Colocado em 2015-04-18 In Schoenstatteanos

Fiéis à Aliança de Amor de 11 de abril de 1915

De Konstantin Blumers • 

Por estes dias celebram, alguns dos nossos irmãos de Schoenstatt, 100 anos de Aliança de Amor. Eles são os congregados heróis:  Josef Engling, Hans Wormer e Fritz Esser; o P. Baldauf -1954 em Valparaíso, Chile, cujos restos foram trasladados para o santuário de Viña del Mar; os Padres de Schoenstatt Bönki (trabalhou nos Estados Unidos desde 1924 a 1969) e Tick (trabalhou para a Obra Familiar na Alemanha desde 1945 a 1989).

Desde 8 de dezembro de 1914 foram candidatos para a admissão na Congregatio Minor, fundada para eles. O chefe dos candidatos era Josef Engling. Alguns haviam sido admitidos na Congragatio Maior em 19.4.14 e outros em 8.12.14. Os mais conhecidos representantes do curso maior eram Max Brunner, Albert Eise e Josef Fischer.

No dia 11.4.1915, domingo in Albis*, tinha chegado o momento: 30 congregados foram admitidos para a congregação mariana. Selaram a sua Aliança de Amor com Maria em sinal de pertença – apesar de, na altura, o termo “Aliança de Amor” ainda não existir. O anseio e vontade destes jovens, entre os 14 e 17 anos, reflete-se na seguinte oração de consagração.

250408-03-angermaierBem-aventurada Virgem e Mãe de Deus, Maria, eu, Nikolaus Joseph Angermaier, indigno, desejo servir-te, elejo-te hoje (apesar de tudo) confiando no teu maravilhoso amor e benevolência e impelido pelo desejo de servir-te, na presença do meu anjo da guarda e toda a corte celestial da minha Senhora, Intercessora e Mãe, proponho-me firmemente, servir-te para sempre e, no que depende de mim, preocupar-me em que outros também te sirvam a ti fielmente.

Assim, peço humildemente na tua bondade e benevolência maternais, pelo sangue de Jesus Cristo, que te dignes a admitir-me entre o número dos teus congregados e me tomes como servo permanente, pupilo e filho. Permanece junto a mim, oh Mãe, em todos os meus atos e dá-me a graça de me comportar de pensamento, palavras e obras de tal maneira que jamais ofenda nem os teus olhos nem os do teu santíssimo Filho.

Pensa em mim e não me abandones na hora da minha morte. Amén.

Monasterio de Schoenstatt, 11 de abril de 1915.

(Original em latim)

Nikolaus Angermaier, de Ebersheim, próximo de Maguncia, foi companheiro dos acima referidos . No final dos seus estudos em Limburgo abandonou (1924/1925) os palotinos e tornou-se sacerdote diocesano no Palatinado.

250408-01-angermaier

Há uns dias apareceu da herança do padre Angermaier um quadro da MTA que lhe ofereceram por ocasião da sua ordenação. O quadro acompanhou-o durante toda a sua atividade sacerdotal. Tem o tamanho original, apesar da moldura ser um pouco maior do que a do santuário original. A Virgem Santíssima leva a sério a nossa consagração a Ela, independentemente da nossa posterior colaboração com o Movimento. A aparição do quadro, pouco antes dos cem anos da consagração, é um símbolo da fidelidade da nossa Mãe celestial, a sua aceitação da petição do padre Angermaier, de o tomar como servo permanente, pupilo e filho.

 

* N. T.: Primeiro domingo a seguir à Páscoa da Ressurreição

Original: Alemão – Tradução: Maria de Lurdes Dias, Lisboa, Portugal

 

Etiquetas: , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *