La Plsata San Pedro

Colocado em 2021-09-20 In Vida em Aliança

Hoje, quem é Pedro entre nós?

ARGENTINA, Pamela Pagalday / Maria Fischer •

Neste Dia da Aliança, 18 de Setembro, o Bispo Auxiliar Jorge González entronizou no Santuário de La Plata – aquele Santuário à sombra da Catedral – a imagem de São Pedro, que nos recorda o seguimento de Cristo e, nos convida a servir e amar a Igreja, em harmonia e aliança com o Papa Francisco que, hoje é Pedro entre nós. —

La Plata San PedroA imagem original de São Pedro (dada pela Família alemã em 1965) foi roubada na pandemia. Mas, como Mons. Jorge González salientou na Missa da Aliança a 18 de Setembro – um ano após a sua Ordenação Episcopal (15/9/2020) – um roubo, como tantos, deu origem a uma “corrente de vida”.

Um facto. Uma leitura. Um discernimento.

Estes passos, disse Dom Jorge González, constituem uma parte essencial da pedagogia de Schoenstatt. E quando se forma uma corrente de vida, fruto do exercício sincero destes passos, são “acrescentados” momentos que reforçam esta corrente.

Monsenhor Jorge recebeu um imagem de São Pedro como presente da Alemanha no tamanho típico das imagens dos Santuários para a Família de La Plata.

“Uma nova “imagem” dada ao primeiro Bispo de Schoenstatt argentino, filho deste Santuário da Libertação, também erigido por um Bispo nos seus próprios jardins, à sombra da Catedral Metropolitana, uma clara expressão de uma missão: Schoenstatt, coração da Igreja, Schoenstatt para a Igreja”, disse Monsenhor Jorge.

Uma celebração à sombra do Santuário

La Plata San PedroToda esta corrente de vida, toda a preparação com contribuições para o Capital de Graças sob a forma de pequenas chaves, um Tríduo nos dias anteriores – tudo isto foi transformado numa celebração na noite de 18 de Setembro. Bela Missa, muitas pessoas, o coro juvenil, a alegria de estar presente. Quase duas horas de Missa, saudações e bênçãos. Momentos de graça e Família. Javier Arteaga, Pe. José María Iturreria, Pe. Rogelio do primeiro Curso da União dos Sacerdotes da Argentina concelebraram.

A imagem de São Pedro da União dos Sacerdotes de Schoenstatt, esculpida pelo Pe. Marcos Sarmiento, acompanhou-nos – mais um momento de fortalecimento da corrente da vida. Durante anos, a União dos Sacerdotes a que Monsenhor Jorge pertence, tem trabalhado com a figura e missão de São Pedro.

É sempre uma alegria celebrar o Dia da Aliança aqui no Santuário, disse Dom Jorge González e especialmente nestes dias de alta tensão na Argentina. Para preparar os corações para o “depois” da tão esperada entronização da imagem de São Pedro, ele falou na sua Homilia sobre um duplo tema: “Simão Pedro chamado e transformado por Jesus” e sobre o Pedro entre nós hoje: “o sucessor de Pedro no mistério da Igreja”: o Papa Francisco.

Simão Pedro chamado e transformado por Jesus

La Plata San PedroO pescador da Galileia “foi chamado em circunstâncias extraordinárias, por ocasião da primeira captura milagrosa de peixe no lago”. Assim podemos pensar que Pedro teve o dom de conhecer muito bem Jesus como Senhor, sendo também o primeiro a ser chamado quando subiu à montanha e proclamou o nome dos doze.

Por vezes Pedro foi também instruído separadamente, com cuidado, por Jesus… podemos dizer que ele tinha um cuidado especial com Pedro; deu-lhe uma confiança especial quando lhe deu a promessa das Chaves do Reino do Céu em Cesaréia de Filipe.

Mas Pedro falhou muitas vezes… e humanamente, “ele não merece confiança, não fez jus ao seu papel, foi um péssimo líder da Igreja em tempos difíceis, abandonou outros, fugiu, renegou publicamente…”. E o que fez Jesus? “Jesus restaurou a confiança de Pedro. Ele não dá simplesmente confiança, mas devolve-lha, porque Pedro a perdeu mesmo em si próprio. Jesus devolve-lha, conduzindo-o à questão-chave do amor. Desta forma, Jesus mostra-se a si próprio como sendo o Evangelho para Pedro. Interroga-o sobre a realidade mais profunda e verdadeira de Pedro, vai ao fundo da sua alma (Pe. Herbert King) e procura o melhor que há nele (a pedagogia do Pe. Kentenich), Jesus sabe que Pedro nunca o perdeu apesar de tudo.

A entronização da imagem de São Pedro torna-se uma tarefa, uma missão para nós, sublinhou Dom Jorge:

“Sempre que entramos no Santuário e olhamos para a imagem de Pedro, devemos evocar tudo isto: ‘voltar ao Evangelho’, reconhecer que o amor é o coração do Evangelho, da mensagem de Jesus. E a Jesus e à sua mensagem devemos sempre regressar. Muitas vezes corremos o risco de perder o foco e de esquecer o que é mais importante”.

O sucessor de Pedro no mistério da Igreja: o Papa Francisco

Mas não se trata apenas do Apóstolo no seu tempo, mas ao entronizar, ao ter a imagem de São Pedro no Santuário, somos chamados a aliar-nos com “Pedro hoje entre nós”, com o Papa, com o Papa Francisco.

Por vezes nós, argentinos, temos uma visão tão pobre do Papa, por causa de insignificâncias, disse, e assim perdemos de vista o magistério de Francisco, que ele não só exerce no que diz ou ensina, mas também nos seus gestos e “uma forma de falar que está a ajudar a aproximar a doutrina da Igreja e a torná-la mais tangível”.

Mostrou três características-chave deste magistério: misericórdia, sinodalidade, ligações com a natureza (Laudato Si’), com outros (Fratelli tutti).

“A sinodalidade “é o caminho que Deus espera da Igreja do terceiro milénio”. A sinodalidade é um caminhar juntos; o povo fiel, com o Colégio Episcopal, e com o Bispo de Roma: “cada um ouvindo os outros; e todos nós postos à escuta do Espírito Santo”. Isto é fácil de expressar em palavras, mas não tão fácil de viver”.

“A única opção perante a dor do mundo e as feridas das pessoas é seguir o modelo do Bom Samaritano, que ajuda um homem ferido sem se importar com quem ele é, o que pensa ou de onde vem. O Papa apela ao reconhecimento da dignidade inata de cada pessoa, que em qualquer caso merece ser reconhecida, valorizada e amada; independentemente das suas ideias, sentimentos, práticas ou pecados”.

E a consequência, para que a imagem de São Pedro no Santuário não seja apenas um objecto decorativo:

“Cada vez que entramos no Santuário e olhamos para a imagem de Pedro, devemos evocar tudo isto: como o Pe. Kentenich fez diante de Paulo VI, no contexto da transformação do Concílio Vaticano II. O Padre Kentenich prometeu ao Santo Padre a fidelidade da Obra de Schoenstatt à Igreja e, que o Movimento empenharia todas as suas forças para ajudar a Igreja a cumprir as suas grandes tarefas actuais no período pós-conciliar. Continuamos neste caminho…, e isto compromete-nos ainda mais a abraçar, em harmonia cordial e com renovado entusiasmo, o caminho que Francisco nos propõe no seu magistério.

Como se dá as boas-vindas a alguém que está em sua casa?

La Plata San PedroApós a Missa, Monsenhor Jorge González, acompanhado pelo Padre Javier Arteaga, levou a imagem de São Pedro ao Santuário para a colocar no seu lugar.

Houve um grande aplauso…antes de se continuar com a renovação da Aliança de Amor.

Antes da bênção final, Anita Moviglia e Osvaldo Marcozzi, membros da Liga e Coordenadores Diocesanos, agradeceram ao Bispo Jorge. Foi muito agradável quando Osvaldo se dirigiu ao “Padre Jorge” que conhecia desde “aquele acampamento” e lhe disse que lhe tinham pedido para o receber; mas impossível – como dar as boas-vindas a alguém que está em sua casa?

Jorge” faz parte da vida de muitos. Antes de ser Padre, depois de ser Padre. O seu trabalho em City Bell era muito conhecido, e quando regressou à Catedral durante 2019 acompanhámo-lo, juntamente, com outro casal da Liga nas palestras pré-matrimoniais. Este ano, estas palestras foram suspensas por causa da pandemia. E muitos de nós sempre colaborámos com as suas iniciativas.

Ele é “o nosso” Padre Jorge, “o nosso” Monsenhor Jorge.


MMissa de Aliança 18/9/2021 Mons. Jorge González – texto integral  (ES)

Original: espanhol (19/9/2021). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *