Colocado em 2019-11-01 In Vida em Aliança

Uma carta de amor à Mãe, o 18 de outubro de 2019

PARAGUAI, Thais Ramírez •

De tantas coisas lindas que aconteceram nesses 105 anos de história de Schoenstatt, acredito que o melhor de tudo é, sem dúvida, que foram muito mais de 105 mil corações que aprenderam e aprendem a amar todos os dias com os melhores mestres. —

É um clichê dizer que, muito mais que um movimento, Schoenstatt é um estilo de vida, mas nunca um clichê guardou tanta verdade dentro de si.

É muito bom saber que tudo o que é verdadeiro se perpetua. Talvez, tantos anos atrás, era uma loucura pensar que arriscar educar o coração para ouvir as vozes de Deus era o caminho certo.

Mãe, você se estabeleceu, e se estabelecer não é um verbo que podemos conjugar no passado, porque na realidade sabemos que é um presente contínuo, que é uma decisão livre e que TODOS somos responsáveis ​​de que esteja aí, de que nos ajude e de que nos eduque.

Schoenstatt me presenteou…

Schoenstatt me presenteou tanto que eu jamais poderia simplificar. Me deu pais incríveis que, desde muito pequena, me ensinaram que a melhor maneira de educar era educar com amor, que sempre me mostraram o verdadeiro significado de “Nada sem Ti, nada sem nós”, me deixaram claro que Deus nunca age enquanto estamos sentados esperando um milagre. Me presenteou amigas tão únicas e autênticas que, independentemente da distância, sempre posso contar. Schoenstatt me presenteou o abrigo e o calor de um lar, mesmo nos lugares mais frios como Curitiba, mas acima de tudo, Schoenstatt continua presenteando o cuidado e o carinho de família a cada semana, no meu querido centro de Pilar, na Argentina.

E é isso que mais amo e o que mais aprecio do meu maior presente, que, ao longo desses anos, a Mãe Rainha sempre encontrou um lugar para mim, em Sua família, em Seu movimento. Me apresentou a pessoas incríveis que, além da etapa que passava em minha vida, do meu endereço ou da minha disponibilidade, estiveram presentes muito mais do que apenas estar, mas sim que me deram o carinho e a companhia de quem realmente faz parte de uma história incrível, onde todos somos protagonistas, onde todos, de uma forma particular ou em grupo, temos o dever e a responsabilidade de construir o Schoenstatt que queremos viver.

 

Obrigado por tudo, Mãe

A única coisa que resta é, sem dúvida, agradecer a Mainumby (grupo dos meus pais do Ramo das Famílias), por aquelas noites de brincadeiras e risadas eternas (algumas broncas por tanto barulho e bagunça), que me fizeram conhecer pessoas incríveis e que foram a pedra angular da minha história pessoal. Agradeço também a Facem (grupo da Juventude Feminina de Ciudad del Este), onde nos ajudou a crescer dia a dia com nos mínimos detalhes, nos acompanhando nos anos mais bonitos, nos ajudando a construir os alicerces de quem somos e fizemos do Santuário do Terruño nosso lugar favorito na terra.

Mariengarten, meu grupo, que me deu os abraços mais sinceros quando parecia que tudo estava desmoronando, que me abriram o coração e em pouquíssimas reuniões fizeram me sentir em casa.

E, obviamente, a minha juventude de Pilar que cada dia me surpreende mais, que todos os dias me ensina sobre parar de querer ter tudo sob controle e aprender que se entregar a Schoenstatt sempre é um salto mortal, que, sobretudo, cada detalhe repousa nos planos de Deus.

Obrigado por tudo, Mãe!

Que sejam muitos 105 anos mais desta Aliança de Amor que selastes conosco e que cuidas de forma tão especial …

 

Thais Ramírez nasceu em abril de 1999, “com o santuário de Tucumán” e também com primeiro artigo escrito sobre um evento fora da Alemanha e publicado no que é agora Schoenstatt.org

 

 Original: Espanhol. 21 de outubro 2019. Tradução: Glaucia Ramirez, Ciudad del Este, Paraguai/mr

 

 

Etiquetas: , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *