaga. Ali também nasceram seus cinco irmãos, dentre os quais, o Pe. Ottomar era o mais velho.

O forte chamado ao sacerdócio

Com 14 anos de idade, foi atraído pela congregação dos Irmãos Maristas e ingressou no Juvenato de Bom Princípio, RS. Cursou o colegial, no então Juvenato Champagnat, no bairro do Partenon, na cidade de Porto Alegre. Fez o Noviciado Marista na Cidade de Passo Fundo, RS, onde conheceu a pedagogia e a espiritualidade do Movimento Apostólico de Schoenstatt. Lecionou nos Colégios Maristas nas cidades de Erexim, Uruguaiana e Santo Ângelo, todas no estado do Rio Grande Sul. Em Santo Ângelo, o Pe. Ottomar pôde fundar o Movimento Apostólico de Schoenstatt em 1964. Hoje, a diocese de Santo Ângelo conta com um Santuário da Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt.

Voltando a sentir um forte chamado ao sacerdócio, que desde criança lhe vinha acompanhando, em 1966 decidiu-se a escutar a voz de Deus. Pediu dispensa da comunidade Marista, para ingressar no recém fundado Instituto Secular dos Padres de Schoenstatt. Teve a graça de ser recebido, pessoalmente, pelo Padre José Kentenich que, então, lhe disse: “Embora você se torne, agora, Padre de Schoenstatt, a sua missão nos Irmãos Maristas permanece!”

Padre Ottomar Schneider, um apóstolo de Schoenstatt no Brasil

Em 1969 voltou a fazer um Noviciado com seus irmãos de curso provenientes da Suíça, Alemanha, África do Sul e Brasil. Realizaram o Noviciado junto ao Santuário Original de Schoenstatt, em Vallendar, na Alemanha.  Em seguida, o Pe. Ottomar cursou  Teologia na Westfälische Wilhelms-Universität Münster, que lhe concedeu o título de Diplomtheologe. Ordenado Diácono pelas mãos de Dom Heinrich Tenhumberg, então Bispo Auxiliar de Münster, retornou ao Brasil.

No dia 7 de outubro de 1972, pela imposição das mãos do primeiro bispo da diocese de Santo Ângelo, RS, e depois Cardeal, Dom Aloísio Lorscheider, na Capela do Município de Salvador das Missões, foi ordenado sacerdote da comunidade dos Padres de Schoenstatt.

Como Padre de Schoenstatt, trabalhou em São Paulo/SP, Londrina/PR, e Santa Maria/RS. Foi assessor dos vários ramos do Movimento de Schoenstatt, diretor regional e nacional do Movimento, assistente das comunidades da União de Famílias e da União de Presbíteros, reitor das casas filiais dos Padres de Schoenstatt em Santa Maria/RS, e Londrina/PR.  Por vários anos foi diretor do revista Tabor.

“Almejo a muitos jovens esta felicidade que experimento a cada dia no meu sacerdócio.”

 “Após 45 anos de sacerdócio, a serviço da Família de Schoenstatt e da Igreja, devo confessar que sou um Padre feliz. Ao longo desse tempo jamais tive uma única dúvida sobre o meu chamado ao sacerdócio, como Padre de Schoenstatt. Sinto-me grato, de poder ser instrumento nas mãos de nossa Mãe e Rainha de Schoenstatt, a serviço de tantas pessoas, às quais pude prestar meu serviço pastoral mariano.

Almejo a muitos jovens esta felicidade que experimento a cada dia no meu sacerdócio. Ofereço diariamente minha celebração da Eucaristia nesta intenção. Que  … a Mãe de Deus atraia muitas jovens para o serviço à Igreja e à Família de Schoenstatt, no seguimento de nosso Pai e Fundador, Pe. José Kentenich. Dele aprendi a ser um Padre feliz!“

Pe. Ottomar Schneider, 2017

 Ottomar Schneider

Testemunho: Sou um Padre feliz

Etiquetas: , , , , , ,