Colocado em 2020-08-23 In A Aliança de Amor Solidaria em tempos de coronavírus, Vida em Aliança

O primeiro sacerdote diocesano com Aliança de Amor na Nicarágua

NICARAGUA | Adriana Truque e Carlos Manuel Odio

Ontem, quinta-feira 20 de Agosto de 2020, foi um dia muito emocionante para o Movimento de Schoenstatt na Nicarágua, pois o Padre José Domingo Zambrana selou a sua Aliança de Amor, como Sacerdote Diocesano de Schoenstatt, na paróquia de São Francisco de Assis, em Manágua. —

Este ritual foi realizado através da plataforma de Zoom. O Padre José Luis Correa oficializou a cerimónia do Santuário da Família da Esperança na Costa Rica e, acompanhado na Nicarágua pela sua nova comunidade de Aliança, que quis viver com ele este momento tão importante, tanto virtual como alguns fisicamente, tentando participar com os devidos protocolos do momento devido à pandemia que o mundo está a enfrentar.

 

Um verdadeiro pioneiro

Num contexto em que não há sacerdotes de Schoenstatt aqui radicados e também com uma pandemia que torna impossível ter a presença física do nosso Assessor, o Pe. José Luis Correa, ou qualquer outro sacerdote de Schoenstatt, enche-nos de alegria e gratidão ter um sacerdote diocesano que abre o seu coração à Mater, compreende a espiritualidade de Schoenstatt, e nos ajuda na celebração de rituais importantes, tais como a bênção de 14 Santuários-Lar que se espera sejam abençoados no próximo mês para iniciar os primeiros Santuários-Lar na Nicarágua”, comentou Adriana Truque, coordenadora de Schoenstatt na Nicarágua.

O Padre José Luis Correa comenta:

“Há já algum tempo que acompanha a primeira comunidade de Madrugadores na maltratada capital nicaraguense . Creio que ele é o primeiro sacerdote diocesano nicaraguense que selou a sua consagração à Mater, um verdadeiro pioneiro”.

 

Um vínculo entre Roma e Manágua

O Pe. José Domingo Zambrana é cidadão nicaraguense, mas estudou teologia na Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma e licenciou-se em Direito Canónico na Pontifícia Universidade de S. Tomás de Aquino, em Roma. A 14 de Maio de 1995, foi ordenado sacerdote por imposição de mãos de São João Paulo II na Basílica de São Pedro em Roma, e desde então tem sido sacerdote diocesano em Roma, Itália.  No entanto, tem exercido o seu sacerdócio na Nicarágua nos últimos 3 anos, com permissão especial, ajudando na paróquia de São Francisco de Assis, em Manágua.

 

Caminhando como pobre entre os pobres pecadores

Na sua comovente oração de Aliança, o Pe. José Domingo escreveu o seguinte:

 

Oração de Consagração à Mater

Querida Mater:

 Quero selar a Aliança contigo, no feliz ano do meu jubileu de prata sacerdotal, celebrado no dia 14 de Maio de 2020. É uma emoção imerecida, e sentimentos fortes enchem o meu coração nesta hora da minha história como um peregrino da fé e necessitado de luz e graça! 

 A alegria despertada no meu coração por esta graça imerecida dá-me estímulo e coragem no meu percurso de fé como cristão, mariano e sacerdote.

Nunca tive vaidade de nada! Não pertenço a mim próprio e não possuo nada meu! Passei até hoje como peregrino e necessitado do Eterno, do Seu amor, e da Sua ternura.

Apesar de carregar o peso dos meus pecados e fraquezas, confio que, pela Tua intercessão, serei capaz de me converter todos os dias ao amor do Teu amado Filho.

Olha para mim e como propriedade Tua e defende-me do maligno. Estou certo da Tua companhia ao longo da minha vida. Servir e amar é o que sempre desejei, e Tu sempre me precedeste neste empreendimento! Não sei se tive sucesso, mas a superabundância do amor fraterno, do qual me sinto preenchido, testemunha que o Teu Filho e Tu, me sustentastes na missão que me foi confiada como cristão e como sacerdote.

Fazer esta Aliança com a Mater é fazer um Capital de Graças para ser misericordioso como o Pai, humilde como o Filho e sábio como o Espírito Santo.

Estou consciente de que os tempos são adversos à fé cristã, ao Evangelho, à Igreja e à moralidade católica. Os tempos actuais são difíceis e viver como profeta e peregrino da fé, como o Pe. Kentenich, é um martírio interior perante a agressividade violenta do diabo, do mundo e da carne.

Consagro-vos a minha vida e desejo que Tu seles a minha Aliança para que, caminhando como um pobre entre os pobres pecadores, a Tua graça gratuita e rica benevolência materna me ajudem todos os dias da minha vida e eu possa viver o Evangelho do Teu Filho, dando-o e proclamando-o com a minha vida, sem a hipocrisia clerical que é o cancro que tem prejudicado a comunidade dos crentes.

Assiste-me, hoje, amanhã e sempre! E no último momento da vida, que os meus lábios pronunciem o Teu nome e os meus olhos se abram para a glória da sublime eternidade. Abençoa todos os Teus filhos de Schoenstatt, amém. 

 José Domingo Zambrana, 20 de Agosto de 2020

 

 

 

Original: espanhol (22/8/2020). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *