Posted On 2024-02-15 In Vida em Aliança

Ser homem hoje – Fórum Marienberg 2024

ALEMANHA, Peter Hagmann •

De 2 a 4 de Fevereiro de 2024, mais de 20 homens reuniram-se para o Fórum Marienberg do Movimento dos Homens de Schoenstatt – Alemanha, in situ em Schoenstatt, na “Haus Tabor” em “Marienberg”, enquanto outros 12 homens de toda a Alemanha, América do Sul, Espanha e Austrália estiveram presentes através de video-conferência. O Prof. (em.) Dr. Manfred Gerwing, professor de Dogmática e História do Dogma na Universidade Católica de Eichstätt-Ingolstadt e membro da União das Famílias de Schoenstatt, foi convidado a falar sobre os desafios de “ser homem hoje”.

A ronda de abertura com o Prof. Dr. Gerwing começou com um clip do YouTube sobre a rejeição do Prémio ZDF Media em 2008 pelo crítico literário Marcel Reich-Ranicki (também conhecido como o “Papa da Literatura”), que morreu em 2013.

A sua abordagem filosófica explicava às pessoas a filosofia do existencialismo dos filósofos Sartre e Heidegger e o construtivismo de Ernst von Glasersfeld, entre outros, que domina a sociedade no mundo ocidental atual.

Nestas visões do mundo, não existe Deus, as pessoas constroem-se a si próprias e socialmente muita coisa está em aberto, o que é pre-determinado na visão cristã do mundo e do Homem. No entanto, o amor também não desempenha qualquer papel e as pessoas não só são deixadas à sua sorte, como também são abandonadas, em constante competição e desespero.

A visão cristã do mundo e do Homem, com um Deus existente que pensa no Homem desde a eternidade e o ama pessoalmente, é a antítese disto. O “torna-te o que és” dos ideais cristãos é ao mesmo tempo uma missão e um programa.

A filialidade perante Deus, a filialidade como missão e desafio, é um aspecto importante da visão cristã da Hmanidade neste desenvolvimento.

No entanto, o mundo ocidental tem vindo, desde há décadas, a orientar-se gradualmente para o exclusivismo e o construtivismo, o que se pode ver nos nossos currículos, normas educativas, leis sobre “casamento para todos” ou “livre escolha do sexo”.

O professor Gerwing está convencido de que Sartre se refere conscientemente à Bíblia em algumas das suas passagens literárias, ou seja, que a conhece e a estudou. Ele também pode provar que o Padre Kentenich estudou as obras do filósofo Heidegger, que eram proibidas na época e que os teólogos não podiam ler.

Mannsein

Foto: Joachim Konrad

Categorizar melhor a evolução social

A palestra do Professor Gerwing podia ser interrompida por perguntas espontâneas, o que levou a algumas trocas de impressões durante as questões levantadas. No entanto, isto facilitou a compreensão e forneceu um feedback directo sobre esta abordagem bastante teórica e filosófica do assunto. Os homens ficaram impressionados com o “quadro geral” em que algumas “ideias de grupos de identidade” ou algumas tensões sociais podem ou devem ser vistas actualmente.

No final da sessão de perguntas e respostas após o discurso de abertura, vários participantes afirmaram que podiam agora categorizar melhor e mais facilmente alguns desenvolvimentos sócio-políticos e que seria aconselhável que a Igreja aperfeiçoasse a sua competência principal de proclamar a fé e Deus, em vez de perseguir o mainstream de qualquer forma.

Totalmente filho e totalmente pai

No sábado à tarde, a visão do Padre Kentenich sobre a masculinidade, a infância e a paternidade e sua influência sobre o “ser homem hoje” foi discutida em pequenos grupos. O mandamento de Jesus: “Se não vos tornardes como crianças…” (Mt 18,3) fala de filialidade, que significa confiança infantil, bem como segurança infantil no pai e amor pelos pais. Esta filialidade tem um acesso mais fácil ao coração da fé, ao amor de Deus, do que a visão adulta, muitas vezes demasiado concentrada – no caso dos discípulos, em relação à questão de saber quem era o maior entre eles.

Totalmente filho e totalmente pai: este é o ideal escrito na pedra fundamental do Santuário Tabor, mas o que é que isto significa na prática no mundo agitado de hoje?

Permanecer firme na vida como homem, mantendo uma fé infantil e, ao mesmo tempo, desenvolvendo as qualidades paternais de humildade, generosidade e confiabilidade é um grande desafio, um desenvolvimento no qual “ser homem” deve ser adaptado em cada etapa da vida e nunca pode ser considerado uma tarefa.

Mannsein

Solo de clarinete no início | Foto: Joachim Konrad

A imagem pessoal de Deus

Depois de um impulso matinal e do pequeno-almoço, o programa de Domingo começou com uma peça para clarinete de um músico profissional participante, antes de ser abordada a questão da imagem pessoal de Deus. Uma questão tão pessoal exige uma grande abertura, como foi o caso neste grupo de conferência. Os participantes descreveram Deus como “amor infinito”, como “princípio e fim”, como “omnipotência infinita”. Esta pergunta “Onde está Deus quando…?” foi também objecto de um vivo debate e troca de impressões – embora não possa haver uma resposta ÚNICA.

No final da conferência, ficou acordado que este tema do “ser homem” só poderia ser abordado tematicamente, mas que muitas questões ficaram por responder. Talvez haja uma continuação temática no próximo ano, no Fórum de Marienberg, de 21 a 23 de Fevereiro de 2025.

O evento terminou com uma Missa no Santuário Tabor numa atmosfera positiva e os participantes estão ansiosos pelo próximo Fórum de Marienberg no próximo ano.

Mannsein

Original: alemão (11/2/2024). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Tags : , , , , , , , , , ,

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *