Colocado em 2015-09-18 In Schoenstatteanos

O Chile treme

CHILE, Carmen María Rogers •

16 de setembro.

É primavera. As ruas estão particularmente bonitas com as suas árvores floridas e edifícios alinhados. Os supermercados, os multi-bancos, as saídas de Santiago, as estações de serviço… aí reina a alegre agitação cheia de promessas do descanso de um fim-de-semana especial: é a véspera das festas pátrias e, no dia 17, alguns vão trabalhar até ao meio-dia mas todos estão ocupados preparando o assado, a viagem, a festa.

Comenta-se a situação política, na próxima semana en La Haya; especula-se sobre com quem dançará a Presidente a dança nacional do Chile. (o par habitual é o Alcaide de Santiago, mas é mulher). Comenta-se a pouco feliz coincidência da ópera oficial da gala de 18 de setembro, “I due Foscari”, cujo argumento relata a difícil decisão de um pai obrigado a castigar o filho com o exílio, fala-se do “terremoto”, a bebida mais popular destas festas, critica-se, critica-se… enquanto o Congresso está a ponto de legalizar o aborto com a ajuda do Partido Democrata Cristão.

No sétimo andar, que aqui no Chile chamamos “oitavo” porque o primeiro é o rés-do-chão, a minha mãe está deitada, a minha irmã acabou de chegar e eu estou a ultimar os detalhes de uma entrega que tenho de fazer no dia 17 apesar de ninguém trabalhar.

E começa a tremer. E continua. E não acaba

 

Não podemos afastar-nos da cama da minha mãe. Ainda treme quando escrevo à Maria, da Alemanha, a coordenadora de Schoenstatt.org.

Falo com a minha cunhada ao telefone, envio whatsapps… e como uma maça enquanto vejo que o candeeiro continua a mover-se.

A magnitude é de 8.4 na escala de Richter. Há deslizamentos de terras, alarme de tsunami para toda a costa do Pacífico e penso que cerca de 10 pessoas falecidas.

A destruição é grande, não comparável com o 27 F, pois este cobriu uma zona de 400 kms. densamente povoada.

Já temos o recorde do Guiness: é o terremoto mais violento de 2015 em todo o mundo.

Mas, “como aqui não aconteceu nada”, corremos o risco de nos esquecermos, como esquecemos os sírios, os perseguidos e perseguidores, e todos os que sofrem!

Foi cancelado o alerta de tsunami, passou mais de uma hora da última réplica e estou pronta para começar um novo dia. Viva o Chile, viva o dia 18.

Em aliança solidária e tecnológica como acrescentou Susana Stanley da nossa equipa…

Carmen María Rogers

terremoto de Illapel de 2015 foi um sismo ocorrido às 19:54 hora local (UTC-3) na quarta-feira 16 de setembro de 2015, que alcançou uma magnitude de 8,4 na escala sismológica de magnitude do momento. O epicentro situou-se a 42 quilómetros de Canela Baja, e a 46 quilómetros de Illapel, na região de Coquimbo. Foi sentido numa grande parte do Chile e em algumas zonas da Argentina e Brasil. A tradicional festa de Pampilla de Coquimbo, celebrada anualmente a propósito das Festas Patrias no Chile, foi suspensa devido ao terremoto. Também se suspenderam as aulas em todas as escolas nas regiões de Atacama y Los Lagos. (wikipedia)

Rezemos por todas as vítimas deste terremoto – em aliança solidaria e em vésperas do 18 de setembro.

Fotos

Etiquetas: , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *