Liebfrauenmünster Ingolstadt MTA

Colocado em 2021-04-28 In Vida em Aliança

A MTA já existia muito antes que Schoenstatt

ALEMANHA, Ir. M. Elinor Grimm / María Fischer •

No “Santuário Paralelo”, estão em curso, em condições pandémicas, os preparativos para a renovação da coroação da MTA no dia 1 de Maio, no 50º aniversário deste marco. –

6 de abril em Ingolstadt

O sinal de partida foi uma celebração a 6 de Abril “junto à MTA em Ingolstadt”, ou seja, na Capela de Graças na Catedral de Ingolstadt (foto acima e à esquerda).

O que é imediatamente compreensível para os schoenstatteanos do lugar, que estão historicamente conscientes, é, em poucas palavras, que a MTA em Ingolstadt é talvez o lugar onde os Jesuítas e Schoenstatt se tocam mais profundamente um ao outro.

A MTA de Ingolstadt é na realidade de Roma e, não se parece muito com a MTA de Schoenstatt. No entanto, tem muito em comum com Ela.

Citamos Karl Batz (sobre a exposição “Os Jesuítas em Ingolstadt”):

Um grupo de Imagens de Nossa Senhora pode ser rastreado até essa Imagem de Graças em Santa Maria Maggiore (Santa Maria Maior) em Roma, que tem o nome de “Imagem de Maria das Neves” [“Salus Populi Romani”, nota do editor]. Segundo a lenda, o local de construção da maior igreja de Santa Maria, em Roma (daí o nome Santa Maria Maior) foi milagrosamente marcado pelo facto de a 5 de Agosto de 352, ou seja, em pleno Verão, ter nevado aqui. Por este motivo, antigamente, o 5 de Agosto era também celebrado na Baviera como a Solenidade de “Santa Maria das Neves”.

Segundo a tradição, esta pintura romana de Santa Maria das Neves é, supostamente, uma cópia do “quadro de São Lucas” do Mosteiro de Hodegon em Constantinopla (Istambul) – também conhecido como Mosteiro de Panágia Hodegétria (que significa “Ela que mostra o caminho”) (N.T.) Diz a lenda que S. Lucas, o Evangelista, pintou este quadro de Hodegon após a sua morte, razão pela qual S. Lucas é o santo padroeiro dos pintores. A cópia romana do quadro de Lucas terá sido enviada ao Papa pela imperatriz Pulquéria (414-453) – a fundadora do Mosteiro (N.T.).

Foi demonstrado, contudo, que a Imagem que, agora se encontra em Roma não possui esta grande antiguidade, mas é, provavelmente, uma obra romana de meados do século XIII, ostentando todas as marcas de uma cópia de um ícone mais antigo. Agora, afirma-se da Imagem romana de Santa Maria das Neves que, a sua cópia nunca foi autorizada. Apenas uma vez um Papa deu permissão para tal, nomeadamente quando o Cardeal Carlos Borromeo implorou ao Papa Pio V que, permitisse ao Geral dos Jesuítas, Francisco Borgia, que fizesse uma cópia para uma Missão jesuíta no Brasil. Vários exemplares foram feitos nessa altura, um dos quais foi doado por São Francisco de Borja ao Colégio Jesuíta de Ingolstadt em 1571.

Esta Imagem recebeu a sua consagração especial graças à devoção que, Lhe professava o Padre Jakob Rem. Desde que, os filhos das primeiras famílias da Baviera foram educados no Convento de Ingolstadt, a Imagem de Graças logo ganhou uma veneração especial, sobretudo, depois de o Padre Rem ter recebido, para a Imagem, o título honorário de “Mater Ter Admirabilis” (Mãe Três Vezes Admirável) em 1604, numa hora de revelação, em que  mandou repetir os colóquios três vezes durante a Ladainha. Com este nome “Mater Ter Admirabilis” foi uma das Imagens de Graças mais famosas da Baviera nos séculos XVII e XVIII. Através da sua instalação na Capela dos Condenados, a veneração da Imagem tornou-se, especialmente, ligada aos membros da Universidade de Ingolstadt, bem como ao círculo de príncipes e estudiosos que passaram pela Escola Superior.

Em 1881, na Solenidade da Assunção de Maria, foi transferida para a igreja paroquial de Nossa Senhora, onde a Capela de Graças se tornou desde então um local de devoção popular para os devotos de Maria em Ingolstadt e noutros locais.

Nachbildung des Bildes in der Konviktkapelle Ingolstadt

Réplica do quadro na Capela dos Condenados em Ingolstadt.

 O (não tão) misterioso paralelo Ingolstadt – Schoenstatt

Centenas de anos mais tarde, um jovem Padre Palotino e um pequeno grupo de adolescentes que, se preparavam para se tornarem Palotinos, retomaram a história dos estudantes em torno do Pe. Rem com o desejo de serem e fazerem pela Alemanha “e talvez mais além” o que os jovens do Colloquium Marianum, fundado pelo Pe. Rem em 1595, foram e fizeram nessa altura: renovação e novo despertar, apóstolos por paixão. Com a ideia de apóstolos jovens, também adoptaram o título “Mater Ter Admirabilis”, e combinaram-no com a sua Imagem de Maria. Tudo isto sob um código secreto típico dos jovens: “Paralelo Ingolstadt –  Schoenstatt”.

Voltando ao assunto:

Desde este 6 de Abril, duas coroas do Santuário de Kösching têm estado, como penhor, na Capela da MTA em Ingolstadt. Em 1971, os Movimentos de Schoenstatt de todas as Dioceses da Baviera juntaram-se à coroação e elegeram a MTA como a Padroeira Nacional da Baviera. Agora renovamos tudo isto.

Há uma nova oração breve de coroação, que esperamos seja atractiva, e está também a ser impressa uma bonita estampa. Assim que tudo estiver pronto, será publicado no website de Schoenstatt Eichstatt (www.schoenstatt-ei.de), especialmente para todos aqueles que o celebrem a partir de casa.

O Santuário Paralelo é também de importância internacional. Durante as viagens a Dachau, grupos de visitantes passam por ali.

Mais (em alemán):
Jesuitas em Ingolstadt
Site do Movimento de Schoenstatt em Bistum Eichstätt

Original: Alemão (24/4/2021). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *