Ein nächtlicher Strahl der Hoffnung geht vom Kreuz aus RS

Posted On 2023-11-26 In Vida em Aliança

Refugiar-se no Santuário e deixar que, lá fora, o mundo grite? Não

ALEMANHA, Renate Siebenkäs •

“A celebração da Aliança a 18 de Novembro ainda hoje me comove. “Martin Emge discorreu sobre o lema do novo ano, de modo a que este tenha realmente algo a ver comigo e com a minha vida quotidiana”, disse um participante alguns dias depois. A Homilia deixou mais do que claro: não se trata da Disneylândia, mas de moldar o mundo no meio da nossa realidade. —

Prediger Martin Emge - Planungsteam Familien ganz kreativ Motto gestaltet Foto Vroni Freitag

Pe. Martin Emge – A equipa de planeamento do Movimento das Famílias concebeu o lema de uma forma muito criativa / Foto Vroni Freitag

Desde o início, o padre diocesano, Pe. Martin Emge, pediu a aproximadamente cinquenta paroquianos para fazerem uma pequena mudança no presbitério. Todos os anos, há uma representação bem visível do lema anual no lado esquerdo. O lema anual 2022/23, em tons quentes: “Escutar Deus juntos”, que nos deixou um presbitério colorido, convidativo e emocionalmente atraente, deu lugar a um azul frio. Um globo terrestre flutua visivelmente no azul-escuro do céu, perfurado por numerosas fissuras. Representam elas as muitas fissuras, as muitas imagens cruéis das notícias e o grande anseio de muitas pessoas? Quando terminarão as mortes e os muitos actos de violência? “O que significa o globo terrestre com as suas fissuras?”, perguntou o Pe. Martin Emge. E ele próprio deu a resposta: “Não significa apenas o mundo grande e vasto, mas também o meu pequeno mundo, a minha vida quotidiana com os seus problemas”. a minha vida, com a missão que recebi de Deus. Nossa Senhora acompanha-nos nas fendas e cria espaço para o nosso Senhor.

Curar as fissuras

Refugiar-se no Santuário e deixar que, lá fora, o mundo grite? Será essa a solução? Não, Emge deixou claro, essa é uma abordagem completamente errada. Deus deixa claro que nos cabe a nós curar as fissuras com os recursos e talentos que Ele nos dá.

2023 e 1914: o início de Schoenstatt marcado pela guerra

1914 – Aparecem os tanques e o Pe. Kentenich já está a fundar Schoenstatt. Ele quer ensinar os jovens que lhe foram confiados a fortalecerem a sua fé, a não terem medo e a não desanimarem. Estes jovens vão buscar força ao alto, à Mãe Três Vezes Admirável (MTA), muitos deles vão combater na Primeira Guerra Mundial. Podemos admirar como se mantiveram fortes interiormente. Conseguiram colocar-se mentalmente na capela e sentir: a Mãe de Deus está comigo, mesmo que os obuses rebentem a torto e a direito.

A Segunda Guerra Mundial

Nos anos 30, o fundador entra rapidamente em conflito com a política. Ele é rebelde desde o início e diz claramente o que outros só ousam pensar com hesitação. Kentenich sente que Hitler está a trabalhar contra Deus. Depois, como era de esperar, acaba num campo de concentração.

Muitas pessoas perguntam: O que é que vai acontecer a seguir?

Mas o Pe. Kentenich mantém a calma. Ele diz: “As grandes linhas estruturais de um novo mundo estão a começar a aparecer no horizonte. Um mundo velho está a arder”. E alguns anos mais tarde: “Se deixarmos que os terríveis escombros, a terrível devastação que encontramos por todo o lado na ordem física, moral e espiritual, tenham um efeito sobre nós, temos de suster a respiração“.

 “Deve ser um mundo novo e glorioso que Ele quer criar a partir desta morte tremenda, deve ser uma ordem maravilhosa que Ele quer remodelar a partir das catástrofes e ruínas”. Surge a visão de um mundo novo. Um mundo com uma fé firme em Deus, que nos protegerá e acompanhará”.

Resiliente

O Pe. Kentenich queria que os schoenstatteanos, talvez mais do que muitas outras pessoas, fossem capazes de suportar o sofrimento. Pessoas livres, interiormente resilientes, que não têm medo diante da crise porque sabem que têm apoio do alto, na Aliança, levados por anjos, que os acompanham no meio do fogo.

Os schoenstatteanos não estão sós. A aliança batismal é válida. Aliados ao Deus Uno e Trino. É aí que reside a nossa força. É por isso que o Dia da Aliança mensal nos dá sempre de novo a nova certeza: “Não tenhas medo, eu estarei contigo e não recuarei!

Deus confia em mim

Referindo-se ao Evangelho do dia (O Senhor dá talentos aos seus servos), Martin Emge sublinhou a grande confiança que Deus nos oferece. Com Ele não há mentalidade de desempenho. Ele confia tudo aos seus servos. Eles não recebem uma lista de tarefas, uma lista de controlo, podem fazer o que quiserem com os talentos.

Deus é o melhor treinador da confiança. Ele confia em nós para fazermos alguma coisa. Não nos diz como devemos viver. Ele dá-nos toda a liberdade porque acredita em nós. Deus tem paciência, confiança infinita, e o próprio Pe. José Kentenich aprendeu isso de Deus. Ele sempre quis aumentar a confiança mútua.

Nas fissuras, Deus precisa de pessoas para criar espaço. Deus confia em mim para consertar o mundo! O mundo precisa de um novo começo. As pessoas são necessárias para criar espaço nas fissuras, para criar confiança.

Em Marienberg, as muitas fissuras podem ser colmatadas. A Aliança de Amor conduz ao mais profundo. Podemos pôr de lado o medo e colocar tudo na Talha.

O mundo, com as suas fissuras, grita-nos a nós, schoenstatteanos: “Precisamos de vós, precisamos da vossa confiança! Tragam as vossas novas ideias, dêem-nos espaço criativo para crescer. Precisamos de ser fortalecidos”.

Bündnisfeier Marienberg Bamberg

Celebração da Aliança Marienberg Bamberg

Original: alemão (21/11/2023). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Tags : , , , , , ,

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *